Royal and Ancient Polar Bear Society: A casa dos exploradores do Ártico PDF Print E-mail
Written by Felipe Medeiros   
Monday, 25 June 2012 00:00

 

Os desafios do Ártico

A conquista do extremo norte do planeta - a exploração de seus recursos animais e minerais - sempre foi um desafio para os países da região. Desde as expedições do século XIX que rumavam em busca de peles até os navios pesqueiros e plataformas de petróleo da atualidade, os noruegueses sempre tiveram uma relação muito estreita com as áreas mais setentrionais - e inóspitas - do planeta. O desafio de chegar a esse locais se soma hoje ao desafio de monitorá-los e protegê-los. Esta é, claro, uma das principais atribuições das forças armadas norueguesas. A Noruega tem alguns museus dedicados a preservar a memória dessa trajetória de conquistas rumo ao Ártico; a Royal and Ancient Polar Bear Society é um deles.

Urso Polar empalhado
Urso Polar empalhadoUrso Polar empalhado
Mostra - Exploradores do Ártico
Mostra - Exploradores do ÁrticoMostra - Exploradores do Ártico
Símbolo da Polar Bear Society
Símbolo da Polar Bear SocietySímbolo da Polar Bear Society
Mostra - Animais do Ártico
Mostra - Animais do ÁrticoMostra - Animais do Ártico
Mapa - Europa
Mapa - EuropaMapa - Europa

Royal and Ancient Polar Bear Society: A casa dos exploradores do Ártico

Até os dias de hoje, a ascendência viking é motivo de piadas entre os noruegueses (que são um povo muito mais gentil e bem humorado do que esperaria um incauto turista). Os desbravadores do Ártico, todavia, superam o anedotário e são alçados à condição de heróis nacionais. Basta lembrar que todos os navios da classe Fridtjof Nansen são batizados em homenagem a esses exploradores. Para preservar a memória desses notáveis indivíduos e de suas expedições foi criado o museu batizado de Royal and Ancient Polar Bear Society.

A RAPBS foi criada em 1963 e ocupa o mesmo edifício desde então, no centro da cidade de Hammerfest. Hammerfest é a cidade mais setentrional do mundo (ela fica a 2.160 km do Polo Norte e está 450 km acima do Círculo Polar Ártico), ela é um entreposto importante para navios que cruzam a rota da Corrente do Golfo (ou Rota de Murmansk). Ela é também o último ponto de partida para turistas que desejam ver a Aurora Boreal. Por isso, a despeito de seus menos de 10.000 habitantes, ela é uma cidade bastante conhecida na Noruega e recebe um fluxo razoável de turistas, muitos dos quais estrangeiros.

Os noruegueses são hoje um dos povos mais ecologicamente conscientes do mundo, mas nem sempre foi assim. Durante anos Hammerfest foi o ponto de partida de expedições de caçadores de peles (que, segundo dados do próprio museu, sempre superaram em número as expedições científicas). A triste marca dessas expedições permanece também no museu como um lembrete da caça predatória uma vez praticada pelos noruegueses.

O museu é divido em três ambientes semi-segregados: uma entrada, um espaço de souvenirs e o museu propriamente dito.

A entrada é apenas um espaço comprido e de pouca largura, com um balcão na extremidade direito onde o visitante pode pedir informações.

Mapa - Escandinávia
Mapa - EscandináviaMapa - Escandinávia
Mapa - Norte da Noruega
Mapa - Norte da NoruegaMapa - Norte da Noruega
Mapa - estado de Finnmark
Mapa - estado de FinnmarkMapa - estado de Finnmark
Mapa - Hammerfest
Mapa - HammerfestMapa - Hammerfest
Mapa - Polo Norte
Mapa - Polo NorteMapa - Polo Norte

O espaço seguinte é substancialmente maior e contém uma infinidade de souvenirs com temas variados: a bandeira da noruega, a Royal Society, alces, ursos polares... Há guardanapos decorados, imãs de geladeira, casacos, camisetas, chaveiros, bichos de pelúcia, canecas, bonés e tudo mais que pode interessar a um turista, contemplando combinações com todos os temas supracitados. Os preços, todavia, são um pouco salgados, haja vista os elevados padrões de renda e custo de vida na Noruega.

O terceiro ambiente é o museu em si. A visita começa por um corredor à lateral direita da loja de lembranças. Há vários painéis escritos em inglês, alemão e norueguês contando a história da cidade. Nessa área ha também uma coleção de animais empalhados típicos do Ártico, de raposas da neve a um (realmente grande) urso polar, talvez a principal atração do museu. Há informes sobre os hábitos e características de todos esses animais, os quais, à exceção do urso, foram todos encontrados na própria cidade (embora já há algum tempo).

O prédio acaba no fim desse corredor. Faz-se, então, uma volta para esquerda; transversal ao corredor do urso polar. Lá, há uma coleção de itens utilizados pelos exploradores do Ártico. Desde seu material de sobrevivência até suas armas (inclusive, uma elephant gun utilizada na caça aos ursos polares). Os painéis desta seção contam a história dos primeiros exploradores do extremo norte e narram alguma expedições que são notórias na Noruega.

Entra-se, então, em uma saleta decorada com itens feitos de peles de animais. Destacam-se um conjunto de mesa forrado com pele de foca e dois tapetes de pele de urso polar. No nicho seguinte há algumas telas exibindo vídeos educativos sobre o degelo do Ártico, a caça predatória, a necessidade de explorar sustentavelmente o extremo norte e, principalmente, sobre a extinção dos ursos polares e a necessidade de evitá-la. Esse ambiente conta com uma mesa repleta de folhetos informativos em vários idiomas (inclusive em português).

Ao término desse passeio, o visitante tem a opção de filiar-se à Royal and Ancient Polar Bear Society. Pela quantia de 180 coroas norueguesas (aproximadamente 55 reais) o visitante recebe uma carteira de membro, um certificado de filiação assinado pelo prefeito de Hammerfest, um adesivo e um broche de um urso, símbolo da RAPBS e da cidade. Esse broche só é dado a membros; e só é possível filiar-se indo pessoalmente ao museu, de modo que é uma piada comum entre os locais dizer que a única maneira de provar que efetivamente se foi ao "mais norte que o norte chega" é possuir o broche do urso.

O museu é mantido pelas famílias de seus dois fundadores e pela administração municipal. Todo o dinheiro arrecadado com as afiliações e com a venda de souvenirs é revertido para instituições de apoio à preservação dos ursos polares.

Mapa primitivo do Ártico
Mapa primitivo do ÁrticoMapa primitivo do Ártico
O explorador Fridtjof Nansen
O explorador Fridtjof NansenO explorador Fridtjof Nansen

 

The Royal an Ancient Polar Bear Society

Endereço: Isbjørnklubben i Hammerfest | Havnegata 3, Pb. 504, 9615 Hammerfest

Telefone: +47 78 41 31 00    Fax: +47 78 41 19 00

Funcionamento:

Junho-Julho -- Seg-Sex 06:00 - 18:00   Sáb-Dom 08:00 - 16:00

Agosto-Maio -- Seg-Sex 09:00 - 16:00  Sáb-Dom 10:00 - 14:00

Entrada franca

Last Updated on Wednesday, 26 March 2014 17:17
 

Translate

Browse this website in:

Busca Rápida
Serial
(FAB, MB ou EB)


Copyright © 2018 Base Militar Web Magazine. All Rights Reserved. Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.