Harmattan: A última guerra dos Super Étendard Modernisé PDF Print E-mail
Written by Felipe Salles   
Saturday, 17 November 2012 03:15

 

 

 

Depois de uma longa carreira na Aeronavale o caça de ataque Super Étendard em breve será completamente substituído pelo moderno Rafale M. Aproveitando o nosso embarque no Charles de Gaulle ALIDE resolveu dar uma olhada de perto neste modelo, nas condições políticas e econômicas que o produziram. Analisamos seu emprego operacional e principalmente seu papel durante a recente campanha aérea ocidental na Líbia. Passado este último conflito, levantamos como será a "passagem da guarda", e como a unidade efetuará a transição para seu novo caça de 4,5 geração. Venha conosco!

 

O peso da aeronave é escrito com giz na lateral
O peso da aeronave é escrito com giz na lateralO peso da aeronave é escrito com giz na lateral
Pouso perfeito
Pouso perfeitoPouso perfeito
O puxador da catapulta nos SEM fica atrás da roda dianteira
O puxador da catapulta nos SEM fica atrás da roda dianteiraO puxador da catapulta nos SEM fica atrás da roda dianteira
Ao abortar uma catapultagem muitas vezes o cabo cai no convés...
Ao abortar uma catapultagem muitas vezes o cabo cai no convés...Ao abortar uma catapultagem muitas vezes o cabo cai no convés...
...e tem que ser re tensionado pelos peiadores no convoo
...e tem que ser re tensionado pelos peiadores no convoo...e tem que ser re tensionado pelos peiadores no convoo

Este sistema aplica a força da catapulta direto na longarina principal da asa
Este sistema aplica a força da catapulta direto na longarina principal da asaEste sistema aplica a força da catapulta direto na longarina principal da asa
Decolou, e o cabo de aço já foi para o mar
Decolou, e o cabo de aço já foi para o marDecolou, e o cabo de aço já foi para o mar
Decolagem vista do posto de controle de pouso à ré
Decolagem vista do posto de controle de pouso à réDecolagem vista do posto de controle de pouso à ré
O gancho com dois braços distribui o tranco da frenagem na estrutura do SEM
O gancho com dois braços distribui o tranco da frenagem na estrutura do SEMO gancho com dois braços distribui o tranco da frenagem na estrutura do SEM
Quase tocando o convoo..
Quase tocando o convoo..Quase tocando o convoo..

Quase...
Quase...Quase...
A atitude cabrada do SEM aumenta a sustentação da asa
A atitude cabrada do SEM  aumenta a sustentação da asaA atitude cabrada do SEM  aumenta a sustentação da asa
Quando a bandeira baixar estará tudo pronto para a catapultagem
Quando a bandeira baixar estará tudo pronto para a catapultagemQuando a bandeira baixar estará tudo pronto para a catapultagem
Empurrando o SEM para trás para recolocar o cabo de aço
Empurrando o SEM para trás para recolocar o cabo de açoEmpurrando o SEM para trás para recolocar o cabo de aço
Aguardando autorização para colocar o cabo de aço da catapulta
Aguardando autorização para colocar o cabo de aço da catapultaAguardando autorização para colocar o cabo de aço da catapulta

 

Um vento quente sopra sobre o Mediterrâneo

Uma inesperada insurreição nascida na cidade Benghazi, maior cidade do leste da Líbia deu a partida num processo que pouco mais de oito meses depois, acabaria com os 42 anos no poder do ditador líbio Muammar Ghadafi. Como unidades inteiras do exercito líbio já haviam bandeado para o lado rebelde e começado a se mover para o oeste, estava claro que uma verdadeira guerra civil estava em curso. Tropas legalistas n o oeste do país progressivamente foram se movendo para o leste interrompendo o progresso das tropas rebeldes. Foi na cidade costeira de Misurata, um importante porto de escoamento de petróleo do país, que ocorreu o encontro das forças oponentes. Por isso, a população desta cidade acabou sendo uma das mais castigadas neste conflito. Em 26 de fevereiro de 2011 o Conselho de Segurança da ONU se reuniu para avaliar as consequências dos eventos em curso na Líbia e emitiu as resoluções 1970, seguida logo pela 1973, que instruíam aos países membros a montar uma zona de exclusão aérea que impedisse o assassinato em massa de civis pelo exercito líbio. Foi decidido que caberia à OTAN a organização e coordenação dos aspectos militares desta campanha. Poucas horas após ser da a autorização para intervir as forças militares da França lançaram um ataque inicial contra as principais bases aérea e aeroportos da Líbia, foram atingidas, inclusive, bases que não faziam parte de qualquer resposta militar dos legalistas contra os rebeldes. O governo americano, já profundamente comprometido com os conflitos do Iraque e do Afeganistão, optou, neste caso, por tomar uma postura bem mais discreta.

Paciência...
Paciência...Paciência...
O Yellow Jacket está em permanente contato por rádio com o controle do convoo
O Yellow Jacket está em permanente contato por rádio com o controle do convooO Yellow Jacket está em permanente contato por rádio com o controle do convoo
As cameras acompanham cada lançamento atentamente
As cameras acompanham cada lançamento atentamente As cameras acompanham cada lançamento atentamente
O motor do SEM não tem pós -queimador
O motor do SEM não tem pós -queimadorO motor do SEM não tem pós -queimador
A asa grande tem sistemas hipersustentadores...
A asa grande tem sistemas hipersustentadores...A asa grande tem sistemas hipersustentadores...

...que reduzem as velocidades de decolagem e de pouso
 ...que reduzem as velocidades de decolagem e de pouso ...que reduzem as velocidades de decolagem e de pouso
Mais uma decolagem
Mais uma decolagemMais uma decolagem
Segundos antes do cabo de aço se soltar
Segundos antes do cabo de aço se soltarSegundos antes do cabo de aço se soltar
Grandes flaps geram uma ascensão rápida
Grandes flaps geram uma ascensão rápidaGrandes flaps geram uma ascensão rápida
Os flaps arriados escondem até os tanques alijáveis subalares
Os flaps arriados escondem até os tanques alijáveis subalaresOs flaps arriados escondem até os tanques alijáveis subalares

Conversando sem palavras...
Conversando sem palavras...Conversando sem palavras...
A instalação de um radar fez o perfil do Super Etandard ficar mais bonito
A instalação de um radar fez o perfil do Super Etandard ficar mais bonitoA instalação de um radar fez o perfil do Super Etandard ficar mais bonito
Decolagem no fim da tarde
Decolagem no fim da tardeDecolagem no fim da tarde
Sem pós-queimador a decolagem do SEM é mais silenciosa...
Sem pós-queimador a decolagem do SEM é mais silenciosa...Sem pós-queimador a decolagem do SEM é mais silenciosa...
...e a temperatura menor do escape não atrapalha as fotos por trás
...e a temperatura menor do escape não atrapalha as fotos por trás...e a temperatura menor do escape não atrapalha as fotos por trás

 

Ao contrário, França e Grã Bretanha resolveram conjuntamente assumir a liderança política da iniciativa reconhecendo logo cedo o Conselho Nacional de Transição da Líbia como o legítimo “governo no exílio” daquele país. O navio-aeródromo Charles de Gaulle estava há apenas um mês na sua base de Toulon desde seu retorno da longa operação Agapanthe, quando foi instruído a se preparar para partir novamente, desta vez em direção à costa da Líbia.

 

Mal decolou e os flaps já vão sendo recolhidos
Mal decolou e os flaps já vão sendo recolhidosMal decolou e os flaps já vão sendo recolhidos
O SEM se esconde atrás do defletor
O SEM se esconde atrás do defletorO SEM se esconde atrás do defletor
Pod buddy-buddy de reabastecimento montado num SEM
Pod buddy-buddy de reabastecimento montado num SEMPod buddy-buddy de reabastecimento montado num SEM
Um dos maiores problemas do projeto de aviões embarcados é...
Um dos maiores problemas do projeto de aviões embarcados é...Um dos maiores problemas do projeto de aviões embarcados é...
...fazê-los resistir à interferência dos muitos radares do NAe
...fazê-los resistir à interferência dos muitos radares do NAe...fazê-los resistir à interferência dos muitos radares do NAe

O cabo de frenagem se recolhe sozinho após o enganche
O cabo de frenagem se recolhe sozinho após o engancheO cabo de frenagem se recolhe sozinho após o enganche
O grande tamanho dos flaps é bem visivel aqui
O grande tamanho dos flaps é bem visivel aquiO grande tamanho dos flaps é bem visivel aqui
As caixas carenadas no 1o plano protegem as roldanas do cabo do aparelho de frenagem
As caixas carenadas no 1o plano protegem as roldanas do cabo do aparelho de frenagemAs caixas carenadas no 1o plano protegem as roldanas do cabo do aparelho de frenagem
Mais um pouso
Mais um pousoMais um pouso
Um lindo pouso num lindo dia
Um lindo pouso num lindo diaUm lindo pouso num lindo dia

Os freios aerodinâmicos são bem visíveis nesta foto.
Os freios aerodinâmicos são bem visíveis nesta foto.Os freios aerodinâmicos são bem visíveis nesta foto.
Pouso abortado seguido de go-around...
Pouso abortado seguido de go-around...Pouso abortado seguido de go-around...
Trator traz os SEM do estacionamento de vante para o de ré.
Trator traz os SEM do estacionamento de vante para o de ré.Trator traz os SEM do estacionamento de vante para o de ré.
Trator traz os SEM do estacionamento de vante para o de ré.
Trator traz os SEM do estacionamento de vante para o de ré.Trator traz os SEM do estacionamento de vante para o de ré.
Asa longa e larga desenhada para pousos e decolagens curtas
Asa longa e larga desenhada para pousos e decolagens curtasAsa longa e larga desenhada para pousos e decolagens curtas

 

Diz a máxima que se deve treinar da maneira que se espera combater. Neste caso da Líbia o Grupo Aeronaval foi composto exatamente como ele se configurou no PEAN 12.2 (com a exceção do submarino): Um destroier antiaéreo, uma fragata antissubmarino, um navio reabastecedor/logístico e um submarino nuclear de ataque. Além disso outros navios de escolta entravam e saiam da área onde atuava o GT francês ajudando na sua defesa. Durante o período de presença do GT francês na região houve alguns alertas de navios e aeronaves suspeitas, mas, em momento algum chegou a haver uma ameaça concreta a ele.

 

Detalhe do mecanismo da dobra da asa
Detalhe do mecanismo da dobra da asaDetalhe do mecanismo da dobra da asa
Todos os aviões são estacionados com seus garfos instalados
Todos os aviões são estacionados com seus garfos instalados Todos os aviões são estacionados com seus garfos instalados
Sem muita pressão por espaço, apenas um das pontas de asa é dobrada
Sem muita pressão por espaço, apenas um das pontas de asa é dobradaSem muita pressão por espaço, apenas um das pontas de asa é dobrada
O garfo permite que os aviões sejam movimentados muito rapidamente no convoo
O garfo permite que os aviões sejam movimentados muito rapidamente no convooO garfo permite que os aviões sejam movimentados muito rapidamente no convoo
Um pouso abortado.
Um pouso abortado.Um pouso abortado.

Dois SEMs em padrão de espera sobre o NAe
Dois SEMs em padrão de espera sobre o NAeDois SEMs em padrão de espera sobre o NAe
Sobrevoo de um SEM
Sobrevoo de um SEMSobrevoo de um SEM
O SEM tanqueiros alijando seu combustível excedente para poder pousar
O SEM tanqueiros alijando seu combustível excedente para poder pousarO SEM tanqueiros alijando seu combustível excedente para poder pousar
O tanqueiro é sempre o último a pousar de volta
O tanqueiro é sempre o último a pousar de voltaO tanqueiro é sempre o último a pousar de volta
Ele é uma política de segurança par acaso os aviões retornando de uma surtida...
Ele é uma política de segurança par acaso os aviões retornando de uma surtida...Ele é uma política de segurança par acaso os aviões retornando de uma surtida...

Por ventura fiquem sem combustível durante o processo de recolhimento...
Por ventura fiquem sem combustível durante o processo de recolhimento...Por ventura fiquem sem combustível durante o processo de recolhimento...
Muito combustível é jogado fora neste processo.
Muito combustível é jogado fora neste processo.Muito combustível é jogado fora neste processo.
SEM pousa com pod sob Damocles sob a fuselagem
SEM pousa com pod sob Damocles sob a fuselagemSEM pousa com pod sob Damocles sob a fuselagem
Touch and Go
Touch and GoTouch and Go
Enganchado no segundo cabo!
Enganchado no segundo cabo!Enganchado no segundo cabo!

 

Segundo o Capitão de Corveta “M” da Flotille 11F: “durante esta missão as unidades aéreas do Charles de Gaulle recebiam a Ordem de Tarefas Aéreas (ATO - Air Tasking Order) diariamente do Centro Combinado de Operações Aéreas (CAOC - Combined Air Operations Center no inglês original) da OTAN instalado na central de radar de Poggio Renatico, na Itália. A Air Tasking Order era disseminada entre 20h e 22h da noite e listava cada uma das missões que seriam realizados por todas as unidades alocadas ao teatro de operações no dia seguinte”. Naquela mensagem estava determinado: o número de aeronaves, o tipo de armamento a ser usado e local de entrega deste armamento. Se houvesse reabastecimento isto também estaria identificado.  Durante o voo as aeronaves faziam seus “inflight reports” para os aviões radar (AVACS) da OTAN que acompanhavam o progresso de todas as missões em curso em tempo real. “M” contou ainda que “as aeronaves embarcadas francesas foram concentradas nas atividades de ataque ao solo e de reconhecimento deixando as funções ar-ar para as demais aeronaves de caça baseadas em terra”. Ao pousar de volta o navio enviava ao CAOC da OTAN o relato de fim de missão com todos os dados e as estatísticas apuradas. As imagens de reconhecimento prévio dos avos e de avaliação de dano causado aos alvos recém-atacados eram analisadas, primariamente, pelos especialistas do Grupo Aeronaval francês e, em seguida, encaminhados ao CAOC.

 

 

Atenção à peça que sustenta a barra de freio da catapulta
Atenção à peça que sustenta a barra de freio da catapultaAtenção à peça que sustenta a barra de freio da catapulta
A barra de freio da catapulta está instalada nesta outra foto
A barra de freio da catapulta está instalada nesta outra fotoA barra de freio da catapulta está instalada nesta outra foto
Taxiando para a cataputa de vante com o Pedro no fundo
Taxiando para a cataputa de vante com o Pedro no fundoTaxiando para a cataputa de vante com o Pedro no fundo
O Pedro é um helicóptero Alouette de resgate que..
O Pedro é um helicóptero Alouette de resgate que..O Pedro é um helicóptero Alouette de resgate que..
voa o tempo todo em que se realizam pousos e decolagens
 voa o tempo todo em que se realizam pousos e decolagens voa o tempo todo em que se realizam pousos e decolagens

A catapulta libera vapor o tempo todo...
A catapulta libera vapor o tempo todo...A catapulta libera vapor o tempo todo...
Passando por cima do defletor.
Passando por cima do defletor.Passando por cima do defletor.
Passando por cima do defletor.
Passando por cima do defletor.Passando por cima do defletor.
Quase pronto para decolar
Quase pronto para decolarQuase pronto para decolar
O vapor da catapulta faz um clima...
O vapor da catapulta faz um clima...O vapor da catapulta faz um clima...

O Rafale jé está pronto para decolar
O Rafale jé está pronto para decolarO Rafale jé está pronto para decolar
O Rafale jé está pronto para decolar
O Rafale jé está pronto para decolarO Rafale jé está pronto para decolar
Do Rafale só sobrou a trilha de vapor...
Do Rafale só sobrou a trilha de vapor...Do Rafale só sobrou a trilha de vapor...
Aproximando-se da catapulta de vante
Aproximando-se da catapulta de vanteAproximando-se da catapulta de vante
Muito vapor no convoo
Muito vapor no convooMuito vapor no convoo

 

 

O navio-aeródromo francês ficava muito mais perto do local dos alvos do que as bases de onde operavam os aviões de terra. Isto fez com que suas aeronaves apresentassem um percentual de horas de traslado em voo até o alvo marcadamente menor quando comparado com o total de horas voadas do o percentual apurado para as aeronaves baseadas em terra. As aeronaves da Aeronavale não encontraram nenhuma oposição aérea da Força Aérea Líbia durante a Harmattan. Houve alguns casos de reabastecimento mas em sua maioria estes casos foram supridos por caças equipados com sistema de reabastecimento “Buddy-Buddy” do próprio Charles de Gaulle. Os reabastecedores de grande porte da OTAN (KC-135, KC-767, etc.) se preocuparam mais em atender a necessidade dos caças baseados em terra.

 

 

Em direção à catapulta o avião se move sem auxilio externo
Em direção à catapulta o avião se move sem auxilio externoEm direção à catapulta o avião se move sem auxilio externo
A roda dianteira passará por cima do protetor do puxador da catapulta
A roda dianteira passará por cima do protetor do puxador da catapultaA roda dianteira passará por cima do protetor do puxador da catapulta
Decolagem vista do passadiço do navio
Decolagem vista do passadiço do navioDecolagem vista do passadiço do navio
Atenção ao puxador localizado atras da roda dianteira
Atenção ao puxador localizado atras da roda dianteiraAtenção ao puxador localizado atras da roda dianteira
Avião já está amarrado no lançador com o cabo de aço
Avião já está amarrado no lançador com o cabo de açoAvião já está amarrado no lançador com o cabo de aço

Cabo tensionado: tudo pronto!
Cabo tensionado: tudo pronto!Cabo tensionado: tudo pronto!
Deixando o estacionamento em direção à catapulta
Deixando o estacionamento em direção à catapultaDeixando o estacionamento em direção à catapulta
Taxiando em direção à catapulta
Taxiando em direção à catapultaTaxiando em direção à catapulta
Pesado de combustível o SEM tanqueiro se prepara para decolar
Pesado de combustível o SEM tanqueiro se prepara para decolarPesado de combustível o SEM tanqueiro se prepara para decolar
Preparado para passar o cabo de aço
Preparado para passar o cabo de açoPreparado para passar o cabo de aço

Preparado para passar o cabo de aço
Preparado para passar o cabo de açoPreparado para passar o cabo de aço
Elingue estirado
Elingue estiradoElingue estirado
Check list final
Check list finalCheck list final
Catapultagem interrompida faz cabo ficar frouxo, peiadores!
Catapultagem interrompida faz cabo ficar frouxo, peiadores!Catapultagem interrompida faz cabo ficar frouxo, peiadores!
Tudo pronto novamente...
Tudo pronto novamente...Tudo pronto novamente...

 

Durante esta campanha o Charles de Gaulle navegou um total de 40000 milhas náuticas, (distância equivalente a quase duas voltas ao redor do mundo), realizou 2380 catapultagens e pousos, cerca de 1350 surtidas no total, realizadas em 120 dias de atividade aeronáutica com 3600 horas de voo sobre o teatro de operações. Foram 138 dias de mar (quatro meses e meio) com um período de 63 dias sem que a tripulação pudesse ir para terra.

A Flotille 17F e o ocaso do Super Étendard Modernisé:

 

 

 

O avião embarcado da Dassault ficou mundialmente famoso por seus espetaculares sucessos nas mãos do pilotos navais argentinos na Guerra das Malvinas em 1982. No entanto poucos sabem que este programa nasceu como aeronave de terra, um modelo não-naval. Os programas de reequipamento de caças da OTAN sempre foram oportunidades muito interessantes para os fabricantes de aeronaves, especialmente para os europeus.

 

 

Pro ar!
Pro ar!Pro ar!
O fim da tarde se anuncia
O fim da tarde se anunciaO fim da tarde se anuncia
SEM093
SEM093SEM093
O formato do SEM é inconfundível nos dias de hoje
O formato do SEM é inconfundível nos dias de hojeO formato do SEM é inconfundível nos dias de hoje
Uma parada abrupta
Uma parada abruptaUma parada abrupta

Piloto alinha o avião usando o aparelho de luzes de pouso
Piloto alinha o avião usando o aparelho de luzes de pousoPiloto alinha o avião usando o aparelho de luzes de pouso
Apressadinho pescou o primeiro cabo..
Apressadinho pescou o primeiro cabo..Apressadinho pescou o primeiro cabo..
Empurradinha para trás solta o cabo do gancho
Empurradinha para trás solta o cabo do ganchoEmpurradinha para trás solta o cabo do gancho
Deixando rapidamente a pista de pouso
Deixando rapidamente a pista de pousoDeixando rapidamente a pista de pouso
O tanker volta para seu ponto de estacionamento
O tanker volta para seu ponto de estacionamento O tanker volta para seu ponto de estacionamento

 

Em 1954 foi dada a partida em uma competição conhecida como LWTSF (Light Weight Tactical Strike Fighter) para a aquisição de uma nova aeronave de ataque que substituísse um grande número de aeronaves antigas de procedência americana então em uso pelas forças aéreas europeias. Para este negócio a Dassault ofereceu o desenho do pequeno Étendard IV, monomotor, subsônico e prometia ser muito mais barato do que os caças supersônicos que já estavam em uso para a defesa aérea nas diversas forças aéreas europeus.  No final o resultado da escolha do Fiat G-91 decepcionou o fabricante francês. A Aeronavale precisava de um caça novo e a Dassault resolveu retrabalhar o seu Étendard para poder operar em navios aeródromos. Deste esforço surgiu o Étendard IVM uma nova aeronave com modificações nas asas para permitir a aproximação em mais baixas velocidades. Foram fabricados 90 células deste modelo que viria a servir por 38 anos nas Flotilles 11F, 15F, 16F e 17F.

 

O probe de REVO do SEM fica escondido sobre o nariz
O probe de REVO do SEM fica escondido sobre o narizO probe de REVO do SEM fica escondido sobre o nariz
Sensores e antenas são cobertos após o voo para proteção
Sensores e antenas são cobertos após o voo para proteçãoSensores e antenas são cobertos após o voo para proteção
No domingo de folga os SEM viram obstaculos na pista de jogging
No domingo de folga os SEM viram obstaculos na pista de joggingNo domingo de folga os SEM viram obstaculos na pista de jogging
Reparem na dobra de apenas uma ponta da asa
Reparem na dobra de apenas uma ponta da asaReparem na dobra de apenas uma ponta da asa
Mecânico trabalha no trem de pouso dianteiro de um SEM
Mecânico trabalha no trem de pouso dianteiro de um SEMMecânico trabalha no trem de pouso dianteiro de um SEM

A escada do SEM não é embutida como a do Rafale
A escada do SEM não é embutida como a do RafaleA escada do SEM não é embutida como a do Rafale
Completando os tanques de combustível
Completando os tanques de combustívelCompletando os tanques de combustível
Preparando-se para decolar
Preparando-se para decolarPreparando-se para decolar
Os tons de cinza da pintura ficam muito diferentes de acordo com a iluminação
Os tons de cinza da pintura ficam muito diferentes de acordo com a iluminaçãoOs tons de cinza da pintura ficam muito diferentes de acordo com a iluminação
Vai o avião fica o vapor!
Vai o avião fica o vapor!Vai o avião fica o vapor!

Vai o avião fica o vapor!
Vai o avião fica o vapor!Vai o avião fica o vapor!
As rodas principais estão sendo recolhidas
As rodas principais estão sendo recolhidasAs rodas principais estão sendo recolhidas
Decolou!
Decolou!Decolou!
As decolagens tendiam sempre a ser em linha reta, sem curvas
As decolagens tendiam sempre a ser em linha reta, sem curvasAs decolagens tendiam sempre a ser em linha reta, sem curvas
Momento exato em que a roda dianteira passa sobre o puxador
Momento exato em que a roda dianteira passa sobre o puxadorMomento exato em que a roda dianteira passa sobre o puxador

Prestes a deixar o convés
Prestes a deixar o convésPrestes a deixar o convés
Quase nenhuma distorção do calor da turbina
Quase nenhuma distorção do calor da turbinaQuase nenhuma distorção do calor da turbina
Gears up!
Gears up!Gears up!
A caminho do alvo
A caminho do alvoA caminho do alvo
Um pássaro no ar e outro correndo a catapulta
Um pássaro no ar e outro correndo a catapultaUm pássaro no ar e outro correndo a catapulta

Dois Super Etendards partindo
Dois Super Etendards partindoDois Super Etendards partindo
Partindo
PartindoPartindo
Taxiando para a catapulta
Taxiando para a catapultaTaxiando para a catapulta
Uma asa ainda dobrada
Uma asa ainda dobradaUma asa ainda dobrada
Taxiando para a catapulta
Taxiando para a catapultaTaxiando para a catapulta

 

O Super Étendard, universalmente conhecido na Marinha Francesa pela sigla “SUE” foi o substituto direto do Étendard IVM. O novo modelo era essencialmente o velho Étendard com um motor SNECMA ATAR 8K50 (o mesmo motor do Mirage F1, mas sem o pós-queimador) mais potente, com um novo radar Agave no bico e uma nova asa, além de uma eletrônica de bordo toda modernizada. Este modelo foi desenvolvido em paralelo com o míssil anti navio MBDA AM39 Exocet. Entre 1974 e 1983 foram fabricados 85 unidades (71 para a França e 14 para a Argentina) e desde então já rompeu a marca dos 35 anos em serviço da Aeronavale. O primeiro avião da produção seriada foi entregue em 1977, e desde então já ocorreram cinco programas independentes de atualização e modernização do avião. O Super Étendard foi a plataforma escolhida pela Marine Nationale para carregar o míssil nuclear de médio alcance ASMP no lugar da bomba atômica AN-52 retirada de serviço em 1988.

 

 

Taxiando para a catapulta
Taxiando para a catapultaTaxiando para a catapulta
Camuflagem é eficiente contra o convoo!
Camuflagem é eficiente contra o convoo!Camuflagem é eficiente contra o convoo!
Taxiando para catapulta
Taxiando para catapultaTaxiando para catapulta
Taxiando para catapulta
Taxiando para catapultaTaxiando para catapulta
Taxiando para catapulta
Taxiando para catapultaTaxiando para catapulta

Taxiando para catapulta
Taxiando para catapultaTaxiando para catapulta
A ponta da asa só será abaixada mais adiante
A ponta da asa só será abaixada mais adianteA ponta da asa só será abaixada mais adiante
Vários SEM taxiando ao mesmo tempo
Vários SEM taxiando ao mesmo tempoVários SEM taxiando ao mesmo tempo
Aguardando atras do defletor
Aguardando atras do defletorAguardando atras do defletor
As diferenças de design entre os dois caças navais são gritantes
As diferenças de design entre os dois caças navais são gritantesAs diferenças de design entre os dois caças navais são gritantes

AMD-BA=Avions Maercel Dassault Breguet Aviation
AMD-BA=Avions Maercel Dassault Breguet AviationAMD-BA=Avions Maercel Dassault Breguet Aviation
Sumindo em cima da flecha pintada no convoo
Sumindo em cima da flecha pintada no convooSumindo em cima da flecha pintada no convoo
Sumindo em cima da flecha pintada no convoo
Sumindo em cima da flecha pintada no convooSumindo em cima da flecha pintada no convoo
Dá a nítida impressão de que o compartimento do probe REVO não fecha bem
Dá a nítida impressão de que o compartimento do probe REVO não fecha bemDá a nítida impressão de que o compartimento do probe REVO não fecha bem
O mar estava batido neste dia
O mar estava batido neste diaO mar estava batido neste dia

Close do nariz e cockpit
Close do nariz e cockpitClose do nariz e cockpit
Close do nariz e cockpit
Close do nariz e cockpitClose do nariz e cockpit
Uma aproximação padrão
Uma aproximação padrãoUma aproximação padrão
Taxiando com o pode Damocles
Taxiando com o pode DamoclesTaxiando com o pode Damocles
Outro close
Outro closeOutro close

Taxi
TaxiTaxi
A portinha à esquerda do número permite aumentar o flux de ar para a turbina
A portinha à esquerda do número permite aumentar o flux de ar para a turbinaA portinha à esquerda do número permite aumentar o flux de ar para a turbina
Baixando a ponta da asa para o voo
Baixando a ponta da asa para o vooBaixando a ponta da asa para o voo
Hélice na ponta do pod de reabastecimento é para gerar eletricidade
Hélice na ponta do pod de reabastecimento é para gerar eletricidadeHélice na ponta do pod de reabastecimento é para gerar eletricidade
Antes de usar a mangueira de REVO fica enrolada dentro do pod
Antes de usar a mangueira de REVO fica enrolada dentro do podAntes de usar a mangueira de REVO fica enrolada dentro do pod

 

As células de SUE que passaram por estas diversas modificações passaram a ser conhecidas como Super Étendard Modernisés, ou ainda, simplesmente: “SEM”. O Modernisé trocou o radar Agave original pelo novo radar Anemone com o dobro do alcance contra alvos na superfície. A última célula a ser modernizada foi entregue para o serviço no ano de 2011. A Flotille 17F é atualmente o único esquadrão que ainda usa este modelo.  Todas as células das Flotilles que já migraram para o Rafale e das foram extintas acabaram transferidas para esta unidade. Atualmente a 17F conta com entre 30 e 35 células de SEM, das quais apenas 13 estão totalmente operativas. As células inativas trocam de lugar com as ativas regularmente para garantir que as horas disponíveis em todas as células sejam usadas até o fim de suas vidas operacionais.

 

Como no F-5, todo o cone traseiro da fuselagem sai para manutenção
Como no F-5, todo o cone traseiro da fuselagem sai para manutençãoComo no F-5, todo o cone traseiro da fuselagem sai para manutenção
Pousa, engancha, levanta o gancho, cai o cabo...
Pousa, engancha, levanta o gancho, cai o cabo...Pousa, engancha, levanta o gancho, cai o cabo...
Bem vindo a bordo!
Bem vindo a bordo!Bem vindo a bordo!
detalhe do trem de pouso dianteiro do SEM
detalhe do trem de pouso dianteiro do SEMdetalhe do trem de pouso dianteiro do SEM

detalhe da roda principal do SEM
detalhe da roda principal do SEMdetalhe da roda principal do SEM
Detalhe do sistema de dobragem da asa
Detalhe do sistema de dobragem da asaDetalhe do sistema de dobragem da asa
Simbolo da Aeronave já bem surrado
Simbolo da Aeronave já bem surradoSimbolo da Aeronave já bem surrado
X=não empurre com força, senoide laranja é compartimento de aviônicos
X=não empurre com força, senoide laranja é compartimento de aviônicosX=não empurre com força, senoide laranja é compartimento de aviônicos
Na Aeronavale o número do avião é se numero de série na produção
Na Aeronavale o número do avião é se numero de série na produçãoNa Aeronavale o número do avião é se numero de série na produção

É por aqui onde o cabo de aço da catapulta arrasta o avião.
É por aqui onde o cabo de aço da catapulta arrasta o avião.É por aqui onde o cabo de aço da catapulta arrasta o avião.
Visão do lado de fora da roda principal
Visão do lado de fora da roda principalVisão do lado de fora da roda principal
Numero de missões de bombardeiro na Líbia
Numero de missões de bombardeiro na LíbiaNumero de missões de bombardeiro na Líbia
Casulo designador laser Damocles
Casulo designador laser DamoclesCasulo designador laser Damocles
Marquinhas brancas indicam o ângulo do profundor
Marquinhas brancas indicam o ângulo do profundorMarquinhas brancas indicam o ângulo do profundor

 

A Força Aérea Iraquiana, preocupada com a ameaça representada pelos navios Iranianos encomendou à França um lote de Mirage F1 capacitados para o lançamento do míssil Exocet. Enquanto os seus aviões eram fabricados a França cedeu provisoriamente cinco Super Étendards para os Iraquianos entre os anos de 1983 e 1985, apenas três destes aviões foram retornados. Aliás foi a Guerra das Malvinas entre Reino Unido e Argentina no ano de 1982 que sedimentou na memória coletiva a ligação entre o SEM e o míssil Exocet AM39 da MBDA. Mas esta não é a única arma deste avião. Entre o armamento guiado adicionado recentemente a este modelo se encontram as bombas guiadas GBU-49 da Raytheon americana, um equivalente ao modelo Paveway IV empregado pelas FFAA americanas. A bomba com submunições (Cluster Bomb Unit) CBU-58 de 400 quilos também foi certificada no SEM, mas, o míssil Sagem AASM que fez sucesso nos Rafales na Líbia não o foi. A arma antibunker AS-30L foi usada também quatro vezes neste último conflito pelos pilotos de Super Etendard modernizado.

Conclusão

 

Muitas e muitas peias de aço para cada avião
Muitas e muitas peias de aço para cada aviãoMuitas e muitas peias de aço para cada avião
Pod de reabastecimento buddy-buddy
Pod de reabastecimento buddy-buddyPod de reabastecimento buddy-buddy
Detalhe do compartimento da cesta e de enrolamento da mangueira
Detalhe do compartimento da cesta e de enrolamento da mangueiraDetalhe do compartimento da cesta e de enrolamento da mangueira
As luzes informam ao piloto recebedor o status do combustível
As luzes informam ao piloto recebedor o status do combustívelAs luzes informam ao piloto recebedor o status do combustível
Pod buddy-buddy armazenado no hangar
Pod buddy-buddy armazenado no hangarPod buddy-buddy armazenado no hangar

Marcação de missões de bombardeio com LGB
Marcação de missões de bombardeio com LGBMarcação de missões de bombardeio com LGB
SEM no Hangar
SEM no HangarSEM no Hangar
Interior da tubeira do motor ATAR do SEM
Interior da tubeira do motor ATAR do SEMInterior da tubeira do motor ATAR do SEM
Detalhe da traseira do SEM
Detalhe da traseira do SEMDetalhe da traseira do SEM
Símbolo do esquadrão naval (Flotille) 17F
Símbolo do esquadrão naval (Flotille) 17FSímbolo do esquadrão naval (Flotille) 17F

 

Praticamente toda a carreira operacional do Super Étendard transcorreu em um período onde o número de navios aeródromos não-americanos atingiu seu ponto histórico mínimo. Se não fosse por isso, ele poderia ter se tornado mais um sucesso de exportação para a casa Dassault, como foi a família Mirage. Possivelmente foi a rápida introdução pela Dassault nos Mirage dos armamentos e sensores antinavio que inicialmente eram peculiares ao Super Étendard/SEM que fez que o exemplo da Força Aérea Iraquiana não tivesse sido seguido por outras forças aéreas não-navais ao redor do mundo.

Especificamente no caso da Marinha do Brasil, por seu tamanho e peso o SEM não tinha nenhuma possibilidade de ser operado no pequeno convoo do Minas Gerais. Então chegou o NAe São Paulo (o ex-Foch da Marine Nationale) a Força Aeronaval já tinha decidido padronizar sua força de caça nos AF-1 (A-4Ku) Skyhawk da McDonnell Douglas americana. Neste caso, o timing não poderia ter sido pior para o modelo francês.

O Super Étendard pode não ter sido um sucesso industrial estrondoso, mas para seus três operadores ele cumpriu absolutamente tudo o que se esperava dele, e com louvor. Se não fosse o êxito operacional deste modelo, é difícil imaginar que a Marinha Francesa tivesse determinado à Dassault o desenvolvimento de um variante naval do Rafale. Neste caso, hoje em dia, muito provavelmente, os caças de porta aviões franceses seriam os Boeing F-18 e não um produto da indústria aeronáutica francesa.

 

 

Detalhe da asa dobrada
Detalhe da asa dobradaDetalhe da asa dobrada
No hangar a cúpula aerodinâmica do radar fica protegida
No hangar a cúpula aerodinâmica do radar fica protegidaNo hangar a cúpula aerodinâmica do radar fica protegida
Detalhe da cabine e do assento ejetor do SEM
Detalhe da cabine e do assento ejetor do SEMDetalhe da cabine e do assento ejetor do SEM
Gancho subalar para catapultagem
Gancho subalar para catapultagemGancho subalar para catapultagem
SEMs no elevador
SEMs no elevadorSEMs no elevador

Trazendo o SEM do convoo
Trazendo o SEM do convooTrazendo o SEM do convoo
Tanques subalares de SEM armazenados no hangar
Tanques subalares de SEM armazenados no hangarTanques subalares de SEM armazenados no hangar
Motor ATAR 9K visto no hangar
Motor ATAR 9K visto no hangarMotor ATAR 9K visto no hangar
Anel removível traseiro da fuselagem
Anel removível traseiro da fuselagemAnel removível traseiro da fuselagem
Detalhe da tubeira do motor do SEM
Detalhe da tubeira do motor do SEMDetalhe da tubeira do motor do SEM

Detalhe do SEM em manutenção no hangar
Detalhe do SEM em manutenção no hangarDetalhe do SEM em manutenção no hangar
Comandante da Flotille 17F
Comandante da Flotille 17FComandante da Flotille 17F

 

 

 

Não deixe de ler também o artigo super detalhado sobre o NAe Charles de Gaulle!

 

 

E também o artigo sobre o Rafale M!

 

 

Last Updated on Thursday, 02 May 2013 09:59
 

Translate

Browse this website in:

Busca Rápida
Serial
(FAB, MB ou EB)


Copyright © 2018 Base Militar Web Magazine. All Rights Reserved. Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.