Museus militares no Peru PDF Print E-mail
Written by Hélio Higuchi & Paulo Roberto Bastos Jr.   
Saturday, 15 March 2008 14:39
 Por: Hélio Higuchi & Paulo Roberto Bastos Jr.

Museus Militares do Peru

Peru é um país com vasta tradição militar, pois desde o século XIX travou combates contra três dos seus cinco vizinhos limítrofes (Chile, Equador e Colômbia). Consequentemente ao visitar este país os aficionados em história e pesquisa militar vão encontrar inúmeros museus militares, principalmente na capital Lima e arredores.

Apesar de ter um povo extremamente simpático e receptivo, não é fácil visitar unidades militares neste país, sendo mais difícil ainda tirar fotos. Em alguns museus não é permitido tirar fotos sem prévia autorização, e em um deles, o Museo de la Fuerza de Aviación Naval , o rigor é ainda maior. Lá civis não podem sequer visitar o museu, que embora possua raridades, como um S-2E Tracker pintado de cinza escuro e boca de tubarão, além de um Cessna Turbo-Mentor, não fazem questão nenhuma de liberar o acesso a visitantes.

Em todos os outros museus a visita é obrigatoriamente monitorada e em grupos, o que muitas vezes impede que se contemple com mais tranqüilidade os itens expostos.

Museo Aeronáutico del Perú

Localizado dentro da Base Aérea de Las Palmas , da Fuerza Aérea Peruana (FAP) , em Lima. Esta base aérea é o principal parque de manutenção aeronáutica da FAP, aonde se fazem revisões tanto de aviões da FAP, tais como Mirage 2000, MiG-29, Y-12 Harbin, até aviões comerciais , como DC-10 e bimotores Antonov; além de uma escola de oficiais. O museu está localizado no prédio principal da base aérea, e os aviões preservados estão constantemente mudando de localização. Há 2 anos estavam confinados perto dos tanques de combustível da base aérea, e consequentemente com visitação proibida. Até o mês de novembro de 2007 estavam perfilados numa das extremidades do pátio de aviões, mas informações recentes citam que os aviões foram novamente transferidos. Isto pode ser justificado pelo pouco interesse da FAP em permitir que visitantes do museu vejam de perto os aviões. A exceção de um Stearman PT17, a réplica do Ansaldo SVA-5 e um girocoptero civil Bensen que estão expostos no prédio principal do museu, não é permitido tirar fotos dos aviões do acervo, inclusive 2 classicos (NA50 e DB8) que estão colocados em pedestais, servindo de gate guard.

Dentro do museu também existem inúmeras maquetes de aviões em várias escalas, equipamentos de vôo, bem como um canhão antiaéreo Breda de 20mm, capturado dos equatorianos durante o conflito de 1941.

São os seguintes os aviões preservados no museu:

1. Dentro do prédio do museu:

Passe o mouse sobre as fotos e veja as legendas.
Stearman PT-17 Kaydet Stearman PT-17 Kaydet Museu Aeronáutico-  Maquete do Tucano da FAP  museu Aeronáutico- Maquete do F-86F da FAP

Ansaldo SVA-5 “ Cusco – Réplica do avião “ Cusco ” que pilotado pelo Subtenente Alejandro Velasco Astete, realizou o primeiro vôo de Lima a Cuzco, em 29/08/1925. O Ansaldo original foi perdido num acidente em 28/09/1925;

Boeing-Stearman PT-17 Kaydet , matrícula FAP126 - O Peru adquiriu dezoito Stearman A75N1 antes da II Guerra Mundial. Os EUA somente autorizou a venda após substituir por treinadores primários PT-17, que serviram na FAP até o final da década de 60;

Girocoptero Bensen – Foi trazido por um militar da FAP e utilizado com matricula civil;

2. No pátio da Base Aérea:

- Stearman PT-17 Kaydet - Stearman PT-17 Kaydet Cessna T-37Cessna T-37

Beech A-80 Queen Air , matrícula FAP732 - Avião de ligação, serviu no Grupo de Comunicaciones 8 a partir de 1965. Um total de vinte e um Queen Air foram adquiridos, sendo que três deles foram utilizados para aerofotogrametria e receberam matrículas civis;

Bell 212/UH-1N , matrícula FAP660 - Pelo menos dezoito foram recebidos a partir de 1974, e este modelo continua em serviço na FAP;

North American T-6North American T-6North American F-86F SabreNorth American F-86F Sabre

Boeing-Stearman PT-17 Kayd , sem matrícula;

Cessna T-37B “Sapito” , matrícula FAP442 - O Peru foi o primeiro país latino-americano a receber os T-37. Quinze T-37B foram recebidos em 1961, e nos anos seguintes foram adquiridos mais 5 T-37B e doze T- 37C sendo utilizados até 1992, quando foram substituídos pelos Aermacchi MB339A;

North American F-86F SabreNorth American F-86F SabreDe Havilland Canada BuffaloDe Havilland Canada Buffalo

Dassault Mirage 5P , matrícula FAP192 - Assim como muitos países sul-americanos, o Peru adquiriu caças Mirages logo após a Guerra dos Seis Dias. Mantendo a tradição de possuir aviões de combates modernos, foi um dos primeiros paises do continente a adquiri-los. Um total de vinte e nove Mirages 5 foram recebidos (26 na versão 5P e 3 na 5DP, biplaces) em compras efetuadas em 1968, 1974, 1976 e 1980. O exemplar preservado foi o ultimo caça recebido do primeiro lote. Tal qual o SU-22 Fitter, os Mirage 5P/DP não mais estão mais em operação;

Douglas B-26C InvaderDouglas B-26C InvaderDouglas B-26C InvaderDouglas C-47A

De Havilland Canada DHC-5 Buffalo , matrícula FAP322 - O Peru adquiriu dezesseis Buffalos em 1971 (3 anos após a aquisição pelo Brasil), entretanto a carreira deste avião na FAP foi relativamente curta. Durante a década de 90, os remanescentes foram oferecidos para a Força Aérea Brasileira, porém recusados devido ao mau estado das aeronaves. Se a matrícula FAP322 pintada no avião exposto no museu for verdadeira, este avião foi acidentado em 1978 tornando inoperante desde então;

Douglas B- 26C Invader , matrícula FAP227 - Dezoito B- 26C foram recebidos em 1954 e operaram em Piura até 1975, quando foram substituídos por Cessna A-37B Dragonfly;

Douglas C-47ADouglas C-47ASukhoi SU-22 FitterSukhoi SU-22 Fitter

Douglas C-47A , matrícula FAP357 - Aproximadamente três dezenas adquiridos após a II Guerra Mundial, nas versões C-47A, C-47B e DC-3A, permanecendo operacionais até o final da década de 70;

Hawker Hunter FMk.52 , matrícula FAP173 - Um total de dezoito Hunters (16 Mk52 monoplaces e 2 T.62 biplaces) foram apressadamente adquiridos em 1957, pois os F- 86F não alcançavam a altitude dos bombardeiros Camberra equatorianos. Operaram no 12 Escuadrón de Caza , em Talara, até 1980;

Sukhoi SU-22 FitterSukhoi SU-22 FitterSukhoi SU-22 FitterSukhoi SU-22 Fitter

Lockheed T-33A , matrícula FAP455 - Muitos países latino-americanos receberam caças F-80 e treinadores T-33 na década de 50 e o Peru é um deles. Todos os dezesseis T-33A da FAP vieram armados com 2 metralhadoras .50 e estiveram em atividade até o final da década de 70;

North American AT-6D Texan , matricula FAP450 - A partir de 1942 a FAP recebeu trinta e cinco T-6, sendo nove da versão AT-6B, onze AT-6D e quinze AT- 6F . Foram utilizados até outubro de 1968, e vários destes posteriormente foram doadas para a Fuerza Aérea Boliviana ;

Hawker HunterHawker HunterHawker HunterDassault Mirage 5P
Dassault Mirage 5PDassault Mirage 5PDassault Mirage 5PLockheed T-33ª

North American F- 86F Sabre , matrícula FAP180 - Quinze Sabres foram adquiridos em 1955 e utilizados até metade da década de 70 no 11 Escuadrón de Caza , em Talara, quando foram substituídos pelos Sukhoi SU22 Fitter;

Sukhoi SU-22A Fitter , matrícula FAP163 - Foi o primeiro avião de combate sul-americano de origem russa. A partir de 1977, nada menos que cinqüenta e quatro aviões (32 SU-22A, 4 SU-22E biplaces e 16 SU-22M, sendo 2 deles biplaces) foram adquiridos em dois lotes, tendo o ultimo entregue em 1979. Operaram em Talara e participaram no conflito contra o Equador em 1995. Recentemente os últimos remanescentes foram desativados e estocados;

Lockheed T-33ªLockheed T-33ªQueen AirBell UH-1N

3. Gate Guards:

North American NA50North American NA50Douglas DB8Douglas DB8

Duas raridades que participaram no conflito contra o Equador em 1941, estão preservados sobre pedestais;

North American NA-50 “Torito” , matrícula FAP 41-3 - Versão monoplace de caça do venerável T-6 Texan, foi o avião mais moderno durante a guerra contra o Equador em 1941. Sete deles foram adquiridos em 1939, operando na Escuadrilla 41 do XXI Escuadrón de Caza . Num deles, o de matrícula 41-2, tombou o Tenente Jose Abelardo Quiñónez, considerado um herói nacional, derrubado por um canhão antiaéreo Breda, de 20mm, equatoriano. O avião preservado permaneceu em serviço na FAP até a metade da década de 50 sob uma nova matrícula (FAP164), embora já tivessem sido substituídos pelos Curtiss 75 Warhawk a muito tempo;

Douglas DB8, matrícula FAP XXXI-I - Foram adquiridos dezoito DB8A-3P em 1938 que extensamente utilizados em combate em 1941 como aviões de ataque e reconhecimento fotográfico. Posteriormente treze DB8 adicionais, da versão DB8A-5, foram recebidos por lend-lease. Operaram na FAP até meados da década de 50;

A visita e fotos deste artigo foram devidamente autorizados previamente pelo Instituto de Estúdios Históricos Aerospaciales del Perú .

Serviço

Museo Aeronáutico de Peru

Endereço: Base Aérea Las Palmas

Avenida Jorge Chaves – Bairro Surco - Lima

www.incalad.com/museofap

Telefone: 51 01 247-6569

51 01 477-2575

Visitas: De 2ª a 6ª das 8:30 às 13:30hs

Entrada Franca

Museo del Ejército - Museo Histórico Militar Real Felipe

Localizado dentro da fantástica Fortaleza del Real Felipe, projetado pelo cosmógrafo francês Louis Godin, foi a maior fortaleza beira-mar construída pelos espanhóis no continente americano (ocupa uma área de 70.000m2). O início da construção foi em 1747 e a conclusão em 1774, participando em inúmeros combates, repelindo a frota rebelde de Lord Cochrane em 1819 quando ainda pertenciam aos espanhóis e utilizado para defesa do porto de Callao, na guerra contra o Chile no século XIX.

CKD LTPCKD LTPCKD LTPCKD LTP

Possui um extenso acervo, incluindo dezenas de peças de artilharia (talvez a maior coleção sul-americana), armas leves e blindados espalhados em diversas alas e nos pátios internos. Destacamos neste trabalho o acervo de blindados, cujos veículos preservados são os seguintes:

CKD/Tatra LTP ( L ehki T ank P eru ) - Adquiridos da Tchecoslováquia em 1935, eram blindados leves (7,3 toneladas) e modernos, armados com um canhão Skoda de 37,2mm e uma metralhadora MG-34 de 7,92mm. Foram utilizados em combate no conflito contra o Equador em 1941, quando doze deles (de um total de 24 adquiridos) foram embarcados no vapor “ Perene ”, escoltado por várias belonaves e enviado para o front norte. O restante dos blindados permaneceu em Lima para guarnecer a capital. Foram utilizados como apoio a infantaria no front de Chacras e Huaquillas em julho daquele ano. Provaram ser eficazes, entretanto o esperado confronto contra os canhões Breda equatorianos nunca aconteceu, pois os equatorianos só utilizaram armas leves tentando repelir os blindados.

M-20M-20M3A1 StuartM3A1 Stuart

Durante a II Guerra Mundial a Alemanha chegou a utilizar um blindado baseado nos CKD, o PzKpfw 38(T).

Existem bibliografias que citam a utilização dos CKD LTP pelo Peru até a segunda metade da década de 80, entretanto já na década de 70 era possível ver muitos preservados como monumentos, um deles no Parque de Las Leyendas – o zoológico de Lima. O museu possui dois LTP, com matrículas 515 e 516;

M20 Armored Utility Car – Versão do carro de combate M8 Greyhound, desprovido da torre com canhão de 37mm. O museu possui dois M20 em exposição, matrículas EP107 e 109, entretanto ambos tiveram o aro para a instalação da metralhadora Browning M2 retirados;

M3A1 StuartM4A3 ShermanM4A3 ShermanM4A3 Sherman
M4A3 ShermanM4A3 ShermanFiat 6616

M-3A1 Stuart - Um total de trinta Stuart foram recebidos durante a II Guerra Mundial através do programa lend-lease , e o museu possui um par deles, matrículas EP511 e 513;

M4A3 Sherman - Cinqüenta e um Sherman foram recebidos dos EUA em 1953 através do programa MDAP. Foram utilizados até o final da década de 70. Estão preservados 2 Sherman, matrículas EP150 e 161;

Fiat 6616Fiat 6616Peças de artilharia preservados no Museu del Ejercito PeruanoPeças de artilharia preservados no Museu del Ejercito Peruano
Peças de artilharia preservados no Museu del Ejercito PeruanoPeças de artilharia preservados no Museu del Ejercito PeruanoPeças de artilharia preservados no Museu del Ejercito PeruanoPeças de artilharia preservados no Museu del Ejercito Peruano

Fiat 6616 - É uma versão do blindado de transporte de tropas Fiat6614, equipado com ma torre armado com um canhão RH202 de 20mm e uma metralhadora 7,62mm. O Peru adquiriu um total de dez Fiat6614 e quinze Fiat6616, em 1981. O modelo preservado está desarmado e possui matrícula EP108.

Peças de artilharia preservados no Museu del Ejercito PeruanoPeças de artilharia preservados no Museu del Ejercito PeruanoCanhão Blackely exposto numa praça publica em CallaoCanhão Blackely exposto numa praça publica em Callao

Serviço

Museo del Ejército - Museo Histórico Militar Real Felipe

Endereço: Fortaleza Real Felipe

Callao (cidade portuária anexa a Lima)

www.ejercito.mil.pe/ejercito/tradicion/fortaleza_felipe.htm

Telefone: 51 01 465-8394

51 01 429-0532

Visitas: Aberto diariamente das 9:00 às 16:30hs

Entrada: U$3,50

Museo de la Fuerza de Submarinos

A força de submarinos do Peru é a mais antiga da América Latina, sendo que o primeiro submarino foi recebido em 1879: o “ Toro ”, projetado por Frederico Blume, com propulsão submersa por 8 tripulantes que giravam um eixo com hélice na extremidade e previa ser armado com 4 torpedos Lay modificados. Foi projetado para ser utilizado na Guerra contra o Chile, mas não passou da fase de testes. Posteriormente, em 1911, adquiriu 2 submarinos de 290 toneladas de deslocamento na superfície dos estaleiros Schneider Creusot, na França : o “ Ferre ” e o “ Palacios ”; e hoje conta com uma das maiores frotas de submarinos da América do Sul.

Submarino “Abtao”Submarino “Abtao”Submarino “Abtao”Submarino “Abtao”

O museu é localizado num píer, com o submarino “ Abtao ” atracado e aberto para visitação. As visitas são guiadas por ex-submarinistas que inicialmente encaminham a uma sala de projeção aonde é exibido um documentário sobre a frota atual (o filme é antigo e apresenta alguns submarinos já desativados como o “ Pachocha ”, da classe Guppy I, entretanto é muito interessante). Existe também um out-door ilustrando todos os submarinos que a Marina de Guerra del Peru operou.

SUBMARINO “ ABTAO

O Peru encomendou nos Estados Unidos a partir de 1952, quatro submarinos novos da classe “ Sierra ” derivados da classe “ Mackerel ”, com deslocamento na superfície de 825 toneladas, propulsados por 2 motores GM 278A diesel e equipados com 6 tubos lança-torpedos na proa e 4 na popa, ambos para torpedos de 533mm. Estiveram ativos até 2001 e durante o serviço na marinha peruana foram rebatizados e tiveram as matrículas alteradas três vezes:

Denominação Inicial

Denominação

após 1957

Matrícula

Inicial

Matrícula

de 1959 a 1960

Matrícula

após 1960

“TIBURÓN”

“ABTAO”

5

SS2

42

“ATUN”

“ANGAMOS”

6

SS1

43

“LOBO”

“2 de MAYO”

7

SS3

44

“MERLIN”

“IQUIQUE”

8

SS4

41

Uma curiosidade: dois deles, o “ Abtao ” e o “ 2 de Mayo ”, eram equipados com um canhão de 127mm com 25 calibres atrás da vela no convés. Provavelmente foram os últimos submarinos fabricados em todo mundo equipados com um canhão no convés.

Canhão de 127mm no convés do “Abtao”Sala de torpedo da popa do “Abtao”Sala de torpedo da popa do “Abtao”Sala de torpedo da popa do “Abtao”

A visita ao submarino inicia-se pela popa, passando por todos os compartimentos e apesar deste submarino ser pequeno (comportava uma tripulação de 40 pessoas), dispunha de mais conforto do que os seus antecessores das classes “ Gato ”, “ Trench ” ou “ Balao ”, muitos deles operados pelos países sul-americanos incluindo o Brasil.

Corredor do “Abtao”Ponte de Comando do “Abtao”Refeitório do “Abtao”Cozinha do “Abtao”
Sala das Máquinas do “Abtao”Sala de Torpedo da Proa do “Abtao” durante representação de um incêndio a bordo num combate.Passagem para a parte superior da vela do “Abtao”Um visitante no porto de Callao : a Fragata “Regina”(Classe Halifax) da Marinha Canadense

A visita termina com uma simulação de um combate naval, e acreditem, um incêndio à bordo com som,luz e muita fumaça gerada por gelo seco!

Serviço

Museo de la Fuerza de Submarinos

Endereço: Av Jorge Chavez, pier em frente ao Museo Naval

Callao (cidade portuária anexa a Lima)

Telefone: 51 01 420-0025

Entrada: U$ 3,50

Outros Museus

Lima possui outros museus militares, os quais podem destacar:

Museo Naval

Possui um vasto acervo histórico, incluindo partes de antigas naus do século XIX.

Endereço: Av. Jorge Chavez 1243 - Callao

Telefone: 51 01 429-7278

Museo de la Aviación Naval

Conta com um acervo de fotos e maquetes de aviões, bem como um S-2E Tracker e um Turbo Mentor da Aviacion Naval preservados.

Visitas restritas aos militares da marinha peruana (acreditem se quiser!).

Endereço: Av. Faucett ( anexo ao Aeroporto Internacional Jorge Chavez)

Telefone: 51 01 575-1097

Dicas para Spotters

Fotografar aviões militares peruanos não é uma tarefa muito fácil, entretanto para os que viajarem a Lima de avião, recomendamos sentar no assento da janela esquerda quando chegarem e principalmente no assento da janela do lado direito do avião e longe da asa ao decolarem do Aeroporto Internacional Jorge Chavez (exijam estes assentos!!!). Todos os vôos pousam e decolam num só sentido da pista e o avião (principalmente antes de decolar) passa rente aos aviões do Grupo Aéreo Nº3 e Nº8 da FAP: helicópteros Mil Mi-8, Mi-17 e Mi-26; aviões raros como Ilyushin Il-103, Antonov An-26, PZL Skytruck do Ejército del Peru e outros da FAP como C-130 Hercules e Douglas DC-8-62CF, possibilitando fotografá-los mesmo sem dispor de zoom potente.

DC-8 da FAPHelicopteros  Mil da FAPHelicopteros  Mil da FAPHelicopteros  Mil da FAP
IL 103 do Ejercito PeruanoAntonov AN26 do Ejercito PeruanoPZL Skytruck e helicópteros Mil 17 do Ejercito PeruanoBoeing 737 da FAP
Lockheed Hercules encasulado aguardando verbas para reforma
blindado BRDM2 da FAP
blindado BRDM2 da FAP

Para os interessados em blindados é possível fotografar com discrição ( na verdade não é permitido) , um GAZ BRDM-2 da FAP, que fica na entrada da Base Aérea de Las Palmas.

Para melhor exemplificar, em anexo seguem fotos do BRDM-2 e dos aviões militares do Aeroporto Internacional Jorge Chavez fotografados em duas épocas (2005 e 2007).

Agradecimentos

Os autores agradecem as pessoas abaixo relacionadas que possibilitaram a visita no Museu Aeronáutico de Peru , isentando-os da responsabilidade todas as opiniões e informações deste texto.

•  Amaru Tincopa – Pesquisador aeronáutico do Peru;

•  Sergio de la Puente – Pesquisador Aeronáutico do Peru;

•  Gen Av Rsv José Slatar Stambuk – Diretor do Instituto de Estúdios Históricos Aerospaciales del Peru;

Bibliografia

ANDRADE, John. Latin-American Military Aviation . London , UK : Midland Publications, 1982.

ARANA, Humberto Araujo. Antecedentes y Choques Fronterizos, Ocupacion y Desocupación Peruana del Território Ecuatoriano em 1941-1942 . Lima, Peru: Editorial Fidel Ramirez Lozo, 1969.

HAGEDORN, Daniel. Latin American Air Wars and Aircraft 1912-1969 . London , UK : Hikoki Publications, 2006.

INSTITUTE FOR STRATEGIC STUDIES. The Military Balance 1981/82 . London , UK : Oxford Press, 1982.

The Military Balance 2000/01 . London , UK : Oxford Press, 2001.

JANE'S INFORMATION GROUP. Jane's Fighting Ships 1971-72 . London, UK: Sampson Low, 1971.

 

Last Updated on Monday, 17 March 2008 00:59
 

Translate

Browse this website in:

Busca Rápida
Serial
(FAB, MB ou EB)


Copyright © 2018 Base Militar Web Magazine. All Rights Reserved. Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.