FAB incorpora três helicópteros russos Print
Written by Administrator   
Saturday, 24 April 2010 00:00

Compra formalizada em 2008 inclui outras 9 unidades que devem ser entregues até o fim de 2011, além de um pacote de equipamentos bélicos

 

Os três primeiros helicópteros MI-35 que o Brasil comprou da Rússia já estão incorporados à frota da Força Aérea Brasileira (FAB). Outras nove unidades devem ser entregues até o final de 2011. Além dos 12 helicópteros, cuja compra foi formalizada em outubro de 2008, o Brasil adquiriu um pacote de armamentos e suprimentos para manutenção por cinco anos.

Segundo o jornal russo Pravda, a importação das aeronaves quebra uma série de "tabus". Trata-se dos primeiros equipamentos bélicos comprados da Rússia pelo Brasil, e também os primeiros helicópteros da FAB desenhados especificamente para situações de combate - os que hoje estão em ação são modelos civis adaptados.

No Brasil, os helicópteros serão chamados pela FAB de AH-2 Sabre. No último sábado, o ministro Nelson Jobim participou da cerimônia de "batismo" das aeronaves, na Base Aérea de Porto Velho, em Rondônia.

Contrapartida

Jobim destacou que a Rússia, como contrapartida à compra de armamentos, fará uma série de investimentos no Brasil. Serão instaladas no País oficinas de manutenção de aeronaves que poderão prestar serviços para outros vizinhos sul-americanos, como Peru, Venezuela e Colômbia. Jobim disse ainda que haverá transferência de tecnologia em simuladores de voo.

O governo pretende utilizar os helicópteros principalmente no patrulhamento armado das fronteiras na Amazônia, segundo o Ministério da Defesa.

Os helicópteros podem transportar até oito soldados, além de 1.500 quilos de armas - mísseis, foguetes e bombas - ou 2,5 toneladas de cargas. Toda a seção inferior é revestida com placa bimetálica resistente a tiros e impacto equivalente ao calibre .50 ou granadas. Sob a fuselagem, na seção dianteira, uma torre abriga um canhão russo de alta velocidade de 23 milímetros.

'Tanques voadores' vão dar poder de fogo maior à FAB

O advento dos "tanques voadores" MI-35 russos na frota de combate da Força Aérea Brasileira (FAB) dá a aviação militar maior poder de fogo e agilidade para exercer na linha das fronteiras o poder de polícia que recebeu, com atraso, em 2009. O mandato jurídico complementa a Lei do Tiro de Destruição, que permite à FAB abater aeronaves hostis ou envolvidas em ações ilícitas. O A-H2 Sabre, como foi rebatizado, é uma notável plataforma de ataque ao solo, com eficiência comprovada em operações antiguerrilha e contra alvos móveis em terra, blindados e embarcações leves principalmente.

 Fonte: