China tem planos para cinco porta-aviões PDF Print E-mail
Tuesday, 18 January 2011 00:00

 

 

 
China tem planos para cinco porta aviões

O Exército de Libertação Popular da China (People's Liberation Army - PLA) está reunindo as capacidades básicas e de produção para de fazer seu programa de porta-aviões um dos maiores esforços militares da Ásia.

Uma projeção plausível no curto prazo para as ambições da China por porta-aviões foi revelada em 2009, em dois artigos no jornal japonês Asahi Shimbun, que contou com raro acesso a fontes chinesas militares e da construção naval. As fontes sinalizaram que a China iria construir primeiro dois porta-aviões não-nucleares de tamanho médio, semelhantes ao porta-aviões ucraniano-soviético Project 1143.5 Varyag, de 50.000 toneladas, que está sendo reconstruído em num estaleiro no porto de Dalian. Esses porta-aviões devem iniciar a sua fase inicial de construção em 2009. Começando em 2020 ou logo após, viriam dois porta-aviões de mais de 60.000 toneladas e propulsão nuclear, baseados na classe Project 1143.7 Ulyanovsk, de design soviético, porém jamais construído. Isto significaria uma provável esquadra de cinco porta-aviões na década de 2020, incluindo o Varyag, que entrou em uma fase de acelerada reconstrução em 2009. o trabalho em torno deste porta-aviões também está servindo para criar as infra-estruturas de desenvolvimento e produção para as futuras embarcações. Desde meados de 2005, a reconstrução do Varyag vem sendo documentada por imagens de dezenas de fãs dos assuntos militares chineses em dezenas de páginas web.


Em abril de 2009, o Varyag foi movido de seu ancoradouro em Dalian para um dique seco nas proximidades. Ao redor do dique seco, estão grandes hangares de construção de módulos de navio, a partir dos quais as próximos porta-aviões podem vir a emergir. Em abril de 2010, o navio estava ancorado fora do dique seco. Desde a mudança, o casco sofreu um processo de desmagnetização, provavelmente em preparação para a instalação do agora visível novo conjunto de sistemas eletrônicos navais.  Esse conjunto inclui quatro antenas para o radar "phased array" e para o novo radar de antena rotativa, ambos desenvolvidos na China. Espaços para equipamentos destinados à guerra eletrônica são visíveis.

Um modelo "sinicizado"(*) de um porta-aviões assemelhado ao Varyag, construído em 2003 por estudantes do Harbin Technology Institute, que cuida do desenvolvimento do porta-aviões, indicou que ele poderia carregar o armamento fixo de mísseis de cruzeiro antinavio pesado YJ-63 , mísseis superfície-ar (Surface-Air Missiles - SAM) verticalmente lançados e Sistemas de Armas de Defesa Próxima (Close-in Combat Systems - CIWS) Type 730, de 30 mm.

A "air wing"(**) do Varyag torna-se visível. Fontes chinesas da internet relataram que o primeiro vôo do cópia do Sukhoi Su-33 feita pela Shenyang Aircraft Corp, ocorreu em agosto de 2009, e no início de 2010 imagens e um vídeo também da internet confirmaram que a Shenyang tinha conseguido copiar o Su-33. Desde 2005 fontes russas insistiram a este escritor que a China não poderia copiar o Su-33, já que ele era uma alteração radical do modelo Su-27SK. Até 2009, essas fontes anteciparam que a China iria comprar um lote de Su-33 atualizados, enquanto desenvolvia sua própria versão de design chinês com o turbofan WS-10A . Em 2010, uma fonte na Asia disse que o PLA não estaria satisfeito com suas cópias de Su-33, e consideraria novamente comprar a versão construída pela Sukhoi. Desde 2005, as negociações foram retardadas pela insistência da Rússia que a China comprasse um número rentável de caças, cerca de 40 células.

Espera-se agora que a Shenyang irá aperfeiçoar a sua cópia do Su-33, que ira apresentar a mais recente versão de design chinês de um radar "Phased Array", os novos mísseis ar-ar de 5ª geração  e mísseis antinavio de longo alcance, tais como a versão lançada a partir do ar do YJ-63, com um alcance de mais 600 km (Mi 373). O Varyag pode, assim, iniciar a sua operação com um caça multifunção mais capaz, em alguns aspectos, do que o Boeing F/A-18E/F.

Em 2010, imagens da Internet aparentavam retratar o que seria uma nova antena de um radar aéreo de alerta e controle (airborne early-warning and control - AEW&C) do tamanho necessário para ser usado num porta-aviões.  Isto segue uma imagem de 2005 parcial de um avião AEW&C movido à turbina. Em outubro de 2009, surgiram, na internet, imagens de um possível radar AEW&C retrátil em um helicóptero Z-8 chinês, que pode fazer parte da "air wing" inicial.

O PLA também está construindo navios de escolta para a sua esquadra de porta-aviões. No Outono de 2009 verificou-se que dois estaleiros chineses estavam construindo duas novas classes de destróieres, mas as suas configurações e equipamentos ainda não são aparentes. Espera-se que o PLA construa até um total de 18 fragatas modernas de defesa aérea do Tipo 065A. Dois novos submarinos nucleares de ataque (SNA) do Tipo 093 foram construídas, e um SNA do Tipo 095, mais capaz, é esperado.

Quando entrar em operação, por volta de 2015, o Varyag e seus irmãos, além de escoltas, devem ficar localizados em uma base naval recentemente construído perto de Sanya, na ilha de Hainan.

(*)N.T.:"sinicização" seria o ato de fazer uma versão adaptada chinesa de um produto, método ou hábito "ocidental"

(**)N.T.: Air Wing, grosso modo, é a denominação do conjunto das aeronaves (de asa fixa e de asa rotativa) e das manobras que realizam em operações de suporte às missões desempenhadas por porta-aviões. 

Tradução: Felipe Medeiros

Fonte: Aviation Week 

Last Updated on Wednesday, 19 January 2011 02:49
 

Translate

Browse this website in:

Busca Rápida
Serial
(FAB, MB ou EB)


Copyright © 2019 Base Militar Web Magazine. All Rights Reserved. Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.