Thales critica EADS sobre A400M Print
Written by Administrator   
Thursday, 26 February 2009 00:00

 

 

Presidente da Thales se Recusa a dar à EADS Mais Dinheiro para o A400M

Sexta-Feira, 27 Fev '09 

Ele Acusa o Consórcio Esconder Verba

Se a EADS esperava ser salva por seus acionistas no caso do turbohélice A400M da Airbus Military que se encontra muito atrasado e com custos bem acima do previsto... é melhor que ela repense suas esperanças.  

A Agência Reuters reportou que o grupo eletrônico Thales recusou-se nesta quinta-feira realiza qualquer contribuição adicional ao programa em problemas. A Thales – um membro do programa A400M – passou então ao surpreendente passo seguinte de acusar a EADS de esconder fundos no mesmo momento em que pede mais dinheiro dos demais associados. 

Como a ANN relatou anteriormente, em janeiro a EADS e a Airbus Military anunciou um novo  rumo para o muito atrasado programa militar A400M dizendo às nações associadas que elas devem convergir para descobrir “uma saída" para a aeronave problemática. Sem este auxílio e mais divisão de riscos entre as aeronave a construção do avião seria uma “missão impossível” agregou a EADS. Este tipo de argumentação não convenceu o presidente da Thales Denis Ranque.

Quando perguntado se sua companhia planejava ajudar o programa, ele, de forma franca, respondeu: "de forma alguma." Ranque então acusou a EADS de embolsar o dinheiro recebido dos clientes do avião. "A EADS guardou todo o dinheiro. Eles estão sendo financiados como um programa militar, mas nós estamos sendo financiados como um programa civil" disse Ranque. "Nós não recebemos nenhuma verba da EADS." A EADS recusou-se a comentar as declarações de Ranque. 

Vários dos mais recentes problemas do A400M – que se encontra em desenvolvimento a cerca de 20 anos – derivam dos motores turbohélices do avião... e não com os sistemas eletrônicos criados pela Thales. A companhia reconheceu no ano passado um prejuízo de 80 milhões de Euros no ano passado por razões ligadas a este programa militar; em janeiro, Ranque despediu um executivo da Thales encarregado de programas aeroespaciais principalmente devido aos problemas com o A400M. 

 

No atual clima econômico, as chances da EADS conseguir obter mais dinheiro de seus parceiros de risco parecem mínimas. Na realidade o congresso britânico já discute a possibilidade de abandonar por completo o programa.

 

 Fonte: http://www.aero-news.net/index.cfm?contentBlockId=5dfab0f7-fbb6-43c2-938c-340b5940be20  

Texto no original:

Thales CEO Refuses To Give EADS More Money For A400M

Fri, 27 Feb '09 

Accuses Consortium Of Hoarding Cash

If EADS hoped to receive a bailout of its own, on the delay-plagued and massively overbudget Airbus Military A400M turboprop... it had better think again.   

Reuters reports electronics group Thales ruled out Thursday making any additional financial contributions to the troubled program. Thales -- a partner on the A400M project -- then took the added step of accusing EADS of hoarding cash, even as it begs for new funds from others. As ANN reported, in January EADS and Airbus Military announced a "new approach" for the oft-delayed A400M military program... telling its partner nations they must join together to "find a way forward" with the trouble-plagued aircraft. Without such help and risk-sharing among A400M partner companies, building the aircraft is "mission impossible," EADS added. Such rhetoric has not swayed Thales CEO Denis Ranque. When asked whether his company planned to help out the program, he bluntly replied "absolutely not." Ranque then accused EADS of keeping the money it has garnered from customers for the plane.  "EADS has kept all the cash. They are being financed like a military program but we are being financed like a civil program," Ranque said. "We have not received any cash from EADS." EADS declined to comment on Ranque's statements. Many of the most recent problems with the A400M -- in development in some form or another for close to 20 years -- stem from the plane's turboshaft engines... and not with the electronic systems designed by Thales. The company took an 80 million Euro hit last year on charges related to the military program; in January, Ranque fired a Thales executive in charge of aerospace programs, largely due to problems with the A400M. In the current economic climate, the chances of EADS collecting more money from risk-sharing partners seem bleak. In fact, the British parliament has talked of pulling that country's support from the program altogether

Last Updated on Tuesday, 17 March 2009 08:44