F-35B STOVL Ultrapassa Requerimento de Empuxo Vertical PDF Print E-mail
Written by Administrator   
Monday, 18 May 2009 02:56

F-35B STOVL Ultrapassa Requerimento de Empuxo Vertical

24 Abril 2009

Fort Worth, Texas – O jato de 5a. geração F-35B Lightning II, em sua versão de Decolagem Curta e Pouso Vertical (STOVL em inglês) - encomendado pelos Fuzileiros Navais americanos, entre outros - demonstrou recentemente que dispõe de empuxo vertical mais do que suficiente para executar suas missões.  Os testes conduzidos em um “hover pit” (poço) também validaram seus sistemas de controle, software, gerência de aquecimento, e claro, os sistemas de pouso e decolagem verticais.

“O nível de desempenho medido foi absolutamente excepcional.” Diz J.D. Mc Farlan, chefe da divisão de veículos aéreos do projeto do F-35.  “Pudemos demonstrar um empuxo vertical de 41.100 libras mais do que os 40.550 estipulados.  Isto significa que entregaremos um sistema que tem uma excelente margem de empuxo para as decolagens curtas e para os pousos verticais aos clientes do F-35B.” Estes clientes são os Fuzileiros Navais americanos, a Marinha Inglesa (Royal Navy), Força Aérea Inglesa (RAF) e a Marinha e Força Aérea Italiana.

O F-35B é equipado com um motor Pratt & Whitney F135 que opera em conjunto com um “lift-fan” Rolls-Royce. O F135 é hoje a mais poderosa turbina já instalada em um caça. 
Durante o teste no poço, o jato é ancorado a uma grade de metal medindo 4,3 m sobre uma estrura de concreto inclinado, separando o jato do efeito do chão, emulando um vôo no ar livre.  Sensores medem o empuxo e a resposta aos comandos do piloto.  O teste também demonstra o controle das portas associadas ao STOVL, assim como entrada de ar auxiliar, entrada do fan superior, a saída inferior, e portas que abrem sob o duto dobrável do motor Rolls Royce que articula o empuxo vetorizado.  Em outros testes, placas metálicas são instaladas sobre a grade do poço habilitando os engenheiros a observar e mapear o escape de gases do sistema de propulsão.

O teste demonstrou a operacionalidade de todos os sistemas requeridos para o vôo vertical, e mediu as forças e os momentos da aeronave durante uma operação STOVL.  O poço de testes é a ultima bateria de testes antes que testes reais de vôo STOVL comecem.

“Demonstramos performances críticas como os angulos efetivos de vetoração do empuxo, tempo de resposta dos controles, movimentos de inclinação, rolamento e guinada e outros movimentos” diz Doug Pearson, vice-president do grupo de testes integrados do F-35.  “Cada uma das medições de correlaciona diretamente com os modelos computadorizados.  A performance explêndida do STOVL nos dá plana confidência para começarmos imediatamente com os testes reais em vôo na basse aeronaval de Patuxent River, no estado de Maryland, ainda neste verão.”

O F-35B é a primeira aeronave “stealth” (furtivo a detecção) a combinar capacidades STOVL com velocidade supersônica. Os caças da família F-35 são supersônicos multi-funcionais de 5a. geração e “stealth”. Os três variantes do F-35 foram derivadas de um mesmo projeto/design, desenvolvidos simultaneamente e usando a mesma infra-estrutura mundial, prevendo a subtituição de nada menos que 13 tipos de aeronaves diferentes em 11 países (até o momento), fazendo deste o programa de caça mais sustentável da história.

A fabricante Lockheed Martin é uma gigante da industria de defesa mundial, com base em Bethesda, no estado de Maryland, e emprega 146.000 profissionais no mundo inteiro, e seu leque de produtos e serviços inclui, além de aeronaves, a pesquisa, desenho, desenvolvimento, integração e manutenção de avançados sistemas tecnológicos para defesa, com uma receita de 42,7 bilhões de Dólares em 2008. 

Tradução: Edson Chen

Fonte:http://www.air-attack.com/news/article/3678/Lockheed-Martin-F-35B-Exceeds-STOVL-Thrust-Requirement.html

 

Translate

Browse this website in:

Busca Rápida
Serial
(FAB, MB ou EB)


Copyright © 2019 Base Militar Web Magazine. All Rights Reserved. Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.