Ministro diz que Brasil apoia plano de paz da ONU para Síria PDF Print E-mail
Written by Administrator   
Monday, 04 June 2012 11:27

 

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, afirmou neste sábado (2) que o Brasil dá apoio "inequívoco" ao enviado especial da Organização das Nações Unidas (ONU) à Síria, Kofi Annan, na posição contrária à intervenção militar naquela região. Ao ser perguntado sobre uma suposta posição dos Estados Unidos de que o apoio brasileiro a plano de seis pontos de Kofi Annan seria insuficiente, ele disse que essa interpretação é um "mal entendido". O plano de seis pontos exige uma trégua, retirada das tropas das cidades e um diálogo entre o governo e a oposição, não conseguiu parar os conflitos que se estendem por 14 meses na Síria, e que deixaram milhares de mortos. "O apoio do Brasil ao plano de Kofi Annan talvez seja superior do que o dos Estados Unidos. [...] Temos dado apoio inequívoco. Kofi Annan também é contra a militarização do conflito da Síria, contra a intervenção. O apoio brasileiro ao Kofi Annan é o mais integral possível", afirmou o ministro no Rio de Janeiro, onde concedeu uma coletiva de imprensa com o chanceler da Venezuela, Nicolás Maduro Moros. Também neste sábado Kofi Annan disse , em reunião com membros da Liga Árabe, em Doha, no Qatar, que o risco de uma "guerra total" na Síria "aumenta dia após dia". Antonio Patriota citou ainda uma entrevista concecida a "O Globo" pelo brasileiro Paulo Sérgio Pinheiro - que integra a Comissão da Verdade para apurar as violações de direitos humanos na ditadura militar -, indicado pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU para presidir a comissão encarregada de investigar o massacre na cidade síria de Houla, onde mais de 100 civis foram mortos em 25 de maio. "Tem essa circustância de um brasileiro ser a pessoa indicada para investigar, esse próprio brasileiro, um perito independente do governo, tendo falado na hipótese de militarização como catastrófica na Síria", afirmou o ministro. Rio+20 O ministro Antonio Patriota confirmou ainda que o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, virá ao Brasil para participar da Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, no Rio de Janeiro, que acontece entre 13 e 22 de junho. A informação já havia sido dada pelo embaixador André Corrêa do Lago, negociador-chefe da delegação brasileira na Rio+20. Ahmadinejad deve participar da fase final do encontro, entre 20 e 22 de junho, com outros chefes de Estado. Patriota também minimizou as ausências dos presidentes dos EUA, Barack Obama, e da Alemanha, Angela Merkel. "Apesar de as delegações não serem chefiadas pela chanceler e pelo presidente, eles estarão participando ativamente. Nós não distinguiremos delegações chefiadas por chefes de Estado."

Fonte: G1

 

Translate

Browse this website in:

Busca Rápida
Serial
(FAB, MB ou EB)


Copyright © 2021 Base Militar Web Magazine. All Rights Reserved. Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.