Custo sobe nos primeiros Littoral Combat Ships PDF Print E-mail
Written by Administrator   
Monday, 08 June 2009 13:51

  

 

Estimativas de custo sobem para os primeiros Littoral Combat Ships

 

 

O custo previsto para o primeiro dos Littoral Combat Ships da Marinha Americana subiu modestos US$6 milhões ao longo do último ano, mas o preço final para completar o segundo aumentou em US$68 milhões, colocando este navio além da barreira dos US$700 milhões, mostram os documentos orçamentários do Pentágono.

 

O preço para construer equipar e entregar o Freedom (LCS 1) agpra está na casa dos US$637 milhões, um aumento em relação à estimativa US$631 milhões do ano passado. O navio foi entregue à Marinha em setembro último e comissionado em novembro, mas o construtor Lockheed Martin ainda estará envolvido na tarefa de completar o navio de guerra até meados de 2009, conforme previsto.

O preço final para o Independence (LCS 2), no entanto, está previsto na US Navy em US$704 milhões, além do valor do ano passado de US$636 milhões. O navio ainda se encontra em construção no estaleiro Austal USA, em Mobile, no estado do Alabama, sob contrato da General Dynamics. Os testes iniciais de mar devem ocorrer no meio deste ano, com sua entrega à Marinha Americana no fim do ano.

 

A maior parte do aumento do custo no LCS 2 está concentrada na rubrica Custos Básicos de Construção, de acoredo com os documentos de justificativa orçamentária que acompanharam o pedido de orçamento de defesa de 2010 enviado ao Congresso Americano no dia 7 de maio.

 

“Custos Básicos” é uma das diversas subcategorias usadas na determinação do custo final dos navios. Outros incluem: pedidos de alteração [“Change Orders”, no original Ed.], Equipamento Fornecido pelo Governo e “Outros”. Juntas, estas categorias compõem o Custo Total Final. Para chegar a este número, a marinha adicionou os custos de equipagem e os custos pós-entrega. Nos navios cabeça de série como os LCS 1 e LCS 2, também devem ser pagos o projeto final dos sistemas e os custos de integração dos sistemas de missão. Não houve nenhum aumento nestas rubricas desde o ano passado.

A Marinha não respondeu até a data de publicação as perguntas sobre a razão pela qual o custo do LCS 2 aumentou mais do que  9% ao longo do ano passado.

 

O custo previsto para cada LCS tem sido um critério básico neste programa desde 2004, quando a US Navy afirmou que cada navio custaria US$220 milhões — um valor relativamente baixo numa marinha onde os novos destróieres custam mais de US$1 bilhão cada.

 

O baixo custo é um dos pilares do plano de compra de 55 LCS pela US Navy, ou, cerca de um sexto da “Marinha de 313 navios”. O programa previa uma competição para a construção de dois bem diferentes tipos de LCS: um monocasco feito em aço e alumínio, projetado pela Lockheed Martin, e um trimaran, 100% feito em alumínio, da General Dynamics — e em um ponto não determinado a US Navy selecionaria apenas um dos modelos em disputa.

 

Pas o programa de desenvolvimento acelerado rapidamente esbarrou nas limitações de crescente regulamentação dos construtores, re-projetos e na inexperiência dos contratados. A Marinha Americana revelou no início de 2007 que os custos tinham explodido em ambos os programas industriais. Antes de serem contabilizados estes aumentos dos custos, a US Navy admitiu custo do LCS 1 atingira US$293 milhões e o do LCS 2 chegou a US$297 milhões — números que mais do que duplicaram em um ano.

 

Correndo para controlar a expansão dos custos, A US Navy tentou renegociar os contratos de construção com cada uma dos principais contratados, de uma estrutura “cost-plus” (custo mais margem fixa) para um contrato de preço fixo, mas ambos os estaleiros recusaram as exigências da Marinha para que aceitassem tanto risco em projetos ainda não testados. As negociações fracassaram, e a Navy em 2007 cancelou os contratos para a construção do segundo navio de cada modelo. A aquisição dos navios subsequentes foi adiada para poder permitir os aumentos de custo dos primeiros dois.

 

A  US Navy recentemente tentou re-colocar o programa de volta no trilho, e em março um contrato para o LCS 3 foi concedido à Lockheed Martin, seguido, em maio, por um pedido do LCS 4 entregue à General Dynamics.

 

Estranhamente, a força não revelou o preço que estava pagando por estes dois novos contratos do LCS, citando uma “competição” por três navios adicionais solicitados no orçamento de defesa de 2010. Propostas dos dois estaleiros para construir estes navios, disse a Marinha Americana, irá incluir informações de preço dos navios de 2009, e as regras federais para aquisições proíbem a divulgação de dados dos competidores.

 

Mas a natureza da competição, de acordo com fontes de alto nível dentro da Marinha, mudou. O serviço agora planeja comprar ambos os designs, que terão características complementares — o LCS 1 é ágil e tem um casco robusto de aço, enquanto o LCS 2 tem um volume interno muito maior  e um convôo de maior porte.

 

“A US Navy não está mais planejando tomar um decisão por um único modelo” disse no dia 15 de maio à imprensa, o principal comprador de armamento da US Navy, Sean Stackley.

 

“Agora temos uma concorrência em andamento para três navios noano de 2010. Estamos usando todas as ferramentas que dispomos para determinar como poderemos baixar estes custos.”

 

No entanto, Stackley recusou dizer quais são os objetivos de custos da US Navy para os LCS, apenas citando o valor teto imposto pelo congresso americano de US$460 milhões por navio

 Fonte: navytimes
Last Updated on Monday, 08 June 2009 15:57
 

Translate

Browse this website in:

Busca Rápida
Serial
(FAB, MB ou EB)


Copyright © 2021 Base Militar Web Magazine. All Rights Reserved. Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.