TAM pede mil voos extras durante a Copa PDF Print E-mail
Written by Administrator   
Wednesday, 15 January 2014 18:56

 

A TAM solicitou à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) mil voos extras para atender à demanda durante a Copa do Mundo, entre junho e julho deste ano. A empresa informou que o
investimento para operar os voos extras será de pelo menos R$ 50 milhões e as contratações temporárias vão totalizar cerca de mil pessoas.

Segundo a TAM, a malha aérea entre junho e julho deverá sofrer uma mudança temporária substancial, especialmente as operações relacionadas às cidades-sede do mundial. Como exemplo, a companhia cita Brasília, que passará de 83 voos diários para 96, e Rio de Janeiro, que aumentará de 100 voos diários para 112.

A TAM também quer reforçar seus voos internacionais no período, com outros 200 voos adicionais. "Além de transportar os passageiros dentro do Brasil, a TAM reforçará a sua operação para trazer os turistas estrangeiros", afirmou, em nota, a presidente da aérea, Claudia Sender.

Procurada pelo Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, a Gol informou que só vai se pronunciar a respeito de sua malha aérea para a Copa do Mundo após o anúncio da Anac sobre as solicitações da companhia.
Ao contrário de Avianca e Azul, que definiram um teto de R$ 999 para as passagens, a TAM disse somente que seus preços durante a Copa serão competitivos e acessíveis.

 

TAM Cancela Rota Rio Londres e Causa Revolta de Secretário do Rio de Janeiro

 

O carioca não poderá mais ir à Europa em companhias aéreas nacionais em voos diretos. Na contramão das empresas estrangeiras que ampliam seus voos na cidade, a TAM anunciou nesta segunda-feira que cancelará a rota Rio-Londres. Esta é a quarta linha internacional que a empresa aérea - que se fundiu com a chilena LAN, criando a Latam - suspende a partir do Galeão em menos de um ano. Em agosto, a companhia já havia cancelado os voos para Paris e Frankfurt. Com o fim do voo para a Inglaterra, não há mais nenhuma rota direta em companhia nacional entre o Rio e a Europa. A empresa também suspendeu a linha do Rio para Montevidéu, no Uruguai, no dia 1º de janeiro deste ano. Além disso, o voo para Santiago, feito antes em bandeira nacional, agora só é realizado com a marca LAN.

De acordo com nota da empresa aérea, a rota entre Rio e Londres, que tinha três voos semanais, deixará de ser atendida no dia 17 de março. A empresa indica aos passageiros a possibilidade de ir à Inglaterra por meio do voo diário da companhia entre São Paulo (Guarulhos) e Londres. A British Airways, contudo, mantém voos diretos entre o Rio e Londres. De acordo com a TAM, a suspensão visa a “aumentar a taxa de ocupação e a rentabilidade dos seus voos internacionais”. Procurada, a empresa informou que não teria nenhum porta-voz disponível para comentar o cancelamento dos voos do Rio.

Opções para remarcar voos

Após a derrocada da Varig, a empresa chegou a fazer campanhas para se colocar como a “empresa aérea carioca”, criando diversas rotas internacionais a partir da cidade, inclusive o o o voo para Londres, em 2010. “Os clientes que haviam adquirido passagens para viagens nessa rota, a partir de 17 de março, devem entrar em contato com a Central de Vendas, Fidelidade e Serviços, nos telefones abaixo, para fazer a troca dos voos ou solicitar o reembolso integral dos bilhetes. Ligação no Brasil: 4002 5700 (capitais) ou 0300 570 5700 (demais localidades) e, na Inglaterra: 44 (0) 208 741 2005", afirma a nota.

A TAM, contudo, afirmou que a suspensão da rota ainda não será definitiva: o voo entre Rio e Londres será retomado durante o período da Copa do Mundo, para, então, ser cancelado definitivamente. “Para atender à alta demanda prevista para os meses de junho e julho, a companhia prevê retomar as três frequências semanais que existem atualmente entre o Rio de Janeiro e Londres. Esses voos começarão no dia 3 de junho e prosseguirão até 19 de julho, ligando diretamente as duas cidades”, afirmou a companhia. A TAM manterá, porém, voos diretos do Rio para Buenos Aires, Miami e Nova York, todos com frequências diárias.
Para Paulo Fleury, diretor do Instituto de Logística e Supply Chain (Ilos), o cancelamento da rota é muito ruim para a cidade, para o turismo e para a economia brasileira.
- Isso demonstra que a TAM, desde que foi comprada pela LAN, passou a ser apenas uma divisão da companhia aérea chilena. E o Rio fica afetado. Para a maior parte dos turistas, o voo é um momento de tensão, e as pessoas pensam duas vezes antes de ir para um lugar em que tenham de fazer escalas - disse o especialista.

Fleury acredita que nem mesmo a recente privatização do Galeão conseguirá reverter a tendência de que as empresas aéreas estrangeiras dominem as rotas do Rio para o exterior. Ele afirma que esta postura da TAM choca ainda mais em ano de Copa do Mundo e a apenas dois anos das Olimpíadas.

Elton Fernandes, professor da Coppe/UFRJ e especialista no setor aéreo, afirma que este cancelamento é consequência direta da abertura do mercado aéreo nacional às companhias estrangeiras, que ele acredita ter sido feito de maneira muito rápida e num momento que as empresas nacionais não estavam tão fortes:
- A opção para ir a Londres para quem quer fugir de São Paulo, além da British, são escalas em outras cidades europeias, como Lisboa, Madri e Paris, mas não em empresas nacionais.

 

Last Updated on Saturday, 18 January 2014 00:54
 

Translate

Browse this website in:

Busca Rápida
Serial
(FAB, MB ou EB)


Copyright © 2021 Base Militar Web Magazine. All Rights Reserved. Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.