Base será usada para reabastecer aviões de carga PDF Print E-mail
Tuesday, 04 August 2009 08:28

A base aérea colombiana de Palanquero deverá ser incluída no esquema global de rotas da força aérea dos EUA para o transporte estratégico global de carga e pessoal. Os EUA utilizam hoje 39 bases aéreas em todo o mundo com esse objetivo e planejam operar em 44 bases no período de 2015 a 2025. Por enquanto, nenhuma é na América do Sul.

Além de atuar em ações locais contra o narcotráfico, a base servirá para reabastecimento de aviões de carga, especialmente o C-17 Globemaster III. "Todo esforço será feito para maximizar a infraestrutura existente dentro da estratégia", afirma o documento público "Estratégia Global em Rotas", produzido pelo Comando de Mobilidade aérea da força aérea americana.

A Folha revelou ontem que o Brasil, que expressou preocupações com a ampliação da presença militar americana na Colômbia, vai indagar o assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, Jim Jones, que visita o Brasil nesta semana, sobre o documento. Os EUA estão procurando bases para reabastecer e em certos casos fazer algum tipo de manutenção dos seus aviões de carga, principalmente o modelo C-17, capaz tanto de transporte estratégico como tático.

Transporte "estratégico" significa aquele feito a longas distâncias. Para isso os EUA usam principalmente o C-5 Galaxy e o C-17. Transporte "tático" é o realizado regionalmente em um teatro de operações. O C-17 também o faz, mas o principal cargueiro tático é o C-130 Hercules, também usado pela força aérea Brasileira.

Para ter acesso mais fácil à África, os EUA pensaram em Recife, de onde o acesso é fácil à ilha de Ascensão, base britânica no meio do Atlântico. Mas considerações políticas fizeram os americanos desistir da ideia e optar por negociar o acesso a Caiena, na Guiana Francesa. "O relacionamento político com o Brasil não é conducente para os acordos necessários. Mais ainda, Recife está a 4.100 milhas náuticas [7.597 km] da base aérea de Charleston, colocando-a fora da distância ponto a ponto do C-17", dizem os autores do estudo.

O AMC divide em quatro níveis, de acordo com as instalações disponíveis, as bases aéreas que usa em vários países. Por "base" não se deve entender necessariamente um ponto de apoio para operações de intervenção militar, pois isso significaria envolver o país anfitrião em um conflito externo com um terceiro país.

O nível 1 inclui tanto grande capacidade de manutenção como tamanho para receber muitos aviões de carga. O nível 2 permite manutenção em menor escala e pequena capacidade de lidar com passageiros. O nível 3 tem ainda menor capacidade de manutenção e de passageiros.

Palanquero fará parte do nível 4, de bases "expedicionárias" -de limitadas instalações para grandes aviões de transporte, embora sejam adequadas a aviões de combate. A Câmara dos Representantes (deputados) americana já aprovou US$ 46 milhões a serem investidos em Palanquero para adequar a base aos anseios americanos. Os fundos só podem ser usados, porém, após ser fechado um acordo com a Colômbia que "não impeça o Comando Sul de executar sua estratégia contra narcóticos para a região".

 

Fonte: Folha de S.Paulo - RICARDO BONALUME NETO

Last Updated on Tuesday, 04 August 2009 10:40
 

Translate

Browse this website in:

Busca Rápida
Serial
(FAB, MB ou EB)


Copyright © 2021 Base Militar Web Magazine. All Rights Reserved. Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.