Passex - França- Brasil PDF Print E-mail
Tuesday, 11 November 2008 16:47

 

Passex - França- Brasil

Entre os dias 23 e 24 de março de 2006, à 30 milhas da costa do Rio de Janeiro, o Navio Escola- Porta Helicópteros Francês Jeanne D'Arc e a Fragata Georges Leygues se encontraram com os navios da Marinha do Brasil para a realização do exercício Passex.

O Navio Escola Jeanne D'Arc recebeu a visita do Embaixador da França no Brasil, Sr. Jean de Gliniasty, acompanhado do Comandante em Chefe da Esquadra da Marinha do Brasil, Vice-Almirante Álvaro Luiz Pinto, do Comandante da Força de Superficie, Contra-Almirante Antonio Alberto Marinho Nigro, do Comandante da Div-2, Contra-Almirante Carlos Augusto de Souza e do Comandante da Força de Submarinos, Contra-Almirante Terenilton Souza Santos.

Nesta Passex, foram realizados exercícios de Guerra Anti-Submarino, Guerra de Superfície, Guerra Anti-Aérea e vôos de QRPB com aeronave Super Puma do Esquadrão HU-2 coordenados pela ComDiv-2, contribuindo na formação dos Cadetes da GEAOM. Os navios da Marinha do Brasil participantes foram: Fragata Independência, Corveta Jaceguai, Navio Tanque Marajó e o Submarino Tamoio.

Foto antes do embarque. Da direita para a esquerda: Adido Naval da França no Brasil - Capitão-de-Fragata Yannick Rest; Comandante em Chefe da Esquadra - Vice-Almirante Alvaro Luiz Pinto; Embaixador da França no Brasil - SR. Jean de Gliniasty; Comandante da Força de Superfície - Contra-Almirante  Antonio Alberto Marinho Nigro e  o Comandante da Força de Submarinos - Contra-Almirante Terenilton Souza Santos.Em vôo sobrea a Baia de GuanabaraAproximação do Jeanne D'ArcAproximação do Jeanne D'Arc
Momentos finais da aproximaçãoMomentos finais da aproximaçãoPousado - Imagem da equipe de convôoPilotos saindo do Super puma do HU-2 que fez o traslado.
Encontro a bordo com o Comandante do Porta Helicopteros Jeanne D'Arc Capitão Gilles Tillette de MautortOficiais da Marinha do Brasil e da França, conversam com o Embaixador da França no Brasil, Sr. Jean de GliniastyEmbaixador da França no Brasil, Sr. Jean de Gliniasty entre o Comandante da Força de Submarinos, Contra-Almirante Terenilton Souza Santos e o Comandante da Div-2, Contra-Almirante Carlos Augusto de Souza Vice-Almirante Alvaro Luiz Pinto profere algumas palavras de agradecimento pela acolhida  à bordo.
Comandante em Chefe da Esquadra da Marinha do Brasil, Vice-Almirante Álvaro Luiz Pinto, entrega ao Capitão Gilles Tillette de Mautort um Brazão representativo de lembrança pela ocasião.Comandante em Chefe da Esquadra da Marinha do Brasil, Vice-Almirante Álvaro Luiz Pinto e o Embaixador da França no Brasil, Sr. Jean de GliniastyEmbaixador da França no Brasil, Sr. Jean de GliniastyCapitão Gilles Tillette de Mautort, exibe o Brazão recebido como lembrança pela Passex.

GEAOM - Campanha 205-2006

A Escola de Treinamento para Oficiais Navais da Marinha Francesa

Um treinamento vocacional:

A escola de treinamento tem tido lugar no porta-helicópteros Jeanne D´Arc desde 1964, e na fragata Georges Leygues desde 1999. Esses dois navios formam o Esquadrão de Treinamento para Oficiais Navais da Marinha Francesa.

A principal missão da escola é completar no mar o treinamento inicial previamente ministrado para os aspirantes a oficiais, vindos da Academia Naval, da Academia do Corpo de Intendência Naval (Naval Supply Corps Academy), da Escola de Assuntos Marítimos (Maritime Affairs School) ou da Academia do Corpo de Medicina (Medical Corps Academy). Cadetes estrangeiros também são treinados à bordo.

O treinamento é essencialmente baseado na prática, na observação ativa e no envolvimento dos cadetes em todas as atividades dos navios do esquadrão. Portanto, isso dá a eles um forte conhecimento profissional que será essencial para sua futura carreira como oficiais. A abordagem educacional é baseada em dar a eles o senso de responsabilidade, confrontando-os com situações práticas, incitando-os a usar de diálogo e direção. Esses métodos reconhecidos permitem aos cadetes sair de seu status de estudantes e alcançar a resposta profissional que irá torná-los oficiais competentes, responsáveis e capazes de servir dentro das forças que eles irão integrar ao final da campanha de treinamento.

Mapa da viagemVisão frontal  dos Exocet MM-38Casulos do missel Exocet MM-38Sala de briefing dos pilotos
Salão de briefing dos pilotosHangarHeli Alouette IIIHeli Alouette III

O programa é preparado da seguinte maneira:

Novembro – Pré-campanha em Brest

Dezembro, Janeiro e Fevereiro – Ciclo básico de operações, engenharia e logística

Março, Abril e Maio – Treinamento de especialidades

Junho – Aprofundamento nas especialidades

Especialidades: Comunicações, AAW-ASuW, artilharia de mísseis, ASW, piloto naval, commando naval, engenheiro mecânico e engenheiro aeronaval.

Uma escola que olha pra fora:

A campanha é uma oportunidade para os cadetes de registrar suas ações em um contexto internacional, o que será uma constante na sua carreira. Também dá a eles numerosas ocasiões de conhecer outros militares e tomar parte em exercícios conjuntos, seja no mar ou durante missões. A grande variedade de países que eles irão visitar desenvolve sua capacidade de “abrir a mente”, aumenta seu conhecimento das relações internacionais e os encoraja a aprender outras línguas.

A Classe de 2005-2006:

A classe de 2005-2006 é formada por 110 cadetes – entre eles 18 mulheres – vindos de todas os corpos de oficiais da Armada.

•  52 aspirantes da Academia Naval

•  2 aspirantes franceses que cursaram a academia naval alemã

•  2 engenheiros de Segunda-classe da Escola Superior de Engenheiros do Estudo e Técnicas de Armamentos

•  8 oficiais intendentes da Academia do Corpo de Intendência Naval

•  2 administradores de Assuntos Marítimos

•  18 doutores das Forças Francesas

•  26 cadetes de 20 países diferentes

 Porte-hélicoptéres Jeanne d'Arc

Palavras do Comandante

O Esquadrão de Treinamento para Oficiais Navais da Marinha Francesa tem sido o aglutinador de conhecimento dos oficiais da marinha por mais de um século e meio. São três os seus objetivos:

•  Completar o treinamento marítimo e operacional inicial dos cadetes através de um longo período no mar;

•  Fortalecer suas capacidades de liderança fazendo-os praticar responsabilidades reais à bordo de um grande navio de guerra;

•  Desenvolver e aperfeiçoar sua compreensão sobre o mundo para deixa-los aptos a se defrontar com as diversas condições com as quais eles vão ter que lidar ao longo de suas carreiras.

O Esquadrão de Treinamento para Oficiais Navais da Marinha Francesa, representado pelo porta-helicópteros Jeanne d´Arc e pela fragata anti-submarina Georges Leygues irá completar sua missão de treinamento através de uma comissão de 167 dias pelos oceanos Atlântico e Pacífico e pelo Mar Mediterrâneo.

No coração dos dois navios, a escola irá colocar os guardas-marinha em situações reais diariamente. A participação ativa em várias operações nas quais a Marinha está envolvida, o fluxo de adestramentos executados (tanto com o Esquadrão de Treinamento quanto com as marinhas dos países visitados), e a vasta gama de situações em que os cadetes serão colocados oferecerão uma grande oportunidade para construir uma ligação próxima e forte entre o treinamento teórico e o prático.

Rumando para várias nações, esta comissão de 5 meses irá permitir que os jovens oficiais se confrontem com outras maneiras de pensar e outras culturas. Finalmente, irá dar a eles a grande oportunidade de abrirem suas mentes acerca das noções de “espaços abertos” e “longa duração”. Eles irão, de agora em diante, honrar seu compromisso de servir seu país e lutar pela paz.

Radar de auxílio para pouso das aeronavesSuper Puma do HU-2  nº7071 no convôo logo após os vôos de QRPB.Heli Alouette III com Super Puma do HU-2 ao fundoHeli Alouette III
Heli Alouette IIIGazellePronto para partirSuper Puma do HU-2 nº7071
Equipe de convôo pronta durante a partida do motor 2Vista aérea do Jeanne D'Arc logo após a decolagemVista aérea do Jeanne D'Arc logo após a decolagemVista aérea do Jeanne D'Arc logo após a decolagem

 

Características do Porta Helicópteros Jeanne d'Arc

Comissionado em 1964 
Deslocamento: 12.000 toneladas 
Comprimento: 182m 
Largura: 24m 
Propulsão: 40.000 HPs 
Velocidade máxima: 28 Kts 
Autonomia: 7.500 milhas 

Armamentos: 

Dois canhões de 100mm (anti-aéreos e anti-superfície) 
Seis lançadores de Exocet MM38 
Capacidade para levar 10 helicópteros, leves ou pesados, podendo operar 3 helicópteros ao mesmo tempo 
(lançamentos ou pousos) 

Tripulação: 

40 oficiais, 16 dos quais instrutores dos cadetes, 111 cadetes e 460 praças

 

 
 

Translate

Browse this website in:

Busca Rápida
Serial
(FAB, MB ou EB)


Copyright © 2018 Base Militar Web Magazine. All Rights Reserved. Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.