Corveta Barroso Incorporada à Marinha Print
Written by Administrator   
Monday, 18 August 2008 21:00
Corveta Barroso incorporada à Esquadra

Nesta terça-feira, 19 de agosto, se encerrou uma etapa importante da vida do mais novo navio de escolta da Marinha do Brasil.Após 14 longos anos de construção, a Corveta Barroso (V-34) foi entregue pelo Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro aos cuidados da Diretoria Geral de Material da Marinha. Ainda será necessário uma série de testes operacionais, que colocarão à prova o navio e sua tripulação, antes que a Corveta Barroso seja finalmente entregue à Esquadra e dado como operacional, ou em Fase III.

Passe o mouse sobre as fotos e veja as legendas.

O evento de hoje contou com muitos convidados VIPs, entre eles o Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Julio Soares de Moura Neto, o Ministro da Defesa Nelson Jobim, o Diretor do AMRJ, Vice-Almirante Engenheiro Naval César Pinto Corrêa e o Chefe do Estado Maior da Armada (CEMA), Almirante-de-Esquadra Julio Saboya de Araujo Jorge.

Canhão 40mm Bofors Trinity e alça de tito optrônica EOS-400/10B da SAABRadar RAN-20S e mastro com antena do MAGE DefensorCanhão 4,5 pol. Vickers retirado de uma das fragatas Niteroi Multi Função durante o ModFrag

Versão muito melhorada das corvetas da classe Inhahúma, a Corveta Barroso tem uma novo design de superestrutura, com uma proa mais alta e a adição de um "flair", vinco que empurra o "bigode" para longe do navio, impedindo que o navio acumule água do mar na proa em mares mais fortes, como os que encontramos aqui no Atlântico Sul. A ré do navio, o convôo foi significativamente aumentado garantindo uma maior segurança para as tripulações de helicópteros embarcados.

Arriando a bandeira do Arsenal de Marinha do Rio de JaneiroOperários do AMRJ simbolicamente descem do navio para sua entrega à tripulaçãoTripulação entra no seu novo navioMinistro da Defesa, Comandante da Marinha acompanhados de outros oficiais generais da Marinha observam a cerimônia

Apesar de ser um navio menor do que as Fragatas da classe Niterói, os espaços internos aparentam ser muito mais amplos, especialmente o COC - Centro de Operações de Combate, equipado com o Sistema Eletrônico de combate desenvolvido no país pelo IPQM e Siem Consub, o Siconta MK3. Ainda no COC pode se ver os terminais do sistema MAGE nacional Defensor, desenvolvido pelo IPqM e os de controle de tiro para os mísseis Exocet ITL-70A (MM40 Block I e II) e os de controle do canhão de proa Vickers de 4,5 pol e do canhão de 40mm Bofors Mk3.

Comandante Valicente entra na Cv Barroso para assumir formalmente seu novo navioMNinistro Jobim vai a bordo para conhecer o novo navioConvidados VIP participam do decerramento da placa comemorativa da entrega da Cv BarrosoErgue-se a Bandeira do Brasil na Corveta Barroso

A Praça d'Armas e as demais acomodações para os tripulantes são impressionantemente espaçosas e confortáveis. No lugar da madeira vermelho-escura característica das Classes anteriores este navio tem seus móveis todos em madeira clara.
O Centro de Controle de Máquinas, e a atividade de Combate a Avarias (CAv) é todo controlado por sistemas digitais semelhantes aos utilizados nas marinhas mais modernas do mundo.

Oficina de reparos do navio ainda aguardando ser ocupada.Camarote de oficiaisA ampla enfermaria da nova Corveta

No Passadiço a navegação já é digital e existe um terminal repetidor de todas as informações digitais do CCM sobre a situação das máquinas.

Armário de Combate a Avarias (CAv) no convés principal do navioSistema de Controle e Monitoração de Propulsão e Auxiliares (SCMPA) desenvolvido pelo IPqMSistema digital de controle de avariasConsoles do COC

Durante a Cerimônia um grupo de operários do AMRJ desceu a prancha após ter removido a bandeira do Arsenal do mastro à ré do navio, em seguida, toda a nova tripulação, 20 oficiais e 125 praças, marchou navio a dentro atrás do Imediato onde se ergueu o pavilhão nacional. Em seguida o Chefe do Estado Maior da Armada, Almirante-de-Esquadra Julio Saboya de Araujo Jorge, passou o comando do navio ao Capitão-de-Fragata Luiz Roberto Cavalcante Valicente que então adentrou o navio na condição de seu primeiro comandante.

Painel de controle do sistema elétrico do navioConsoles do Sistema de Controle da Propulsão e dos Auxiliares.PCs usados para operar e controlar os rádios digitais da central de rádioRádio digital do navio
Rádios digitais da Rohde & SchartzDisplay do radar de superfície no COCConsoles do Siconta Mk III no COCConsoles do Siconta Mk III no COC

Finalmente, o Chefe do Estado Maior da Armada, o Diretor do AMRJ e o Diretor Geral de Material da Marinha foram a bordo para receber o Comandante da Marinha e o Ministro da Defesa para descerrarem uma placa comemorativa do evento e para visitar o navio pela primeira vez. 

Praça d'Armas, vista a borestePassadiço com painéis 100 % digitaisConsole do timoneiro no passadiçoConsole auxiliar do timoneiro
Console repetidor do SCMPA no PassadiçoVista geral do PassadiçoCasulos de armazenamento e lançamento do míssil SSM Exocet MM-40Um nome mais do que tradicional para um navio no estado da arte.

No evento de hoje se comentava informalmente que se forem confirmadas as boas características marinheiras esperadas deste novo modelo, pelo menos uma nova unidade poderia ser encomendada ao AMRJ.

Respondendo a uma pergunta da Alide, o Ministro Jobim informou que a apenas três semanas do prazo final de 7 de setembro, "ele se encontra bastante satisfeito com o progresso alcançado pelo Grupo de Formulação da Estratégia Nacional de Defesa", o programa desenvolvido para o Ministério da Defesa pelo Ministro Mangabeira Unger.

Em seguida, ele salientou que: "esta fase é de definição das prioridades e das estratégias nacionais para a área de Defesa e que o governo não tem intenção, neste momento, de anunciar qualquer nova aquisição de meios (navios, aeronaves, blindados) no próximo dia 7 de setembro".

Texto: Felipe Salles

Fotos editadas por: Luiz Padilha

Last Updated on Thursday, 13 August 2009 10:55