Começa a Operação Atlântico II “Amazônia Azul” Print
Written by Felipe Salles   
Tuesday, 20 July 2010 00:00

Teve início ontem a operação conjunto Atlântico II, exercício que se desenrolará por toda a costa brasileira até o dia 30 deste mês. A Marinha do Brasil realizou na última sexta feira dia 16 de julho, um evento de apresentação à imprensa da Operação Atlântico II/“Amazônia Azul”, no auditório do Centro de Adestramento Almirante Marques de Leão - CAAML – na Ilha do Mocanguê, em Niterói. Esta operação é um exercício conjunto e integrado entre as três Forças Armadas brasileiras, sendo coordenado pelo Ministério da Defesa. Este será o maior exercício conjunto já realizado em toda a costa brasileira, para tanto cerca de 10 mil militares estão envolvidos. O Contra Almirante Médici, do Comando de Operações Navais, apresentou detalhando o que ocorrerá nesta segunda edição da Operação.

Diferente da primeira operação, desta vez haverá dois teatros diferentes e independentes, os dois se desenrolando simultaneamente. O primeiro cenário ocorrerá na região sudeste na costa dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo. O outro será no nordeste, ao redor dos Arquipélagos de Fernando de Noronha, de São Pedro e São Paulo. O primeiro está relacionado aos recursos petrolíferos da Bacia de Campos, do Espírito Santo e de Santos, e à defesa em terra da infraestrutura do petróleo e do gás da região sudeste.  No segundo cenário, focado no controle da nossa pesca ilegal na nossa Zona Econômica Exclusiva, será desenvolvido ao redor dos arquipélagos.

Além das atividades militares, serão realizadas também ações cívico-sociais (ACISO) beneficiando a população em diversos municípios. Neles serão realizados atendimentos médicos e odontológicos, além de serem ministradas aulas básicas de primeiro socorros e higiene pessoal. Apenas nas ACISO estão envolvidos cerca de 413 militares. Nesta operação Atlântico II participarão 22 navios da Marinha do Brasil, 18 aeronaves das três forças e 17 veículos terrestres do exército e dos fuzileiros.

Uma operação moderna e complexa, ocorrerá dentro da Atlântico, entre os outros, os seguintes exercícios:

Marinha: Defesa de ilha oceânica; Controle; Controle de Área Marítima; Operação Anfíbia; Operações Especiais; Defesa de Portos e Áreas Sensíveis; Contra-medidas de Minagem e Minagem Defensiva de Portos.

Exército: Defesa de infraestruturas energéticas (Angra dos Reis e Macaé); Defesa de Costa; Defesa de indústrias de Material de Defesa; Operações Especiais; Defesa externa de Portos e terminais petrolíferos.

Força Aérea: Patrulha Marítima; Missões de Ataque; Transporte Aéreo Logístico; e coordenação e controle do Espaço Aéreo.             

Os navios participantes da operação são:

Fragatas

Fragata Bosísio  (F-48)

Fragata Constituição (F-42)

Corvetas

Corveta Caboclo (V-19)

Corveta Jaceguai (V-31)

Corveta Frontin (V-33)

Navios Desembarque

Navio de Desembarque de Carros de Combate Almirante Saboia (G-25)

Navio de Desembarque de Carros de Combate Mattoso Maia (G-28)

Navio de Desembarque-Doca Rio de Janeiro (G-31)

Navios Varredores

Navio-Varredor Araçatuba (M-18)

Navio-Varredor Albardão (M-20)

Rebocadores

Rebocador de Alto-Mar Triunfo (R-23)

Rebocador de Alto-Mar Almirante Guilhem (R-24)

Rebocador de Alto-Mar Almirante Guillobel (R-25)

Navios Patrulha

Navio-Patrulha Guaíba (P-41)

Navio-Patrulha Guajará (P-44)

Navio-Patrulha Guanabara (P-48)

Navio-Patrulha Guavataí (P-51)

Submarino

Submarino Tupi (S-30)

GRUMEC - Grupamento de Mergulho

Aeronaves

Super Puma – 2x UH-14

Sea King – 1x SH-3

Super Lynx - 2 AH-11A

Esquilo – 3x UH-12/13

Skyhawk – 2x AF-1

 

Blindados (FN)

6x CLAnf

6x M-113

2x SK-105

Meios do Exército que participarão da Operação:

Tropas:

1ª DE

Bda Inf Pqdt

4ª Bda Inf Mtz

9ª Bda Inf Mtz

12ª Bda Inf L Amv

CAVEx

6º GLMF

Cia DBQN

AD/1

Cia GE

Bda Op Esp

Cia C²

Ba Ap Log Ex

 Blindados:

2x Urutu

2x Cascavel

Meios da Força Aérea Brasileira na Operação:

2x A-1 Falcão - Caça-Bombardeio-Reconhecedor-Leve

3x P-95A/B Bandeirulha - Aeronave de Patrulha

1x H-34 - Super Puma

1x SC- 95 – Bandeirante - Aeronave de Busca e Salvamento

 

O Contra-Almirante Médici afirmou que embora propósito geral seja o mesmo do primeiro exercício realizado em 2008, desta vez o foco irá para além da região sudeste. “Trouxemos as três forças armadas para o litoral sudeste em 2008, e neste ano procuramos intensificar os desafios com exercício de combate à pesca ilegal (inspirado nos eventos da “Guerra da Lagosta entre o Brasil e a França no início da década de 60) e de defesa das plataformas offshore que são duas grandes ameaças de conflito como já ocorreram antigamente, a exemplo da guerra das lagostas, e ainda temos com a realização da pesca ilegal ao longo da nossa costa”.

Perguntado por Alide sobre a significativa dificuldade de rádiocomunicação entre as unidades das diferentes forças que ocorreu na primeira operação, o Contra-Almirante respondeu que um dos pontos altos desta segunda operação será a operação de um centro de comando e Controle (C2), baseado aqui no Rio de Janeiro. Ele ficará dentro do edifício do CON, no centro da cidade, onde estarão em contato permanente a Marinha, o Exército e a Aeronáutica de forma ininterrupta e on-line, inclusive através de vídeosconferências, possibilitando a troca de informações, e disponibilizando a todos os envolvidos, em tempo real, o que se passa em cada ambiente de exercício. “Isso foi um grande incremento que nós fizemos, uma das grandes mudanças sobre a Atlântico I... uma das grandes correções que nós fizemos’. O sistema de comando e controle será testado novamente agora para alcançarmos mais sucesso e para que não percamos mais tempo nas nossas decisões, nossas ações. Embora este sistema tecnológico já existisse na Atlântico I ele não foi executado com perfeição, sendo testado, novamente, numa forma revisada nesta segunda operação”, disse o Contra-Almirante.   

Alide também aproveitou a ocasião para perguntar ao Almirante sobre se haveria uma integração logística maior da FAB com a Marinha. Coisas como, por exemplo, usar os C-130 para lançamento de pallets flutuantes com alimentos e peças de reposição diretamente aos navios no meio do mar poderia ser inaugurada nesta operação. O Almirante Médici reforça que será uma grande oportunidade para isso e acrescenta: “Nós já pretendemos fazer isto em Fernando de Noronha, mas esta é uma oportunidade bastante interessante. Se obtivermos sucesso, tentaremos fazer isso sempre. Evidentemente que caberá à Força Aérea fazer sua própria avaliação sobre esse tema”.

O Contra-Almirante ainda enfatizou que ao final desta operação (que neste ano contará com a participação de estudantes de comunicação da UFRJ e da PUC-Rio), será feita uma avaliação profunda para determinar quais são os meios necessários para que possamos realizar a defesa da costa brasileira.

Alide esteve presente também na primeira operação Atlântico confira tudo o que ocorreu daquela vez no link abaixo:

http://www.alide.com.br/joomla/index.php/capa/36-noticias/146-apresentacao-da-operacao-atlantico.

Não deixe de ler também:

www.alide.com.br/joomla/index.php/component/content/article/35-ed32/49-albacora

Last Updated on Wednesday, 21 July 2010 14:20