O Centenário Naval Canadense PDF Print E-mail
Written by Felipe Salles   
Tuesday, 10 August 2010 00:00

 

 

 


 

O ano de 2010 marca o primeiro centenário naval do Canadá, venha com ALIDE conhecer essa história, e ver as comemorações que vão ocorrer por todo o ano, inclusive os dois International Fleet Reviews realizados quase que simultaneamente nas costas do Atlântico e do Pacífico.

 

Panorâmica do desfile em Halifax
Panorâmica do desfile em HalifaxPanorâmica do desfile em Halifax
Alguns membros da Força Marítima do Pacífico
Alguns membros da Força Marítima do PacíficoAlguns membros da Força Marítima do Pacífico
Membros da Força Marítima do Pacífico
Membros da Força Marítima do PacíficoMembros da Força Marítima do Pacífico
Parlamento no dia da Marinha
Parlamento no dia da MarinhaParlamento no dia da Marinha
Comandantes do MARPAC
Comandantes do MARPACComandantes do MARPAC

Comemoração da Batalha do Atlântico no Memorial de Guerra Nacional
Comemoração da Batalha do Atlântico no Memorial de Guerra Nacional Comemoração da Batalha do Atlântico no Memorial de Guerra Nacional
Cerimônia da Batalha do Atlântico no Memorial de Guerra em Ottawa
Cerimônia da Batalha do Atlântico no Memorial de Guerra em OttawaCerimônia da Batalha do Atlântico no Memorial de Guerra em Ottawa
Comemoração da Batalha do Atlântico
Comemoração da Batalha do Atlântico Comemoração da Batalha do Atlântico
A Rainha Elizabeth II em Halifax
A Rainha Elizabeth II em HalifaxA Rainha Elizabeth II em Halifax
Comemoração da Batalha do Atlântico
Comemoração da Batalha do AtlânticoComemoração da Batalha do Atlântico
 

CA Tyrone Pile cte das MARPAC e da FT conjunta do Pacífico e o Prefeito de Victoria
CA Tyrone Pile cte das MARPAC e da FT conjunta do Pacífico e o Prefeito de VictoriaCA Tyrone Pile cte das MARPAC e da FT conjunta do Pacífico e o Prefeito de Victoria
A Rainha Elizabeth II e o Duque de Edimburgo.
A Rainha Elizabeth II e o Duque de Edimburgo. A Rainha Elizabeth II e o Duque de Edimburgo.
Peter Mackay Ministro da Defesa Nacional
Peter Mackay Ministro da Defesa NacionalPeter Mackay Ministro da Defesa Nacional
Cerimônia da Batalha do Atlântico
Cerimônia da Batalha do AtlânticoCerimônia da Batalha do Atlântico
Suboficial George Aucoin e sua esposa
Suboficial George Aucoin e sua esposaSuboficial George Aucoin e sua esposa

Introdução

Aqui a data foi comemorada com vários eventos relevantes ocorrendo de costa a costa. As festividades tinham como tema “Trazendo a Marinha para os canadenses”, e focaram em homenagear o passado, e em mostrar as atividades da Marinha atualmente, reforçando o papel da Marinha no futuro. A comemoração teve como slogan a frase “Comemorar, Celebrar, Comprometer-se”.

Um International Fleet Review (IFR) é uma tradição que, se supõe, remonta ao tempo do rei inglês Henrique V , nos idos de 1415. Ao montar sua frota para enfrentar os franceses, o soberano foi pessoalmente até a boca do Rio Solent, especificamente na baía de Spitshead, no sul da Inglaterra, para inspecionar essa frota que lá estava fundeada. O Fleet Review era entendido no seu início, e antes de qualquer coisa, como uma estratégia dissuasória capaz de mostrar para potenciais oponentes e rivais os consideráveis meios navais disponíveis à Inglaterra. O aspecto comemorativo, no entanto, cresceu ao longo dos anos, sendo cada vez mais comuns estes eventos como parte das celebrações de coroamentos e bodas reais. Também as visitas de dignitários reais estrangeiros, como a de Pedro o Grande da Rússia em 1700, passaram a incluir os Fleet Reviews como parte do seu cerimonial.

CA Tyrone Pile cte das MARPAC e da FT conjunta do Pacífico
CA Tyrone Pile cte das MARPAC e da FT conjunta do PacíficoCA Tyrone Pile cte das MARPAC e da FT conjunta do Pacífico
Principe Charles
Principe CharlesPrincipe Charles
Famílias dando boas-vindas aos marinheiros
Famílias dando boas-vindas aos marinheirosFamílias dando boas-vindas aos marinheiros
HMCS Fredericton
HMCS FrederictonHMCS Fredericton
Navio tanque holandês HMNLS Amsterdam
Navio tanque holandês HMNLS AmsterdamNavio tanque holandês HMNLS Amsterdam

Chaminé do HMNLS Amsterdam
Chaminé do HMNLS AmsterdamChaminé do HMNLS Amsterdam
Chaminé do HMNLS Amsterdam ao fundo
Chaminé do HMNLS Amsterdam ao fundoChaminé do HMNLS Amsterdam ao fundo
A826 Amsterdam
A826 AmsterdamA826 Amsterdam
Detalhe da popa com convoo no Amsterdam
Detalhe da popa com convoo no AmsterdamDetalhe da popa com convoo no Amsterdam
Distema de TOM do HMNLS Amsterdam
Distema de TOM do HMNLS AmsterdamDistema de TOM do HMNLS Amsterdam
 

HMS Ark Royal visto do pier
HMS Ark Royal visto do pierHMS Ark Royal visto do pier
HMS Ark Royal visto do pier
HMS Ark Royal visto do pierHMS Ark Royal visto do pier
Harrier estacionado no convoo de ré do HMS Ark Royal
Harrier estacionado no convoo de ré do HMS Ark RoyalHarrier estacionado no convoo de ré do HMS Ark Royal
Helicóptero AW101 Merlin no convoo do HMS Ark Royal
Helicóptero AW101 Merlin no convoo do HMS Ark RoyalHelicóptero AW101 Merlin no convoo do HMS Ark Royal
HMS Ark Royal e USS Wasp vistos do pier
HMS Ark Royal e USS Wasp vistos do pierHMS Ark Royal e USS Wasp vistos do pier
 

Modernamente, navios estrangeiros passaram a ser convidados para eventos navais de grande porte, compondo, junto com os navios locais, a “frota” a ser inspecionada. Os IFR, hoje, se transformaram em um grande símbolo de prestígio internacional do país e de sua marinha. Quanto mais importante ou geopoliticamente relevante for o anfitrião, maior o número de marinhas do mundo que se predisporão a arcar com os custos de mandar seus navios para se fazer presente nele. Para a comemoração dos 200 anos da Batalha Naval de Trafalgar a Royal Navy recebeu em 2005. A própria Marinha do Brasil realizou um evento destes na data do bicentenário do nascimento do Almirante Tamandaré. Em 2009, a Marinha da China comemorando seus 60 anos de existência realizou um International Fleet Review no porto de Qindao com 46 navios, sendo 21 estrangeiros.

Os Canadenses resolveram valorizar a importância de suas duas grandes costas para realizar dois International Fleet Reviews quase que simultâneos. O do Pacífico, realizado entre 9 e 14 de junho, e o do no Atlântico, entre 26 de junho e 2 de julho.

Prancha do HMS Ark Royal
Prancha do HMS Ark RoyalPrancha do HMS Ark Royal
Lancha do HMS Ark Royal vista do pier
Lancha do HMS Ark Royal vista do pierLancha do HMS Ark Royal vista do pier
Vista do costado do HMS Ark Royal
Vista do costado do HMS Ark RoyalVista do costado do HMS Ark Royal
Radar Type 91022 HMS Ark Royal
Radar Type 91022 HMS Ark RoyalRadar Type 91022 HMS Ark Royal
Chaminé com brazão do Ark Royal
Chaminé com brazão do Ark RoyalChaminé com brazão do Ark Royal
 

Sistema de guerra eletrônica no mastro do HMS Ark Royal
Sistema de guerra eletrônica no mastro do HMS Ark RoyalSistema de guerra eletrônica no mastro do HMS Ark Royal
Convoo do HMS Ark Royal visto do USS Wasp
Convoo do HMS Ark Royal visto do USS WaspConvoo do HMS Ark Royal visto do USS Wasp
Helicóptero AW101 Merlin no convoo do HMS Ark Royal
Helicóptero AW101 Merlin no convoo do HMS Ark RoyalHelicóptero AW101 Merlin no convoo do HMS Ark Royal
Harrier estacionado no convoo do HMS Ark Royal
Harrier estacionado no convoo do HMS Ark RoyalHarrier estacionado no convoo do HMS Ark Royal
Nessa foto se percebe a diferença entre a altura do USS Waso e o HMS Ark Royal
Nessa foto se percebe a diferença entre a altura do USS Waso e o HMS Ark RoyalNessa foto se percebe a diferença entre a altura do USS Waso e o HMS Ark Royal

Union Jack balança sobre o Harrier
Union Jack balança sobre o Harrier Union Jack balança sobre o Harrier
Merlin e Lynx no Ark Royal
Merlin e Lynx  no Ark RoyalMerlin e Lynx  no Ark Royal
Um dos Harriers foi exibido no Ski Jump do HMS Ark Royal
Um dos Harriers foi exibido no Ski Jump do HMS Ark RoyalUm dos Harriers foi exibido no Ski Jump do HMS Ark Royal
Vista ds superestrutura do Ark Royal
Vista ds superestrutura do Ark Royal Vista ds superestrutura do Ark Royal
Engrenagem do elevador dentro do HMS Ark Royal
Engrenagem do elevador dentro do HMS Ark Royal  Engrenagem do elevador dentro do HMS Ark Royal

De olhos para o Oriente

No Oeste, o evento ocorreu bem defronte à Base Naval de Esquimalt na cidade de Vancouver, na Columbia Britânica. O Maritime Comand Pacific foi representados pelos navios canadenses como o destróier HMCS Algonquin (283) e a fragata classe Halifax HMCS Calgary (335).

A maior marinha do Pacífico, excluindo a US Navy naturalmente, é a japonesa. Ela se fez representar pelo cruzador Atago (DDG-177) e pelo destróier Akebono (DD-108). O primeiro é um navio da classe Atago e o segunda da classe Murasame, ambos projetados e construídos no Japão. Como entraram em serviço já no século XXI, eles representam a tecnologia naval mais atual dos estaleiros do Japão.

Espelhando sua política de presença global, a Marinha Francesa enviou ao Canadá a fragata leve Prairial (F731) que se encontra na função de navio militar local da Polinésia Francesa.

Engrenagem do elevador dentro do HMS Ark Royal
Engrenagem do elevador dentro do HMS Ark Royal Engrenagem do elevador dentro do HMS Ark Royal
Detalhe do pistão acionador do elevador
Detalhe do pistão acionador do elevador Detalhe do pistão acionador do elevador
nnn
nnnnnn
Empilhadeira no Ark Royal
Empilhadeira no Ark Royal Empilhadeira no Ark Royal
estrutura do elevador
estrutura do elevador estrutura do elevador
 

Hangar do HMS Ark Royal
Hangar  do HMS Ark Royal Hangar  do HMS Ark Royal
estação de CAv no hangar do HMS Ark Royal
estação de CAv no hangar  do HMS Ark Royal estação de CAv no hangar  do HMS Ark Royal
Mostra de roupas de CAvs
Mostra de roupas de CAvs Mostra de roupas de CAvs
Equipamento de descontaminação
Equipamento de descontaminação Equipamento de descontaminação
nnn
nnnnnn
 

Posto de controle dentro do hangar
Posto de controle dentro do hangarPosto de controle dentro do hangar
Canhão de espuma de combate a incêndio
Canhão de espuma de combate a incêndioCanhão de espuma de combate a incêndio
Canhão de espuma de combate a incêndio
Canhão de espuma de combate a incêndioCanhão de espuma de combate a incêndio
Metralhadora C-6
Metralhadora C-6Metralhadora C-6
Balão meteorológico
Balão meteorológicoBalão meteorológico

Uma marinha discreta, mas capaz, a da Nova Zelândia cruzou o Pacífico com a fragata da classe ANZAC/MEKO 200 HMNZS Te Kaha (F77), com o navio de apoio/tanque HMNZS Endeavour (A11) e com um helicóptero Kaman SH-2G Seasprite embarcado na Te Kaha. Os australianos apresentaram a fragata HMAS Newcastle, uma das fragatas recentemente modernizadas da classe Adelaide, derivada do projeto americano Oliver Hazard Perry. Diferente das OHP americanas, a Newcastle ainda tem seu lançador do Míssil Standard na proa operacional, além de contar com os sistemas de mísseis Harpoon e Evolved Sea Sparrow Missile (ESSM). A Newcastle navegou desde a Oceania até o Canadá na companhia dos dois navios neozelandezes.

Os americanos, por sua vez, acabaram cobrindo em Esquimalt os dois extremos do espectro de “deslocamento”da construção naval. Se, por um lado, veio o USS Ronald Reagan, navio aeródromo de propulsão nuclear da classe Nimitz de mais de 100.000 toneladas, pelo outro estava também o primeiro dos novos Littoral Combat Ships. O USS Freedom, que ainda se encontra nos seus testes de aceitação pela US Navy, desloca apenas 3000 toneladas. O design do Freedom é visivelmente revolucionário, e se todas suas promessas forem cumpridas ele irá “sacudir as fundações” da indústria de construção naval militar global.

Bote de salvamento
Bote de salvamentoBote de salvamento
Torpedo aerolançado Mk.46
Torpedo aerolançado Mk.46Torpedo aerolançado Mk.46
Visitantes no convvo do HMS Ark Royal
Visitantes no convvo do HMS Ark Royal Visitantes no convvo do HMS Ark Royal
Escada temporária sobre o elevador
Escada temporária sobre o elevador Escada temporária sobre o elevador
AW101 no convoo
AW101 no convooAW101 no convoo
 

Lynx no convoo
Lynx no convooLynx no convoo
hangar no HMS Liverpool
hangar no HMS Liverpoolhangar no HMS Liverpool
CF-18 com pintura comemorativa
CF-18 com pintura comemorativa CF-18 com pintura comemorativa
CF-18 com pintura comemorativa
CF-18 com pintura comemorativa CF-18 com pintura comemorativa
CF-18 com pintura comemorativa
CF-18 com pintura comemorativa CF-18 com pintura comemorativa
 

CF-18 com pintura comemorativa
CF-18 com pintura comemorativa CF-18 com pintura comemorativa
CF-18 com pintura comemorativa
CF-18 com pintura comemorativa CF-18 com pintura comemorativa
Mergulhador de combate da Frota do Atlântico
 Mergulhador de combate da  Frota do Atlântico  Mergulhador de combate da  Frota do Atlântico
IFR Pacífico Navios de todo o mundo se reúnem na base de Esquimalt
IFR Pacífico Navios de todo o mundo se reúnem na base de Esquimalt IFR Pacífico Navios de todo o mundo se reúnem na base de Esquimalt
USS Ronald Reagan, junto com outros navios internacionais reunidos em Esquimalt
 USS  Ronald Reagan, junto com outros navios internacionais reunidos em Esquimalt USS  Ronald Reagan, junto com outros navios internacionais reunidos em Esquimalt

Os chilenos, que já haviam confirmado o envio de uma fragata ao Pacífico norte visitariam Fleet Review e em seguida continuariam até o Havaí para participar do Exercício PacRim 2010, logo em seguida, tiveram que cancelar todos os seus planos após o forte terremoto seguido de tsunami que atingiu tragicamente sua costa no início deste ano. Duas outras faltas importantes sentidas pelos canadenses no evento da costa ocidental acabaram sendo as da Marinha da China e da Índia.

Encerradas as comemorações o HMCS Algonquin e Calgary partiram diretamente para o Havaí, para participar do RimPac 2010 e, em seguida para um exercício conjunto Canadá-Japão. Ao mesmo tempo em que os patrulheiros HMCS Whitehorse (MM705), Brandon (MM710) e Edmonton (MM703) seguiram para o sul para visitar e interoperar com a Marinha Mexicana.

IFR Pacífico Navios de todo o mundo se reúnem no base de Esquimalt
IFR Pacífico Navios de todo o mundo se reúnem no base de Esquimalt IFR Pacífico Navios de todo o mundo se reúnem no base de Esquimalt
IFR Pacífico
IFR Pacífico IFR Pacífico
Demonstrtação aérea em cima dos navios
Demonstrtação aérea em cima dos naviosDemonstrtação aérea em cima dos navios
Famílias saudando os marinheiros
Famílias saudando os marinheirosFamílias saudando os marinheiros
Metralhadora C-6 montada num helicóptero Sea King
Metralhadora C-6 montada num  helicóptero Sea KingMetralhadora C-6 montada num  helicóptero Sea King

HMCS St John`s
HMCS St John`sHMCS St John`s
Baia de Esquimalt
Baia de EsquimaltBaia de Esquimalt
Sea King sobrevoa o HMCS St John`s
Sea King sobrevoa o HMCS St John`sSea King sobrevoa o HMCS St John`s
Sea King sobrevoa o HMCS St John`s
Sea King sobrevoa o HMCS St John`sSea King sobrevoa o HMCS St John`s
HMCS Algonquin (DDG 283)
HMCS Algonquin (DDG 283)HMCS Algonquin (DDG 283)
 

HMCS Vancouver e porta-aviões USS Ronald Reagan
HMCS  Vancouver e porta-aviões USS Ronald ReaganHMCS  Vancouver e porta-aviões USS Ronald Reagan
FGS KarlSsruhe, Fragata da classe Halifax e FS Prairial (733)
FGS KarlSsruhe, Fragata da classe Halifax e FS Prairial (733)FGS KarlSsruhe, Fragata da classe Halifax e FS Prairial (733)
Fragata HMCS Charlottetown 339
Fragata HMCS Charlottetown 339Fragata HMCS Charlottetown 339
International Fleet Review Atlantico
International  Fleet Review AtlanticoInternational  Fleet Review Atlantico
Rainha Elisabeth II no navio da inspeção
Rainha Elisabeth II no navio da inspeçãoRainha Elisabeth II no navio da inspeção
 

A ligação histórica com a OTAN

Do outro lado do continente americano, em Halifax, na província de Nova Scotia, fica a sede do Comando Marítimo canadense do Atlântico (MARLANT). Lá também houve uma parada naval semelhante a da costa oeste, apenas com convidados vindo das Américas e da Europa. Todos os navios ficaram fundeados na Bacia Bedford, bem diante da orla da cidade. Neste evento estavam presentes o quebra-gelos da Guarda Costeira do Canadá CCGS Edward Cornwallis, o destróier Athabaskan (DDG 282) da classe Iroquois , as fragatas da classe Halifax HMCS Charlottetown (FFH 339), HMCS Fredericton (FFH 337), HMCS Montreal (FFH 336), HMCS Toronto (FFH 333) e HMCS St John’s (FFH 340) além do submarino HMCS Corner Brook (SSK 878) da classe Victoria.

Marcaram presença, também, os navios mais novos da frota canadense, quatro dos patrulheiros costeiros da classe Kingston: HMCS Glace Bay (MM 701), HMCS Goose Bay (MM 707), HMCS Moncton (MM 708) e HMCS Shawinigan (MM 704) .

HMCS Athabaskan (DDH 282)
HMCS Athabaskan (DDH 282)HMCS Athabaskan (DDH 282)
USS Gettysburg visto do pier
USS Gettysburg visto do pierUSS Gettysburg visto do pier
Antena de ré do sistema radar SPY-1 AEGIS do USSGettysburg
Antena de ré do sistema radar SPY-1 AEGIS do USSGettysburgAntena de ré do sistema radar SPY-1 AEGIS do USSGettysburg
Canhão de ré de 5 pol do USS Gettysburg ao fundo o Liverpool e o Sutherland
Canhão de ré de 5 pol do USS Gettysburg ao fundo o Liverpool e o SutherlandCanhão de ré de 5 pol do USS Gettysburg ao fundo o Liverpool e o Sutherland
espaço entre canhão do Gettysburg e o convoo
espaço entre canhão do Gettysburg e o convooespaço entre canhão do Gettysburg e o convoo
 

Lançadores de Harpoon do Gettysburg com navios ingleses a ré
Lançadores de Harpoon do Gettysburg com navios ingleses a réLançadores de Harpoon do Gettysburg com navios ingleses a ré
Gettysburg visto de ré.
Gettysburg visto de ré.Gettysburg visto de ré.
Independência (F44) a contrabordo do Toronto
Independência (F44) a contrabordo do TorontoIndependência (F44) a contrabordo do Toronto
Lançador do Aspide da Independência
Lançador do Aspide da IndependênciaLançador do Aspide da Independência
A marca da presença brasileira no Canadá
A marca da presença brasileira no CanadáA marca da presença brasileira no Canadá

Proa da Independência
Proa da IndependênciaProa da Independência
Independência
IndependênciaIndependência
Lançador de Boroc diante da superestrutura da FIndep
Lançador de Boroc diante da superestrutura da FIndepLançador de Boroc diante da superestrutura da FIndep
Independência
IndependênciaIndependência
Chaminé da Independência com seu brasão
Chaminé da Independência com seu brasãoChaminé da Independência com seu brasão
 

Do exterior, vieram a Fragata Independência (F-44) da Marinha do Brasil, que surpreendentemente era o único navio da América Latina; a fragata leve francesa La Ventose (F733), o escolta híbrido HDMS Absalon (L-16, recentemente visitado por ALIDE ) nau capitânia da Marinha Dinamarquesa veio acompanhada do patrulheiro oceânico HDMS Ejnar Mikkelsen (P571). A Marinha da Holanda trouxe o seu navio tanque/logístico HNLMS Amsterdam. A FGS Karlsruhe (F212), fragata da classe Bremen, e o navio tanque da classe Rhön FGS Spessart (A1442) representaram a Marinha Alemã neste evento.

A Royal Navy britânica, organização onde serviram milhares de canadenses durante as duas Grandes Guerras, trouxe até Halifax sua nau capitânia, o porta-aviões VSTOL HMS Ark Royal, o navio tanque (RFA), the RFA Fort George, ambos escoltados pelo destróier Type 42 HMS Liverpool e a fragata Type 23 HMS Sutherland (F81).

Lançador Aspide da FIndep vista do convoo
Lançador Aspide da FIndep vista do convooLançador Aspide da FIndep vista do convoo
Convoo e hangar da Independência
Convoo e hangar da IndependênciaConvoo e hangar da Independência
Antenas de comunicação por satélite ( telefone e TV) da FIndep
Antenas de comunicação por satélite ( telefone e TV) da FIndepAntenas de comunicação por satélite ( telefone e TV) da FIndep
SuperLynx AH11A da Independência
SuperLynx AH11A da IndependênciaSuperLynx AH11A da Independência
Interior do hangar
Interior do hangarInterior do hangar
 

Interior do hangar
Interior do hangarInterior do hangar
Interior do hangar
Interior do hangarInterior do hangar
Duas balsas infláveis salva-vidas
Duas balsas infláveis salva-vidasDuas balsas infláveis salva-vidas
Radar RAN 20S
Radar RAN 20SRadar RAN 20S
A Independência e a Toronto lado a lado
A Independência e a Toronto lado a ladoA Independência e a Toronto lado a lado
 

HMCS Toronto tem CWIS Phallanx...
HMCS Toronto tem CWIS Phallanx...HMCS Toronto tem CWIS Phallanx...
... a Independência tem o Trinity
... a Independência tem o Trinity... a Independência tem o Trinity
O corredor entre o Tinity e a antepara é estreito
O corredor entre o Tinity e a antepara é estreitoO corredor entre o Tinity e a antepara é estreito
Instrumentos da asa de Passadiço
Instrumentos da asa de PassadiçoInstrumentos da asa de Passadiço
Repetidor da agulha magnética
Repetidor da agulha magnéticaRepetidor da agulha magnética

Dos Estados Unidos, principal parceiro militar do Canadá, estiveram no evento muitos navios inclusive o navio patrulha de médio alcance da Guarda Costeira Americana USCGC Escanaba (WMEC-907). A US Navy veio em peso com o navio de assalto anfíbio USS WASP (LHD-1) escoltado pelo cruzador da classe Ticonderoga, USS Gettysburg (CG-64), pelo destróier Arleigh-Burke USS Barry e, pelas fragatas OHP USS Boone (FFG-28) e USS Robert G. Bradley (FFG-49).

A inspeção da frota reunida em Halifax, foi abrilhantada pela presença da própria Rainha Elizabeth II, que visitou o Canadá para as comemorações do 143° aniversário da constituição do Canadá e para o centenário da Marinha canadense.

Proa da FIndep vista da asa do Passadiço
Proa da FIndep vista da asa do PassadiçoProa da FIndep vista da asa do Passadiço
Bem ao lado do Trinity tem...
Bem ao lado do Trinity tem...Bem ao lado do Trinity tem...
O lado quente do canhão Trinity
O lado quente do canhão TrinityO lado quente do canhão Trinity
Casulo de Exocet da Independência
Casulo de Exocet da IndependênciaCasulo de Exocet da Independência
Boom!
Boom!Boom!
 

Balsas salva-vida
Balsas salva-vidaBalsas salva-vida
Vista da chaminé da FIndep
Vista da chaminé da FIndepVista da chaminé da FIndep
Um só casulo de Exocet instalado
Um só casulo de Exocet instaladoUm só casulo de Exocet instalado
Popinha vista do convoo
Popinha vista do convooPopinha vista do convoo
Lancha do GVI/GP
Lancha do GVI/GPLancha do GVI/GP
 

Um belo dia de sol na Baía de Halifax
Um belo dia de sol na Baía de HalifaxUm belo dia de sol na Baía de Halifax
HMCS Toronto e a Independência
HMCS Toronto e a IndependênciaHMCS Toronto e a Independência
Canhão de 4,5 polegadas com lançador de Sea Dart no HMS Liverpool
Canhão de 4,5 polegadas com lançador de Sea Dart no HMS LiverpoolCanhão de 4,5 polegadas com lançador de Sea Dart no HMS Liverpool
HMS Liverpool
HMS LiverpoolHMS Liverpool
Mísseis de manejo Sea Dart
Mísseis de manejo Sea DartMísseis de manejo Sea Dart

Para além dos International Fleet Rreviews

Muitos outros eventos locais ocorreram por todo o país, desfiles, portões abertos, exposições e shows itinerantes ao longo das estradas do Canadá em parceria com as administrações municipais e grupos locais de apoio à comunidade naval. Ocorreu ainda a cunhagem pela Casa da Moeda do Canadá de sete milhões de moedas comemorativas de um dólar canadense, que já foram colocadas em circulação. Esta moeda foi oficialmente lançada no dia 29 de junho deste ano na costa oeste do país e no seu reverso apresenta uma fragata da classe Halifax ladeado por um militar da Marinha 1910 e uma policial naval feminina contemporânea. Uma âncora na parte superior do desenho simboliza o serviço naval do Canadá. O anverso da moeda traz a efígie da Rainha Elizabeth II, cuja imagem é usada pela primeira vez nas moedas do país.

Mísseis de manejio Sea Dart montado no lançador
Mísseis de manejio Sea Dart montado no lançadorMísseis de manejio Sea Dart montado no lançador
Lateral do HMS Liverpool
Lateral do HMS LiverpoolLateral do HMS Liverpool
Radar e mastro do Liverpool
Radar e mastro do LiverpoolRadar e mastro do Liverpool
Chaminé e brasão do HMS Liverpool
Chaminé e brasão do HMS LiverpoolChaminé e brasão do HMS Liverpool
O brasão do Liverpool
O brasão do LiverpoolO brasão do Liverpool
 

O radar de busca 3-D 996/992Q
O radar de busca 3-D 996/992QO radar de busca 3-D 996/992Q
O radar de busca 3-D 996/992Q
O radar de busca 3-D 996/992QO radar de busca 3-D 996/992Q
Vista do mastro do HMS Liverpool
Vista do mastro do HMS LiverpoolVista do mastro do HMS Liverpool
Passadiço e mastro da Type 23 HMS Sutherland
Passadiço e mastro da Type 23 HMS SutherlandPassadiço e mastro da Type 23 HMS Sutherland
Popa e porta do hangar da HMCS Toronto
Popa e porta do hangar da HMCS TorontoPopa e porta do hangar da HMCS Toronto
 

Lateral da HMCS Toronto
Lateral da HMCS TorontoLateral da HMCS Toronto
Mastro de treliça e a chaminé característica das fragatas da classe Halifax
Mastro de treliça e a chaminé característica das fragatas da classe HalifaxMastro de treliça e a chaminé característica das fragatas da classe Halifax
Visitantes entram para visitar a HMCSToronto
Visitantes entram  para visitar a HMCSTorontoVisitantes entram  para visitar a HMCSToronto
A antena do radar de busca aérea Raytheon AN/SPS-49 da Toronto
A antena do radar de busca aérea Raytheon AN/SPS-49  da TorontoA antena do radar de busca aérea Raytheon AN/SPS-49  da Toronto
Radios no Passadiço da Toronto
Radios no Passadiço da TorontoRadios no Passadiço da Toronto
 

História da Marinha Canadense

O Canadá no início do século XX não era um país totalmente independente, como o Brasil era de Portugal, mas, sim, carregava o status de ser um dos “Domínios” do Império Britânico, que por isso, tinha a obrigação de defendê-lo em caso de guerra. Com a corrida armamentista naval deflagrada pela Alemanha foi determinado que os diversos “Dominions” teriam que passar a ter algum grau de independência na manutenção de sua própria defesa. Das duas hipóteses possíveis, repassar fundos diretamente para a Royal Navy ou montar sua própria marinha, os canadenses ficaram com a segunda opção. O Naval Service do Canada em só entrou em existência no dia 04 de maio de 1910, quando a Naval Service Act tornou-se lei. No ano seguinte, o pedido do governo canadense para renomear o serviço como Royal Canadian Navy foi concedido pelo Rei George V.

Os primeiros navios a serem construídos para a Marinha canadense foram o destróieres HMCS Saguenay e Skeena. Ambos construídos na Inglaterra por John I. Thornycroft  & Co. Ltd, de Southampton e encomendados em 1931.

Gravador no passadiço da Toronto
Gravador no passadiço da TorontoGravador no passadiço da Toronto
nnn
nnnnnn
Canto do Passadiço da Toronto
Canto do Passadiço da TorontoCanto do Passadiço da Toronto
Toronto
TorontoToronto
Toronto
TorontoToronto
 

Toronto
TorontoToronto
Toronto
TorontoToronto
Toronto
TorontoToronto
Toronto
TorontoToronto
Toronto: paineis de informação superiores do Passadiço
Toronto: paineis de informação superiores do PassadiçoToronto: paineis de informação superiores do Passadiço
  

Toronto o interior do /passadiço é bem convencional
Toronto o interior do /passadiço é bem convencionalToronto o interior do /passadiço é bem convencional
Toronto: repetidor da agulha da Giro
Toronto: repetidor da agulha da GiroToronto: repetidor da agulha da Giro
Toronto: a poltrona do comandante
Toronto: a poltrona do comandanteToronto: a poltrona do comandante
Toronto: lançadores verticais de míssil ESSM
Toronto: lançadores verticais de míssil ESSMToronto: lançadores verticais de míssil ESSM
Toronto: Conectores elétricos dos lançadores verticais de míssil ESSM
Toronto: Conectores elétricos dos lançadores verticais de míssil ESSMToronto: Conectores elétricos dos lançadores verticais de míssil ESSM
 

Entre 1910 e 1948 os navios da Real Marinha canadense não portavam insígnias ou distintivos oficiais próprios. A escolha do emblema do navio ficando, unicamente, a cargo do comandante. Por isso, no período da guerra proliferou uma infinidade de insígnias, muitas delas sem qualquer fundamento. Em 1948, o NSHQ (Quartel General Naval) introduziu o primeiro dos emblemas oficiais e lemas, que foram exaustivamente documentadas.

Quando a Segunda Guerra estourou, a Real Marinha do Canadá possuía apenas 13 navios. Eram seis destróieres (HMCS Saguenay, Skeena, Fraser, Ottawa, Restigouche e St-Laurent), quatro varredores de minas (HMCS  Comox, Fundy, Gasp e Nanoose) e três navios auxiliares (Armentières, Skidegate e Venture). Ao final da Segunda Guerra Mundial, a Marinha do Canadá cresceu para se tornar uma das maiores Marinhas operar a partir de guerra com os aliados. Com uma frota de 434 navios operação ou encomendados, incluindo cruzadores, destróieres, fragatas, corvetas e navios auxiliares.

Toronto: cartaz explicando o que é um ESSM
Toronto: cartaz explicando o que é um ESSMToronto: cartaz explicando o que é um ESSM
Toronto: Lançadores míssil Harpoon
Toronto: Lançadores míssil HarpoonToronto: Lançadores míssil Harpoon
Interior do hangar
Interior do hangarInterior do hangar
Interior do hangar
Interior do hangarInterior do hangar
Interior do hangar
Interior do hangarInterior do hangar
 

Interior do hangar
Interior do hangarInterior do hangar
Detalhe da chaminé da HMCS Toronto
Detalhe da chaminé da HMCS TorontoDetalhe da chaminé da HMCS Toronto
Convés do Passadiço e radar de controle de tiro AN/SPG-503 na Toronto
Convés do Passadiço e radar de controle de tiro AN/SPG-503 na TorontoConvés do Passadiço e radar de controle de tiro AN/SPG-503 na Toronto
HMCS Toronto: Radar AN/SPS/49A (V) 5
HMCS Toronto: Radar AN/SPS/49A (V) 5HMCS Toronto: Radar AN/SPS/49A (V) 5
Toronto: detalhe do mastro em treliça
Toronto: detalhe do mastro em treliçaToronto: detalhe do mastro em treliça

Famílias dando boas-vindas aos marinheiros
Famílias dando boas-vindas aos marinheirosFamílias dando boas-vindas aos marinheiros
HMCS Fredericton
HMCS FrederictonHMCS Fredericton
Navio tanque holandês HMNLS Amsterdam
Navio tanque holandês HMNLS AmsterdamNavio tanque holandês HMNLS Amsterdam
Chaminé do HMNLS Amsterdam
Chaminé do HMNLS AmsterdamChaminé do HMNLS Amsterdam
Chaminé do HMNLS Amsterdam ao fundo
Chaminé do HMNLS Amsterdam ao fundoChaminé do HMNLS Amsterdam ao fundo
  

Durante o período da Guerra Fria, a Marinha do Canadá foi diretamente responsável pelo desenvolvimento de inúmeros avanços tecnológicos para guerra anti-submarina. Entre essas inovações estão: o conceito de operar desde uma fragata ou destróier, helicópteros antisubmarino de grande porte, o sistema “armadilha de urso”para imobilizar helicópteros no convoo, o sonar de profundidade variável e uma série de modelos de sonar de casco.

O profundo legado do White Book de 1964

Uma das características mais peculiares da Marinha Canadense é que desde o White Paper de 1964 ela não é mais, propriamente falando, uma marinha tradicional como a do Brasil ou dos Estados Unidos. Ela é, sim, o Maritime Command , parte integrante e inseparável da única força militar do país, o braço naval das chamadas “Forças Armadas do Canadá”.

O painel retangular lateral logo atras da chaminé esconde os lançadores verticais de míssil ESSM.
O painel retangular lateral logo atras da chaminé esconde os lançadores verticais de míssil ESSM.O painel retangular lateral logo atras da chaminé esconde os lançadores verticais de míssil ESSM.
Destroier da classe Arleigh-Burke USS Barry
Destroier da classe Arleigh-Burke USS BarryDestroier da classe Arleigh-Burke USS Barry
Proa do USS Wasp
Proa do USS WaspProa do USS Wasp
Vista parcial do USS Wasp
Vista parcial do USS WaspVista parcial do USS Wasp
Detalhes do mastro e sensores do USS Wasp
Detalhes do mastro e sensores do USS WaspDetalhes do mastro e sensores do USS Wasp
 

A popa do Wasp
A popa do WaspA popa do Wasp
USS Wasp: 24 balsas salva-vidas só nesta vista!
USS Wasp: 24 balsas salva-vidas só nesta vista!USS Wasp: 24 balsas salva-vidas só nesta vista!
O Wasp visto da alrura do pier é imenso
O Wasp visto da alrura do pier é imensoO Wasp visto da alrura do pier é imenso
Aguardando na fila para entrar no Wasp
Aguardando na fila para entrar no WaspAguardando na fila para entrar no Wasp
Stars and Stripes
Stars and StripesStars and Stripes
 

O elevador lateral é gigante
O elevador lateral é giganteO elevador lateral é gigante
O elevador lateral é gigante
O elevador lateral é giganteO elevador lateral é gigante
Estrutura da borda do convoo do Wasp
Estrutura da borda do convoo do WaspEstrutura da borda do convoo do Wasp
O hangar decorado para festa
O hangar decorado para festaO hangar decorado para festa
Material de combate a incendio
Material de combate a incendioMaterial de combate a incendio

Por ser o Canadá sempre um país pequeno (em população),e assim sempre houve uma grande pressão política dentro da classe política a redução dos custos ligados à Defesa Nacional. O argumento dos políticos é que a estrutura organizacional era primariamente ditada por eventos e necessidades pregressas o que produzia uma falta de coesão operacional que tivesse o mínimo sentido operacional e/ou econômico. A redundância administrativa das três forças independentes criava staffs imensos na retaguarda, de limitado valor militar real. Os compromissos militares assumidos pelo Canadá na OTAN eram politicamente incontornáveis, e isso obrigava a manutenção de esquadrões aéreos baseadas na Europa. Em paralelo, a Royal Canadian Air Force fazia também parte da defesa aérea do continente norte-americano, junto com a USAF no guarda-chuva do sistema NORAD e sua aviação de patrulha que aparentemente tinha mais a ver com as operações da Marinha Canadense no Atlântico Norte do que com o resto da RCAF...

Marinheiros do USS Wasp
Marinheiros do USS WaspMarinheiros do USS Wasp
Lateral da ilha que dá para o convoo
Lateral da ilha que dá para o convooLateral da ilha que dá para o convoo
Vista de ré le da lateral da ilha
Vista de ré le da lateral da ilhaVista de ré le da lateral da ilha
Convoo e ilha do USS Wasp, atenção ao guindaste branco
Convoo e ilha do USS Wasp, atenção ao guindaste branco Convoo e ilha do USS Wasp, atenção ao guindaste branco
Wasp
WaspWasp
  

Wasp
WaspWasp
Wasp
WaspWasp
Wasp
WaspWasp
Sea Hawk fabricante Sikorsky
Sea Hawk fabricante SikorskySea Hawk fabricante Sikorsky
Sea Hawk fabricante Sikorsky
Sea Hawk fabricante SikorskySea Hawk fabricante Sikorsky
 

Interior do Sea Hawk fabricante Sikorsky
Interior do Sea Hawk fabricante SikorskyInterior do Sea Hawk fabricante Sikorsky
Interior do Sea Hawk fabricante Sikorsky
Interior do Sea Hawk fabricante SikorskyInterior do Sea Hawk fabricante Sikorsky
Interior do Sea Hawk fabricante Sikorsky
Interior do Sea Hawk fabricante SikorskyInterior do Sea Hawk fabricante Sikorsky
Interior do Sea Hawk fabricante Sikorsky
Interior do Sea Hawk fabricante SikorskyInterior do Sea Hawk fabricante Sikorsky
Sea Hawk fabricante Sikorsky
Sea Hawk fabricante SikorskySea Hawk fabricante Sikorsky

O White Book de 1964 foi um grande “terremoto” de longa duração, reformando por completo a organização das suas forças militares, primeiro integrando-as (a força, diga-se de passagem) e finalmente consolidando-as num único órgão militar. As tradições culturais das diversas forças foram atropeladas e em nenhum serviço isso foi tão marcante quanto na Marinha, onde até o uniforme branco naval foi abandonado em troca de um novo uniforme verde comum a todos os serviços. Os oficiais generais das três forças lutaram até onde puderam contra a supressão dos cargos dos comandantes e dos estados Maiores das três forças e de sua substituição por uma única estrutura conjunta, mas a sua iniciativa foi totalmente em vão.

Neste Centenário Naval, um dos eventos realizados em homenagem à Marinha é justamente a reinserção nos uniformes navais canadenses do “Officer`s Curl”. Este “laço” dourado de formato circular existente nas platinas e nas mangas dos oficiais de um grande número de marinhas é chamado aqui no Brasil de “Nó de Nelson”. A abolição do Officer’s Curl da indumentária naval canadense em 1968 com a unificação dos serviços militares foi um golpes mais sentidos na cultura e tradição naval da RCN.

Sea Hawk fabricante Sikorsky
Sea Hawk fabricante SikorskySea Hawk fabricante Sikorsky
Sea Hawk fabricante Sikorsky
Sea Hawk fabricante SikorskySea Hawk fabricante Sikorsky
Wasp
WaspWasp
Wasp
WaspWasp
Sea Hawk fabricante Sikorsky
Sea Hawk fabricante SikorskySea Hawk fabricante Sikorsky

Wasp
WaspWasp
Wasp
WaspWasp
Sea Hawk fabricante Sikorsky
Sea Hawk fabricante SikorskySea Hawk fabricante Sikorsky
Interior Sea Hawk fabricante Sikorsky
Interior Sea Hawk fabricante SikorskyInterior Sea Hawk fabricante Sikorsky
Wasp
WaspWasp
  

Wasp
WaspWasp
Wasp
WaspWasp
Wasp
WaspWasp
Wasp
WaspWasp
Wasp
WaspWasp
 

Conclusão

O Canadá é o segundo mais extenso país do mundo. Ocupando quase todo o extremo setentrional da América do Norte, o país se estende desde o Oceano Atlântico a leste, até o Oceano Pacífico a oeste e, ao norte com o Oceano Ártico. Ao sul a sua fronteira com os Estados Unidos é mais longa fronteira terrestre do planeta. Grande parte deste imenso território localiza-se nas regiões árticas, com cerca de metade do país sendo coberto por florestas boreais. Aproximadamente 60% da população vive no sudeste, na região dos Grandes Lagos e do Vale do Rio São Lourenço.

Wasp
WaspWasp
Wasp
WaspWasp
sino do Wasp
 sino do Wasp sino do Wasp
Wasp
WaspWasp
Wasp
WaspWasp
 

Wasp
WaspWasp
Wasp
WaspWasp
Centenário Canadá
Centenário CanadáCentenário Canadá
Centenário Canadá
Centenário CanadáCentenário Canadá
Bandeira do Canadá
Bandeira do CanadáBandeira do Canadá
 

No plano militar, o país é um dos membros fundadores da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) e as suas Forças Armadas empregam atualmente cerca de 62 mil pessoas.  Desde a segunda metade do século XX o Canadá envolveu-se diretamente na defesa do Atlântico norte e atualmente está presente nas operações da Aliança Atlântica no Afeganistão. Este recente envolvimento no Oriente Médio, o obrigou a uma revolução logística dentro das Forças Militares Canadenses. Foram adquiridos novos aviões cargueiros militares pesados, como o C-17 e o C-130J, além de novos veículos blindados capazes de resistir os explosivos improvisados instalados nas estradas pelos insurgentes mussulmanos. No ambiente marítimo o crescente aquecimento global está criando um novo desafio para a Marinha Canadense. Com o descongelamento crescente das águas do oceano Ártico, abre-se a possibilidade de navegação ao longo de todo ano através da Passagem Noroeste, caminho que permitirá que navios comerciais naveguem do Atlântico ao Pacífico por uma rota muito mais curta e economia que qualquer outra alternativa atual. Essa importante mudança no transporte oceânico global vai exigir uma expansão considerável dos meios navais do Maritime Comand, forçando, quem sabe, até a criação de um novo  “Maritime Command Arctic”.

Para o Brasil, o Canadá desponta como sendo um potencial novo parceiro, com porte e know how parelho. Isso nos deve ser muito interessante no plano militar para os próximos anos, pois inclusive, já se prevê a realização de exercícios militares bilaterais, principalmente aéreos e navais.

 
Last Updated on Tuesday, 10 August 2010 17:33
 

Translate

Browse this website in:

Busca Rápida
Serial
(FAB, MB ou EB)


Copyright © 2018 Base Militar Web Magazine. All Rights Reserved. Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.