LAAD 2011: O Brasil e o Mundo dos Equipamentos de Defesa. PDF Print E-mail
Written by Wellington Góes e Felipe Salles   
Saturday, 13 August 2011 12:45

 

Introdução

A feira bienal LAAD - Latin American Aero and Defense – já figura como o ponto alto da estratégia de marketing de qualquer empresa interessada no crescimento do mercado doméstico de defesa do Brasil. Tendo em vista justamente esta escala imensa, ALIDE não se pretende, de forma alguma, encerrar todos os temas e desenvolvimentos que ocorreram na feira, mas essencialmente dar àqueles que não tiveram a oportunidade de visitá-la pessoalmente um amplo panorama, uma "janela", por assim dizer, do que foi o evento desta ano. Esperamos que vocês apreciem.

Stand da Mectron com maquetes de seus armamentos
Stand da Mectron com maquetes de seus armamentosStand da Mectron com maquetes de seus armamentos
Seminario de defesa: Ministro Nelson Jobim palestrando
Seminario de defesa: Ministro Nelson Jobim palestrandoSeminario de defesa: Ministro Nelson Jobim palestrando
Maquete do submarino nuclear brasileiro apresentado pela Marinha
Maquete do submarino nuclear brasileiro apresentado pela MarinhaMaquete do submarino nuclear brasileiro apresentado pela Marinha
Vista do stand da Emgepron
Vista do stand da EmgepronVista do stand da Emgepron
Stand da Emgepron recebendo a visita do Ministro Nelson Jobim
Stand da Emgepron recebendo a visita do Ministro Nelson JobimStand da Emgepron recebendo a visita do Ministro Nelson Jobim

Ministro Nelson Jobim observando uma das maquetes do stand da Emgepron
Ministro Nelson Jobim observando uma das maquetes do stand da EmgepronMinistro Nelson Jobim observando uma das maquetes do stand da Emgepron
Ministro Nelson Jobim observando uma das maquetes do stand da Emgepron
Ministro Nelson Jobim observando uma das maquetes do stand da EmgepronMinistro Nelson Jobim observando uma das maquetes do stand da Emgepron
Ministro Jobim em visita ao stand da Emgepron
Ministro Jobim em visita ao stand da EmgepronMinistro Jobim em visita ao stand da Emgepron
Ministro Jobim em visita ao stand da Emgepron
Ministro Jobim em visita ao stand da EmgepronMinistro Jobim em visita ao stand da Emgepron
Ministro Jobim em visita ao stand da Bae Systems
Ministro Jobim em visita ao stand da Bae SystemsMinistro Jobim em visita ao stand da Bae Systems

O crescimento marcante, neste ano foi o que a tornou bem diferente das edições dos anos passados. Esta exposição recebeu 63 delegações de 61 países, 25.800 visitantes e 663 expositores. Mesmo sob o espectro do “congelamento parcial” determinado pela nova presidente Dilma Rousseff logo após sua posse em janeiro, a feira de 2011 foi substancialmente maior e mais movimentada que as edições anteriores. Se no passado as delegações estrangeiras eram parte importante do foco das empresas expositoras, agora, todas as atenções estavam focadas mesmo nas forças armadas brasileiras e nos seus programas. Dois grandes halls do Centro de Exposições do Riocentro e ainda uma grande área externa, totalizando 47.000 m² foram utilizados para apresentar as diversas tecnologias e produtos que podem ser usados para atender aos objetivos expostos na Estratégia Nacional de Defesa. Este documento é hoje, claramente, mais do que apenas “tinta no papel”, conforme afiançado pela efetivação da contratação da DCNS francesa para a construção no país de quatro submarinos diesel-elétricos de nova geração e de mais um casco para ser usado no primeiro submarino nacional de propulsão nuclear.

Ministro Jobim observa maquete de patrulheiro da classe Comandante
Ministro Jobim observa maquete de patrulheiro da classe ComandanteMinistro Jobim observa maquete de patrulheiro da classe Comandante
Vista do stand do Ministerio da Defesa
Vista do stand do Ministerio da DefesaVista do stand do Ministerio da Defesa
Vista do stand da IVECO
Vista do stand da IVECOVista do stand da IVECO
Veiculo blindado GUARANI APC
Veiculo blindado GUARANI APCVeiculo blindado GUARANI APC
Veiculo blindado GUARANI APC
Veiculo blindado GUARANI APCVeiculo blindado GUARANI APC

Veiculo blindado GUARANI APC
Veiculo blindado GUARANI APCVeiculo blindado GUARANI APC
Almirante Julio Soares de Moura Neto e General Cristino em visita ao stand da IVECO
Almirante Julio Soares de Moura Neto e General Cristino em visita ao stand da IVECOAlmirante Julio Soares de Moura Neto e General Cristino em visita ao stand da IVECO
Almirante Julio Soares de Moura Neto e General Cristino em visita ao stand da IVECO
Almirante Julio Soares de Moura Neto e General Cristino em visita ao stand da IVECOAlmirante Julio Soares de Moura Neto e General Cristino em visita ao stand da IVECO
Oficiais da Marinha e do Exercito dentro no GUARANI APC
Oficiais da Marinha e do Exercito dentro no GUARANI APCOficiais da Marinha e do Exercito dentro no GUARANI APC
Almirante Julio Soares e General Cristino se comprimentam no stand da IVECO
Almirante Julio Soares e General Cristino se comprimentam no stand da IVECOAlmirante Julio Soares e General Cristino se comprimentam no stand da IVECO

Um segmento que gerou muita conversa e interesse neste ano foi o da área de comando e controle. Aqui as atenções orbitavam ao redor das oportunidades representados pelo Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul (SisGAAz) e pelo Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras do Exército (SISFRON). Ambos os sistemas tem abrangência praticamente continental e visam replicar o êxito e também integrar-se ao Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro (SISDABRA) da Aeronáutica. Mesmo com o programa de seleção do novo caça da FAB, o conhecido F-X2, se encontrando em um “período de profunda reavaliação”, suecos (SAAB Gripen), franceses (Dassault Rafale) e americanos (Boeing Super Hornet)  fizeram questão de se fazer presentes com grandes stands, e muita gente, para atender aos visitantes da FAB, da MB e do MinDef brasileiro. O stand da Boeing incluiu até um simulador com telão que produziu muito interesse entre os visitantes da feira.

Almirante Julio Soares recebe homenagem no stand da IVECO
Almirante Julio Soares recebe homenagem no stand da IVECOAlmirante Julio Soares recebe homenagem no stand da IVECO
Caminhão IVECO Trakker no stand da mesma
Caminhão IVECO Trakker no stand da mesmaCaminhão IVECO Trakker no stand da mesma
Caminhão IVECO Trakker
Caminhão IVECO TrakkerCaminhão IVECO Trakker
Veículo de múltipla função 4x4 LMV da IVECO
Veículo de múltipla função 4x4 LMV da IVECOVeículo de múltipla função 4x4 LMV da IVECO
Veículo de múltipla função 4x4 LMV da IVECO
Veículo de múltipla função 4x4 LMV da IVECOVeículo de múltipla função 4x4 LMV da IVECO

Parte interior do LMV
Parte interior do LMVParte interior do LMV
Parte interior do LMV
Parte interior do LMVParte interior do LMV
Parte interior do LMV
Parte interior do LMVParte interior do LMV
SandCat Tactical Protector no stand da Oshkosh
SandCat Tactical Protector no stand da OshkoshSandCat Tactical Protector no stand da Oshkosh
SandCat Tactical Protector no stand da Oshkosh
SandCat Tactical Protector no stand da OshkoshSandCat Tactical Protector no stand da Oshkosh

A Embraer fechou 3 grandes acordos durante a laad que foram dois acordos estratégicos com a Atech Negócios em Tecnologias e a israelense Elbit Systems, além de um memorando de entendimento com a Santos Lab. O negócio com a Atech envolve a aquisição de 50% do capital social da empresa e está avaliado em 36 milhões e tem como objetivo, incrementar as capacidades na área de sistemas comando, controle, computação, comunicações e inteligência conhecido pela sigla C4I.Já no caso da Elbit, o acordo envolve transferência de tecnologia na área de veículos aéreos não-tripulados, o acordo, segundo a Embraer, prevê a criação de uma empresa com participação majoritária da Embraer para atuar neste segmento.

A Ares, por sua vez, apresentou em seu stand o REMAX (estação de arma estabilizada usada no veiculo Urutu) além de outros novos produtos como o CARDOM (morteiro 120mm automático com recuo) e o STAR (foguete70mm guiado a laser). O Remax é uma estação de armas estabilizada controlada para metralhadoras .50 e 7.62mm, para utilização em veículos blindados de transporte de tropas e plataformas blindadas.

A EADS se fez presente com todas as suas divisões, porem com uma ênfase maior na parte aérea, principalmente pela Helibras que é sua principal subsidiária no Brasil.

SandCat Tactical Protector no stand da Oshkosh
SandCat Tactical Protector no stand da OshkoshSandCat Tactical Protector no stand da Oshkosh
Parte interior do SandCat Tactical Protector
Parte interior do SandCat Tactical ProtectorParte interior do SandCat Tactical Protector
Parte traseira do SandCat Tactical Protector
Parte traseira do SandCat Tactical ProtectorParte traseira do SandCat Tactical Protector
Parte interior do SandCat Tactical Protector
Parte interior do SandCat Tactical ProtectorParte interior do SandCat Tactical Protector
Parte interior do SandCat Tactical Protector
Parte interior do SandCat Tactical ProtectorParte interior do SandCat Tactical Protector

Parte interior do SandCat Tactical Protector
Parte interior do SandCat Tactical ProtectorParte interior do SandCat Tactical Protector
Chalé da Avibras na parte exterior do centro de convenções
Chalé da Avibras na parte exterior do centro de convençõesChalé da Avibras na parte exterior do centro de convenções
ASTROS II ao lado do chalé da Avibras
ASTROS II ao lado do chalé da AvibrasASTROS II ao lado do chalé da Avibras
ASTROS II ao lado do chalé da Avibras
ASTROS II ao lado do chalé da AvibrasASTROS II ao lado do chalé da Avibras
ASTROS II ao lado do chalé da Avibras
ASTROS II ao lado do chalé da AvibrasASTROS II ao lado do chalé da Avibras

Uma das exibições mais interessantes foi a do scramjet 14-X, o primeiro empreendimento brasileiro em testes de voo hipersônico. O 14-X é um veiculo concebido para atingir velocidades superiores ao Mach 6. O programa nasceu em 2006 e tem como data especulada para o primeiro teste operacional, o ano de 2013, porem ainda pode ser adiado. O 14-X pode carregar 15% de sua massa como carga util. Em contraste, os foguetes devem levar seu próprio oxigênio para combustão.

A feira contou com muitos stands “nacionais” estruturas que combinavam diversas empresas que eram divulgadas pelos respectivos órgãos de fomento de exportação de seus países. China, Índia, Reino Unido e Ucrânia se utilizaram deste expediente na LAAD 2011. Dependendo do interesse percebido por seus produtos algumas destas empresas podem se interessar em voltar na próxima feira com um stand próximo. No entanto, a despeito da grande variedade de produtos apresentados, tanto China como a Índia deixaram a desejar no quesito “comunicação” especialmente por não dispor de estrutura para interagir com á imprensa brasileira e internacional presente na feira.

Um dos expoentes na área de explosivos da indústria de defesa brasileira, a empresa Britanite, foi uma recipiente do programa de transferência de tecnologia do CTA para desenvolver fornecedores de bombas da família Mk.8X. Na LAAD ela mostrou no seu stand seu mais recente produto, uma novidade mesmo no mercado global, um kit de guiagem múltipla por satélite para esta mesma família de bombas. O diferencial da bomba SMKB é que, além do sistema americano GPS, ela pode ser guiada, também, por satélites europeus Galileo e/ou russos da serie GLONASS. Não deixem de ler a entrevista deste programa na entrevista publicada anteriormente por ALIDE .

Míssil ar-ar infravermelho A-Darter da Avibras
Míssil ar-ar infravermelho A-Darter da AvibrasMíssil ar-ar infravermelho A-Darter da Avibras
Land Rover Defender dos Fuzileiros Navais
Land Rover Defender dos Fuzileiros NavaisLand Rover Defender dos Fuzileiros Navais
Veículo blindado M113 dos Fuzileiros Navais
Veículo blindado M113 dos Fuzileiros NavaisVeículo blindado M113 dos Fuzileiros Navais
Veículo blindado CCL-SL dos Fuzileiros Navais
Veículo blindado CCL-SL dos Fuzileiros NavaisVeículo blindado CCL-SL dos Fuzileiros Navais
Veículo blindado "Piranha" dos Fuzileiros Navais
Veículo blindado Veículo blindado

AAV7A1 (Lagarta) dos Fuzileiros Navais
AAV7A1 (Lagarta) dos Fuzileiros NavaisAAV7A1 (Lagarta) dos Fuzileiros Navais
Socorrão "Ward La France" que é um veículo histórico pertencente ao EB
Socorrão Socorrão
Socorrão "Ward La France"
Socorrão  Socorrão
Painel do Socorrão
Painel do Socorrão Painel do Socorrão
Veículo blindado CCL-SL dos Fuzileiros Navais
Veículo blindado CCL-SL dos Fuzileiros NavaisVeículo blindado CCL-SL dos Fuzileiros Navais

PROSUPER

Todos os concorrentes que disputam o programa de meios de superfície (Prosuper), se fizeram presentes com belas maquetes de seus navios de superfície, especialmente as fragatas em oferta ao Brasil.

A DCNS, gigante francesa de engenharia naval, apresentou um grande leque de soluções no seu stand. No campo de submarinos, pela primeira vez foi apresentada publicamente uma maquete do futuro SBR, o submarino derivado do modelo Scorpene que se encontra em processo de desenvolvimento para fabricação no Brasil. Além disso foi mostrado o submarino-conceito Andrasta, anunciado originalmente em 2008, que também é outro descendente direto das tecnologias do Scorpene. O Andrasta é um submarino mais compacto que o Scorpene, sem nenhuma unidade contratada ou construída ainda. Ele é particularmente adaptado para operar em águas costeiras rasas.

Atenta a atual demanda da Marinha do Brasil, havia também uma maquete da nova fragata FREMM, do mais recente conceito para porta-aviões em estudo pela marinha francesa e do novo navio logístico/tanque BRAVE. Uma das maquetes que chamou atenção naquele stand representava um projeto base/estaleiro modular que poderia ser desenvolvida pelos franceses para qualquer país que precisasse de uma instalação destas, de “primeiro mundo”. Tendo em vista a necessidade indicada na END para a criação de uma nova base no norte do país, aparentemente os franceses já estão deixando claro sua capacidade para disputar esse futuro contrato.

A Thyssen Krupp promoveu no seu stand na LAAD o navio patrulha NPa 1.800, a fragata F-124 e o navio de apoio logístico do tipo 702 também conhecido como “Classe Berlin”. O NPa 1.800 possui basicamente as mesmas características do MEKO 100 da classe Kedah, adquirido pela Malásia. A fragata F-124 pode ter o deslocamento de 5.200 a até 5.690 toneladas e propulsão CODOG podendo chegar a velocidades de até 29 nós. Para ver mais informações sobre os navios da classe Berlin não deixe de visitar a materia que realizamos há algum tempo a bordo de um navio destes.

Obuseiro 105mm LIGHT GUN L118 dos Fuzileiros Navais
Obuseiro 105mm LIGHT GUN L118 dos Fuzileiros NavaisObuseiro 105mm LIGHT GUN L118 dos Fuzileiros Navais
Obuseiro 105mm LIGHT GUN L118 dos Fuzileiros Navais
Obuseiro 105mm LIGHT GUN L118 dos Fuzileiros NavaisObuseiro 105mm LIGHT GUN L118 dos Fuzileiros Navais
Obuseiro 105mm LIGHT GUN L118 dos Fuzileiros Navais
Obuseiro 105mm LIGHT GUN L118 dos Fuzileiros NavaisObuseiro 105mm LIGHT GUN L118 dos Fuzileiros Navais
AAV7A1 (Lagarta) dos Fuzileiros Navais
AAV7A1 (Lagarta) dos Fuzileiros NavaisAAV7A1 (Lagarta) dos Fuzileiros Navais
Stand do GRUMEC na área externa
Stand do GRUMEC na área externaStand do GRUMEC na área externa

Veículo blindado policial Maverick no stand da Paramount Group
Veículo blindado policial Maverick no stand da Paramount GroupVeículo blindado policial Maverick no stand da Paramount Group
Veículo blindado policial Maverick no stand da Paramount Group
Veículo blindado policial Maverick no stand da Paramount GroupVeículo blindado policial Maverick no stand da Paramount Group
Chevrolet Tahoe Maverick em configuração policial
Chevrolet Tahoe Maverick em configuração policialChevrolet Tahoe Maverick em configuração policial
VW Amarok da Volkswagen em configuração policial
VW Amarok da Volkswagen em configuração policialVW Amarok da Volkswagen em configuração policial
VW Amarok da Volkswagen em configuração policial
VW Amarok da Volkswagen em configuração policialVW Amarok da Volkswagen em configuração policial

A coreana Daewoo Shipbuilding and Marine Engineering (DSME) apresentou sua linha completa de produtos navais militares em maquetes dos modelos KDX-II e KDX-III, de navios de patrulha e de guarda-costeira. O KDX-II é o modelo que está sendo oferecido por eles para a disputa do contrato Prosuper. Ele é uma fragata (ou destyróier, conforme o gosto do cliente...) que desloca 4.500 toneladas, com propulsão combinada a diesel e gás. Mesmo não tendo uma tradição em exportações de produtos militares complexos como fragatas, os coreanos acreditam que um sucesso no Brasil seria a chave para uma alteração nesse quadro e a abertura de novas oportunidades no exterior. O fato da Marinha do Brasil não utilizar atualmente sensores e armamentos estadunidenses, no entando, pode vir a prejudicar as chances da DSME nesta concorrência.

De todos os participantes do Prosuper, inegavelmente a mais discreta no segmento naval foi a BAE Systems, com maquetes do navio patrulha 90 OPV e do Global Combat Ship (a versão de exportação da futura fragata Type 26 da Royal Navy). O 90 OPV (90-meter Offshore Patrol Vessel) foi projetado para executar missões de gerenciamento de zonas econômicas exclusiva, proporcionando segurança marítima nas zonas costeiras e com capacidade de resgate. Desenvolvido com base no modelo da classe River da Real Marinha Britânica, é um navio versátil e eficaz. Possui um sistema de radares modernos, lancha de alta velocidade para interceptação no mar, um barco inflável rígido, e convoo para helicópteros. Tem velocidade máxima de 25 nós e autonomia de 35 dias. Já a Type 26 foi criado para substituir as fragatas Type 22 e Type 23 e irá entregar um recurso versátil e acessível que pode ser facilmente atualizado para assegurar que ela permaneça na vanguarda por toda sua vida operacional.

A Fincantieri da Itália, já foi até o final do ano passado, a concorrente com mais chances de ganhar o contrato PROSUPER, mas neste ano, devido a troca de governo, voltou ao mesmo patamar dos demais concorrentes. Em seu stand foram exibidas maquetes dos navios das classes classe Horizon, FREMM e Comandanti. A Horizon é uma colaboração de esforço Francês/Italiano para produzir uma nova geração de fragatas de defesa anti-aérea. A fragata tem capacidade para até dois helicópteros, tem o deslocamento de 5.600 até 7.050 toneladas, tem propulsão CODLAG podendo chegar a uma velocidade máxima de 29 nós. A fragata FREMM multiuso foi projetada pela DCNS/Armaris e Fincantieri para operar na guerra anti-aérea, antisubmarino e antinavio, podendo também realizar ataques a alvos terrestres. Tem o deslocamento de 6.000 toneladas, propulsão CODLAG podendo chegar a uma velocidade de até 27 nós e capacidade para carregar até dois helicópteros do tipo NH90. Os navios da classe comandanti, são navios de patrulha oceânica, e são os primeiros a serem construídos com características furtivas. Tem o deslocamento de 1.512 toneladas, propulsão a Diesel podendo chegar a até 25 nós e capacidade para carregar um helicóptero do modelo AB-212 ou um NH90.

Veículo blindado Marauder no stand da Paramount Group
Veículo blindado Marauder no stand da Paramount GroupVeículo blindado Marauder no stand da Paramount Group
Programa de remotorização da KMW
Programa de remotorização da KMWPrograma de remotorização da KMW
Programa de remotorização da KMW
Programa de remotorização da KMWPrograma de remotorização da KMW
Programa de torreta automatizada REMAX
Programa de torreta automatizada REMAXPrograma de torreta automatizada REMAX
LAAD2011-065
LAAD2011-065LAAD2011-065

Torreta REMAX
Torreta REMAXTorreta REMAX
Demonstração de blindagem no stand da Jeep
Demonstração de blindagem no stand da JeepDemonstração de blindagem no stand da Jeep
Demonstração de blindagem no stand da Jeep
Demonstração de blindagem no stand da JeepDemonstração de blindagem no stand da Jeep
Versão militar do veículo Stark da Tac Motors
Versão militar do veículo Stark da Tac MotorsVersão militar do veículo Stark da Tac Motors
Caminhão multitarefa militar G440 CB 8x8 HHZ da SCANIA
Caminhão multitarefa militar G440 CB 8x8 HHZ da SCANIACaminhão multitarefa militar G440 CB 8x8 HHZ da SCANIA

A espanhola Navantia destacou em seu stand uma imensa maquete do navio porta-helicópteros (LHD) Juan Carlos I e outra da Fragata F-100 Alvaro de Bazán, que já foi visitado pela ALIDE. O LHD possui um deslocamento de 27.560 toneladas a plena carga, possui propulsão CODOG podendo chegar a até 21 nós e pode carregar até 30 helicópteros. Para maiores informações sobre o Alvaro de Bazan, basta clicar no link!

Os fabricantes de armas leves

Imbel - Na Laad 2011, a Imbel apresentou ao publico algumas novidades, uma delas foi à inovadora família de produtos IA2, que enquadra fuzis, pistolas e revive a parte de cutelaria da fábrica. A linha de fuzis do IA2 traz algumas novidades no setor, como o uso de polímero em partes da arma e o sistema de ferrolho rotativo. Os fuzis IA2 tem como objetivo, substituir os FN FAL e FN PARA-FAL utilizados pelas forças armadas brasileiras que já estão em serviço há mais de trinta anos. A família IA2 também apresenta carabinas para serem usadas por forças policiais. Outra novidade foi o fuzil MD97, também desenvolvido pela IMBEL tendo como modelo, o antigo FN FAL. Apesar de ser uma novidade, o MD97 ficou longe de ser um destaque no stand da Imbel.

Taurus - Este ano, a Taurus apresentou novidades ao publico, uma delas, foi a surpreendente entrada da empresa no mercado de fuzis, com o novo ART 556 (Assault Rifle Taurus 5.56mm), o fuzil é a primeira arma deste tipo a ser fabricada pela empresa, que tem uma grande tradição em armamentos portáteis como pistolas e revolveres e carabinas policiais. A Taurus também apresentou ao publico sua nova carabina destinada principalmente ao mercado policial, a CT556 (Carbine Taurus 5.56mm), assim como seus lançadores de granada LT 37/38 e LT 40.

Veículos terrestres

Uma área particularmente bem representada nesta última LAAD foi à de veículos terrestres. Como esta área não costuma receber uma cobertura jornalística mais detalhada, optamos por dar a ela nesse artigo, um espaço maior e com maior riqueza de detalhes.

A exposição deste ano foi palco para apresentação in-loco de muitos veículos militares e para-públicos, especialmente os europeus, que quase nunca, ou muito pouco, davam as caras em eventos no hemisfério sul. A diversidade era grande, podíamos ver veículos e blindados franceses, estadunidenses, suecos, russos, britânicos (alguns já conhecidos nossos), espanhóis, sul-africanos e italianos, além da ‘panfletagem’ das empresas de outras nacionalidades, nos respectivos estandes, ofertando seus produtos, como por exemplo, dos chineses e coreanos que se fizeram presentes apenas com maquetes.

Os guerreiros sulafricanos

O grupo industrial que atua em diversos ramos militares na África do Sul Paramount, ofereceu na feira carioca soluções para plataformas aéreas, marítimas e terrestres. Além do país sede, o Grupo possui fábricas na Índia e Azerbaijão, bem como um acordo de produção com a Jordânia para os blindados Marauder e Matador. Na LAAD 2011 estiveram presente com o Marauder, blindado 4x4 militar, projetado para atuar em todos os cenários de combate que um VBL moderno é capaz, com dimensões generosas, pesando 12 toneladas vazio e carga útil de até 6.000 kg, na versão padrão, pode levar até 10 ocupantes (02 tripulantes e mais 08 soldados equipados), na versão modificada esse número sobre para 12 pessoas.

Caminhão P420 CB 4X4 da SCANIA
Caminhão P420 CB 4X4 da SCANIACaminhão P420 CB 4X4 da SCANIA
VW Worker 15.210 4X4 no stand da Volkswagen
VW Worker 15.210 4X4 no stand da VolkswagenVW Worker 15.210 4X4 no stand da Volkswagen
VW Worker 15.210 4X4 no stand da Volkswagen
VW Worker 15.210 4X4 no stand da VolkswagenVW Worker 15.210 4X4 no stand da Volkswagen
Caminhões em exposição estática no stand da Volkswagen
Caminhões em exposição estática no stand da VolkswagenCaminhões em exposição estática no stand da Volkswagen
Caminhão TGX da Man Trucks
Caminhão TGX da Man TrucksCaminhão TGX da Man Trucks

Caminhão TGX da Man Trucks
Caminhão TGX da Man TrucksCaminhão TGX da Man Trucks
VW Worker 15.210 4X4 no stand da Volkswagen
VW Worker 15.210 4X4 no stand da VolkswagenVW Worker 15.210 4X4 no stand da Volkswagen
VW Worker 15.210 4X4 no stand da Volkswagen
VW Worker 15.210 4X4 no stand da VolkswagenVW Worker 15.210 4X4 no stand da Volkswagen
Motor X200 desenvolvido pela Allison Transmission
Motor X200 desenvolvido pela Allison TransmissionMotor X200 desenvolvido pela Allison Transmission
Motor 3000 Series desenvolvido pela Allison Transmission
Motor 3000 Series desenvolvido pela Allison TransmissionMotor 3000 Series desenvolvido pela Allison Transmission

Para atividades policiais e anti-distúrbio, o outro veículo exposto foi o Maverick, um blindado de segurança interna concebido para as forças policiais, destinado a operações de controle de multidões, pode ser equipado com o Sistema de Rampa Móvel Automatizada (MARS) e com canhão de água. Têm capacidade para 12 ocupantes, peso de 10 toneladas e carga útil para 4.200 kg. A Paramount possui em seu portfólio mais dois blindados, o 4x4 Matador, veículo bem mais ‘encorpado’ que o Marauder e mais comprido; e o Mbombe, um blindado de combate 6x6 que pode ser equipado com canhões de 30 mm e ser um transporte blindado de tropas, ou comando, ou ambulância.

O Touro Espanhol

O blindado 4x4 de 8 toneladas URO Vamtac BN3, é a cara do HMMWV e possui o maior nível de proteção balística da família, que é composta por quatro membros. O veículo apresentado, atende à norma STANAG 4569 da OTAN, possui dois níveis de proteção balística, 2 e 3, para minas, bem como proteção contra IED’s (explosivos terrestres improvisados), essa família de veículos possui uma linha padrão de todos os sistemas, alterando apenas nos níveis de blindagem e conseqüentemente no peso e capacidade de carga. O veículo padrão possui 3.200 cilindradas, gerando potencia de 188 cv, com 06 cilindros em linha, combustível diesel, transmissão automática de 06 velocidades (05 pra frente e 01 pra ré), tração 4x4 permanente e suspensão independente nas 04 rodas, o veículo faz jus a logo marca da URO, um verdadeiro touro bravo.

Motor 3000 Series desenvolvido pela Allison Transmission
Motor 3000 Series desenvolvido pela Allison TransmissionMotor 3000 Series desenvolvido pela Allison Transmission
LAAD2011-081
LAAD2011-081LAAD2011-081
LAAD2011-082
LAAD2011-082LAAD2011-082
LAAD2011-083
LAAD2011-083LAAD2011-083
LAAD2011-084
LAAD2011-084LAAD2011-084

LAAD2011-086
LAAD2011-086LAAD2011-086
LAAD2011-087
LAAD2011-087LAAD2011-087
LAAD2011-088
LAAD2011-088LAAD2011-088
LAAD2011-089
LAAD2011-089LAAD2011-089
LAAD2011-090
LAAD2011-090LAAD2011-090

Uma linha interessante de veículos utilitários, mas que não foram apresentados fisicamente no estande da empresa, é a linha TT URO, como diz nos seus panfletos, “um autêntico caminhão off-road”, com tração 4x4 integral e um chassis que lembra muito seu concorrente alemão da Mercedes Benz (UNIMOG).

Os ‘Aliados Estratégicos’

A francesa Renault Trucks Defense possui uma gama variada de veículos militares e para-públicos, desde logísticos, passando pelos de reconhecimento, até aos de combate. Estavam presentes 'na festa' um Sherpa Light APC, blindado ligeiro 4x4 com tração permanente e transmissão Allison S2500 automática, com 07 velocidades (06 para frente e 01 para ré), sendo a versão de transporte de tropas com 03 portas e capacidade para até 10 soldados equipados; seu peso de 10,9 toneladas, com carga útil de até 2.200 kg. E um caminhão Kerax 6x6, estes são baseados em veículos comerciais e adaptados às necessidades específicas das forças armadas francesas. São aptos a todas as missões logísticas como o transporte de tropas, água ou combustíveis, bem com as missões táticas como o transporte de sistemas de armas. Na versão 4x4 tem um peso bruto de 18 toneladas, com carga útil de 9.600 kg, já a versão exposta tem 25 toneladas de peso total bruto, com 14.600 kg de carga útil; possuem um motor Diesel Renault DXi 11, em 06 cilindros em linha, com velocidade máxima de 110 km/h e autonomia de 900 km; sua cabine pode ser blindada (a depender do interesse do cliente).

Da terra da Rainha

No setor de veículos os britânicos ficaram muito a desejar, não trouxeram nada de novo, vieram apenas com velhos conhecidos nossos, melhor dizendo, do Corpo de Fuzileiros Navais – CFN, isto porque em seu estande estavam dois Defenders do CFN com mais um na parte externa do RioCentro.

LAAD2011-091
LAAD2011-091LAAD2011-091
LAAD2011-092
LAAD2011-092LAAD2011-092
LAAD2011-093
LAAD2011-093LAAD2011-093
LAAD2011-094
LAAD2011-094LAAD2011-094
LAAD2011-095
LAAD2011-095LAAD2011-095

LAAD2011-096
LAAD2011-096LAAD2011-096
LAAD2011-097
LAAD2011-097LAAD2011-097
LAAD2011-098
LAAD2011-098LAAD2011-098
LAAD2011-099
LAAD2011-099LAAD2011-099
LAAD2011-100
LAAD2011-100LAAD2011-100

Os 'Gringos'

A estadunidense Oshkosh apresentou o SandCat TPV (Tactic Protector Vehicle), um veículo blindado policial, foi a primeira vez que este veículo fora apresentado em países da América Latina, é ofertado basicamente para operadores para-públicos nas operações de segurança pública, proteção e patrulhamento de fronteiras, entre outras. Foi pensado para operações que exijam mobilidade, principalmente em ambientes urbanos, desenvolvido sobre um chassis FORD, possui capacidade para levar 09 ocupantes, ou 1.814 kg de carga útil e tem peso vazio de 6,9 toneladas e tração 4x4. O SandCat já possui pedidos do México, Suécia, Bulgária, Canadá, Nigéria e Israel, e ao que tudo indica, quer abocanhar parte do potencial mercado sulamericano, bem como aproveitar os atuais eventos mundiais que serão realizados no Brasil, para conseguir está entrando no mercado nacional, resta saber como a Oshkosh pretende entrar por aqui, se sozinha ou com algum parceiro local.

Soluções e conceitos vindos da 'Grande Bota'

A IVECO foi quem apresentou o maior estande (e não é nem preciso explicar porque), veio com diversos produtos de sua matriz italiana, para ser exato, quatro outros veículos além do tão esperado Guarani. Quem chamou muito a atenção, não só por conta do seu belo design (típico dos italianos) foi o LMV, um veículo blindado ligeiramente menor do que os seus concorrentes diretos e igualmente acanhado internamente, mesmo assim é um blindado que aparenta cumprir a missão, não por acaso é empregado pelo Exercito Italiano no Afeganistão e em diversas missões da ONU.

AH-2 Sabre da FAB na área externa
AH-2 Sabre da FAB na área externaAH-2 Sabre da FAB na área externa
Helicóptero blindado da polícia militar do Rio de Janeiro na área externa
Helicóptero blindado da polícia militar do Rio de Janeiro na área externaHelicóptero blindado da polícia militar do Rio de Janeiro na área externa
LAAD2011-103
LAAD2011-103LAAD2011-103
LAAD2011-104
LAAD2011-104LAAD2011-104
LAAD2011-107
LAAD2011-107LAAD2011-107

Parte interior do Chevrolet Tahoe Maverick
Parte interior do Chevrolet Tahoe MaverickParte interior do Chevrolet Tahoe Maverick
LAAD2011-110
LAAD2011-110LAAD2011-110
Stand da fabricante de armas brasileira Taurus
Stand da fabricante de armas brasileira TaurusStand da fabricante de armas brasileira Taurus
Stand da Brahmos
Stand da BrahmosStand da Brahmos
Stand do CTEx
Stand do CTExStand do CTEx

O simpático M 40E15 WM foi apresentado na versão transporte de tropa, um pequeno caminhão com o comprimento de 4,9 metros, distância entre eixos de 2,8 metros, peso bruto total de 4,7 toneladas com carga útil de 1.500 kg, velocidade máxima de 100 km/h. Os pesos pesados da IVECO não ficaram de fora, lembrando que estes podem, ou poderão ser avaliados pelo Exercito Brasileiro em futuras novas concorrências, por isso não perderam a oportunidade de ‘darem as caras’ no Brasil. São eles o Eurocargo 4x4 MLL 150 E – W, que é a versão mais alongada e de maior capacidade, com suas 26 toneladas de peso bruto total e o AT380T WM, um caminhão 6x6 com as suas 44 toneladas de peso bruto total, vale lembrar que, apesar de não ter sido exposta na LAAD 2011, este possui versão com cabine blindada.

Conforme lembrou seu representante na LAAD, todos os veículo apresentados, com exceção do LMV, poderão vir a ser produzidos no Brasil, dependendo apenas do interesse local na sua aquisição.

Os Germânicos

Talvez por conta da oficialização de que irão criar uma subsidiária brasileira em Santa Maria – RS, esperava-se mais da Krauss-Maffei Wegmann – KMW. Especialmente, por conta da vasta gama de veículos que a empresa produz, a começar pelos Carros de Combate da família Leopard e toda uma linha de veículos sobre lagartas, passando pelos transportes blindado de tropas sobre rodas como o enorme Boxer 8x8, GFF 4 6x6 e chegando aos blindados 4x4 Dingo, Dingo 2, AMPV, Mungo e Fennek. A empresa, entretanto, se limitou a apresentar a sua proposta de modernização dos famosos e longevos blindados M-113, que são usados tanto pelo Exercito Brasileiro – EB, quanto pelo Corpo de Fuzileiros Navais – CFN, em parceira com a Flensburger Fahrzeugbau Gesellschaft – FFG.

Stand da fabricante de armas FN Herstal
Stand da fabricante de armas FN HerstalStand da fabricante de armas FN Herstal
Stand do CTEx
Stand do CTExStand do CTEx
Pavilhão da República Tcheca: Stand da EVPU defence
Pavilhão da República Tcheca: Stand da EVPU defencePavilhão da República Tcheca: Stand da EVPU defence
Pavilhão da Espanha
Pavilhão da EspanhaPavilhão da Espanha
Pavilhão da Espanha
Pavilhão da EspanhaPavilhão da Espanha

Stand da fabricante de veículos Jeep
Stand da fabricante de veículos JeepStand da fabricante de veículos Jeep
LAAD2011-120
LAAD2011-120LAAD2011-120
LAAD2011-121
LAAD2011-121LAAD2011-121
LAAD2011-122
LAAD2011-122LAAD2011-122
Maquetes de aeronaves fabricadas pela Embraer no stand da mesma
Maquetes de aeronaves fabricadas pela Embraer no stand da mesmaMaquetes de aeronaves fabricadas pela Embraer no stand da mesma

Os nórdicos que vieram ao sul

Ainda que, não da maneira esperada para uma grande Feira sobre equipamentos de Defesa, a companhia de motores e de caminhões Scania apresentou no seu estande dois caminhões. O primeiro deles configurado para combate a incêndio de uso em aeroportos, o P420, com peso total de 22 toneladas, carga útil máxima de 14.400 kg, motor Euro-3 DC 1206, de 12 litros e 420 cv, tração 4x4. Este modelo tem capacidade no tanque de água para armazenar até 6.100 litros, e até 800 litros no tanque de espuma.

O outro caminhão exposto foi o impressionante veículo 8x8 multitarefa, G440 CB 8x8 HHZ, com suas 39 toneladas de peso total. Este monstrengo (no bom sentido), tem a capacidade de levar até 22.000 kg, com motor Euro-5, de 13 litros e 440 cv, outros modelos da mesma linha são ofertados pela Scania, como por exemplo, os veículos 6x6 Caminhão Pipa, ou os de transporte de tropas, usados por vários exércitos europeus, como França, Irlanda, Holanda, Finlândia e a própria Suécia.

Maquetes de aeronaves fabricadas pela Embraer
Maquetes de aeronaves fabricadas pela EmbraerMaquetes de aeronaves fabricadas pela Embraer
Solução britânica de pontes de campanha
Solução britânica de pontes de campanhaSolução britânica de pontes de campanha
Solução britânica de pontes de campanha
Solução britânica de pontes de campanhaSolução britânica de pontes de campanha
Solução britânica de pontes de campanha
Solução britânica de pontes de campanhaSolução britânica de pontes de campanha
Veículos anti-mina (MRAP) britânicos
Veículos anti-mina (MRAP) britânicosVeículos anti-mina (MRAP) britânicos

Produtos da indústria britânica
Produtos da indústria britânicaProdutos da indústria britânica
Manequins vestindo trajes de proteção biológica no stand do Reino Unido
Manequins vestindo trajes de proteção biológica no stand do Reino UnidoManequins vestindo trajes de proteção biológica no stand do Reino Unido
Manequins vestindo trajes de proteção biológica no stand do Reino Unido
Manequins vestindo trajes de proteção biológica no stand do Reino UnidoManequins vestindo trajes de proteção biológica no stand do Reino Unido
Stand da Mectron: Mísseis ar-ar MAA-1 e MAA-1B e míssil anti-carro MSS 1.2
Stand da Mectron: Mísseis ar-ar MAA-1 e MAA-1B e míssil anti-carro MSS 1.2Stand da Mectron: Mísseis ar-ar MAA-1 e MAA-1B e míssil anti-carro MSS 1.2
Bomba guiada SMKB 82
Bomba guiada SMKB 82Bomba guiada SMKB 82

O Tigre Siberiano

Muito se esperava da apresentação do GAZ Tiger e ele veio ‘a festa’. Um veículo realmente bonito (apesar do design meio básico), com a possibilidade ainda em discussão de sua produção em Caxias do Sul – RS. Para isso a versão que seria produzida inicialmente seria a versão para-pública, basicamente a mesma exposta na LAAD 2011. O forte interesse das forças policiais estaduais em obter um blindado compacto, de melhor mobilidade e maiores capacidades que os atuais ‘Caveirões’ espalhados Brasil a dentro. Dentre estes um dos principais interessados seria o Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, o famoso BOPE, que dias após a apresentação levou o blindado para testes operacionais.

Bomba guiada SMKB 82 PG
Bomba guiada SMKB 82 PGBomba guiada SMKB 82 PG
Bomba SMKB 83
Bomba SMKB 83Bomba SMKB 83
Bomba BPEB 500
Bomba BPEB 500Bomba BPEB 500
Lançador de foguetes 70mm da Britanite
Lançador de foguetes 70mm da BritaniteLançador de foguetes 70mm da Britanite
Bomba MK 81 PG
Bomba MK 81 PGBomba MK 81 PG

Bombas MK 82 e MK 83 PG
Bombas MK 82 e MK 83 PGBombas MK 82 e MK 83 PG
Foguete Sonda usado para acelerar o X-14
Foguete Sonda usado para acelerar o X-14Foguete Sonda usado para acelerar o X-14
Foguete Sonda usado para acelerar o X-14
Foguete Sonda usado para acelerar o X-14Foguete Sonda usado para acelerar o X-14
Foguete Sonda usado para acelerar o X-14
Foguete Sonda usado para acelerar o X-14Foguete Sonda usado para acelerar o X-14
Míssil anti-navio Exocet AM 39
Míssil anti-navio Exocet AM 39Míssil anti-navio Exocet AM 39

Os 'Donos da Festa'

A indústria nacional não podia se ausentar e esteve muito bem representada. Vários foram os veículos apresentados, para as mais diversas funções, entretanto o foco maior foi no setor policial e para-público nacional, principalmente por conta dos grandes eventos mundiais que estão por vir, bem como de uma maior disposição governamental para enfrentar problemas que a muito vinham sendo empurrados para ‘debaixo do tapete’.

Míssil anti-navio Exocet com motor nacionalizado
Míssil anti-navio Exocet com motor nacionalizadoMíssil anti-navio Exocet com motor nacionalizado
Stand da Rafale
Stand da RafaleStand da Rafale
Maquete do Rafale
Maquete do RafaleMaquete do Rafale
Maquete do Rafale
Maquete do RafaleMaquete do Rafale
Dassault Rafale
Dassault RafaleDassault Rafale

Maquete do Mirage 2000
Maquete do Mirage 2000Maquete do Mirage 2000
Maquete de uma turbina M88
Maquete de uma turbina M88Maquete de uma turbina M88
Stand da Daewoo Shipbuilding and Marine Engineering
Stand da Daewoo Shipbuilding and Marine EngineeringStand da Daewoo Shipbuilding and Marine Engineering
Comandante da Marinha no stand da DSME
Comandante da Marinha no stand da DSMEComandante da Marinha no stand da DSME
Comandante da Marinha no stand da DSME
Comandante da Marinha no stand da DSMEComandante da Marinha no stand da DSME

O Guarani

Primeiro, a 'vedete' de dois anos antes, já na forma de protótipo o mesmo projeto continua chamando atenção, não por acaso foi destaque no estande da IVECO e localizado bem a frente do estande do Ministério da Defesa. Muitos ‘céticos’ acreditavam que o projeto não iria pra frente, ou que o mesmo fosse meramente uma cópia do Centauro, desenvolvido e produzido na Itália pela IVECO. No entanto, conforme Giovanni D’Ambrosio, representante máximo da empresa durante o evento, afirmou a LAAD, o Guarani só tem a suspensão e a redução da transmissão iguais aos desenvolvidos para o Centauro, ficando todo o resto, atendido pela indústria local.

Os sistemas de comando embarcados são mais atuais e dentre outras coisas a tripulação passará a manusear monitores LCD touch screen; o nível de proteção QBN (químico, bacteriológico e nuclear) é superior ao veículo italiano, todos os sistemas e futuros armamentos foram especificados e selecionados pelo Exercito Brasileiro – EB, ficando a IVECO, como contratante principal, a incorporação dos sistemas de acordo com as possibilidades da engenharia, sem demandar modificações extensas do projeto básico. Este é um dos motivos do canhão a ser empregado na futura versão de Reconhecimento Armado, não ser da Oto Melara italiana.

Comandante da Marinha diante da maquete do KDX III
Comandante da Marinha diante da maquete do KDX IIIComandante da Marinha diante da maquete do KDX III
Comandante da Marinha no stand da DSME
Comandante da Marinha no stand da DSMEComandante da Marinha no stand da DSME
Comandante da Marinha no stand da DSME
Comandante da Marinha no stand da DSMEComandante da Marinha no stand da DSME
Modelho de navio patrulha da DSME
Modelho de navio patrulha da DSMEModelho de navio patrulha da DSME
Stand da Índia
Stand da ÍndiaStand da Índia

Stand da UAC
Stand da UACStand da UAC
Stand do Ministério da Defesa
Stand do Ministério da DefesaStand do Ministério da Defesa
Stand da Sukhoi
Stand da SukhoiStand da Sukhoi
Uma das maiores presenças, era dos italianos da Finmeccanica
Uma das maiores presenças, era dos italianos da FinmeccanicaUma das maiores presenças, era dos italianos da Finmeccanica
Maquetes de helicópteros da AgustaWestland
Maquetes de helicópteros da AgustaWestlandMaquetes de helicópteros da AgustaWestland

Após a Feira, o blindado seria levado para a Restinga da Marambaia para os testes operacionais, devendo a sua produção seriada começar até o final de 2012. A princípio os armamentos utilizados deverão ser o reparo REMAX de metralhadora 7,62 mm da ARES e o reparo Elbit/AEL UT30 BR de 30 mm. As outras versões ainda não têm definição, nem previsão de quando serão construídos os protótipos, isto tudo dependerá das assinaturas dos contratos específicos de desenvolvimento, de acordo com cada equipamento e interesse do EB, até então apenas o blindado VBTP APC 6x6 é realidade, entretanto era entregue aos visitantes um croqui (desenho) da proposta para o VBR (Viatura Blindada de Reconhecimento) 6x6 com algumas modificações na largura tornando-o mais largo, com o comprimento menor e com uma silhueta mais baixa e o canhão a ser empregado é LCT 590 de calibre 90 mm da belga CMI Defense, já selecionado pelo EB.

A VBTP tem as seguintes características: peso vazio aproximado dem 14,5 toneladas e para operação anfíbia de até 18,3 toneladas, com capacidade para 11 ocupantes (03 tripulantes e 08 soldados equipados); velocidade máxima de 100 km/h em estrada e 9 km/h em navegação, sua motorização fica por conta de um FIAT FPt Cursor 9, com 280 cv e torque de 1.500 Nm; com carcaça em aço balístico e predisposto para kits antiminas e blindagem adicional, tem como opcionais proteção QBN, sistemas automáticos, integrado ou separado, de extinção de incêndios no motor e cabine, todos esses opcionais serão oferecidos para todas as versões e ficará apenas a necessidade do cliente.

Maquete do Lynx Wildcat
Maquete do Lynx WildcatMaquete do Lynx Wildcat
Stand da EADS
Stand da EADSStand da EADS
Stand da Norinco chinesa
Stand da Norinco chinesaStand da Norinco chinesa
Stand da DSME
Stand da DSMEStand da DSME
Stand da Thales
Stand da ThalesStand da Thales

Radar AESA RBE2
Radar AESA RBE2Radar AESA RBE2
Stand da IAI
Stand da IAIStand da IAI
Stand da IAI
Stand da IAIStand da IAI
Stand da DCNS
Stand da DCNSStand da DCNS
Maquete do submarino SBR
Maquete do submarino SBRMaquete do submarino SBR

A VBR está projetada para ter peso na ordem de batalha para 17 toneladas e assento para 03 tripulantes; com o mesmo motor da versão de transporte de tropas, mas bem mais potente gerando 410 cv e torque de 1.700 Nm, levando o blindado a alcançar 105 km/h de velocidade máxima e 600 km de autonomia a 70 km/h e raio de giro em 11 m, os dados restantes são padrões na família. Um dado importante de frisar, conforme comentando por um dos militares que apresentavam a viatura é que aquela grade para resfriamento do motor, que fica na lateral do veículo, quando imerso na água, serve para melhorar a navegabilidade dele, entrando um pouco de água num compartimento na direita de veículo, nivelando-o durante a sua navegação.

O Gladiador da Imbrafiltros

Este foi outro veículo que surpreendeu aos visitantes. Primeiro, por ser apresentado como protótipo e não mais como mock up, segundo por conta da definição do nome, um nome imponente, diga-se de passagem, pensado a princípio para atender as especificações do EB. O Gladiador acabou tendo uma boa repercussão no mercado para-público nacional, com especial interesse pelas forças policiais especializadas, como o Batalhão de Operações Especiais do Rio de Janeiro. Com o objetivo de reduzir os custos de desenvolvimento, de produção e de venda, bem como facilitar e baratear os custos de manutenção, a viatura vem equipada com um motor MWM nacional 4.12 TCE, Euro 3 e 185 cv, alcançando até 130 km/h de velocidade máxima em terreno plano com autonomia aproximada em 700 km; transmissão automática Allison LCT 1000, caixa de transferência manual, de duas velocidades, com acionamento a cabo para tração 4x4 e 4x2, direção hidráulica ZF-SERVCOM 8090, eixos dianteiro e traseiro da DANA e chassi desenvolvido pela Agrale e feito sob medida, ou seja, não é um aproveitamento do Marruá como se suspeitava e a perspectiva é que a viatura venha custar algo em torno de R$ 600 mil.

Stand da Navantia
Stand da NavantiaStand da Navantia
Stand da Fincantieri
Stand da FincantieriStand da Fincantieri
Stand do Ministério da Defesa
Stand do Ministério da DefesaStand do Ministério da Defesa
Stand do Ministério da Defesa
Stand do Ministério da DefesaStand do Ministério da Defesa
Stand da Brahmos
Stand da BrahmosStand da Brahmos

Stand da Glágio do Brasil
Stand da Glágio do BrasilStand da Glágio do Brasil
Órgão de promoção de exportação militar da Ucrânia
Órgão de promoção de exportação militar da UcrâniaÓrgão de promoção de exportação militar da Ucrânia
Stand da Northrop Grumman
Stand da Northrop GrummanStand da Northrop Grumman
Stand nacional da Argentina
Stand nacional da ArgentinaStand nacional da Argentina
Stand da Aselsan
Stand da AselsanStand da Aselsan

O veículo está sendo desenvolvido em duas versões, a primeira para aplicações militares e a segunda para aplicações policiais. Com peso em combate para 6,5 toneladas e vazio de 5,5 toneladas, ela tem 03 portas (duas laterais e uma traseira) de acesso e capacidade para 06 ocupantes (02 tripulantes e 04 soldados), e 04 câmeras em todos os quadrantes possibilitando aos tripulantes, melhor visibilidade da parte externa, o veículo vem em duas versões pode ser configurado da seguinte forma:

1ª Versão (militar):

Blindagem balística nível IV+PA6, conforme NBR 1500 e NIJ 0108.01, composta de uma chapa de aço Domex Protect 500 de 6,5 mm e escudo duplo, composto por duas chapas de 2,5 mm do mesmo aço, para múltiplas aplicações como:

Transporte de tropa;

Transporte de carga;

Comando e Controle de missões e controle ou comunicação;

Ambulância;

Reconhecimento Armado com canhões de até 25mm e metralhadora de 7,62 mm, ou sistemas de artilharia por controle remoto, umas das alternativas é o reparo REMAX da Ares/Elbit.

Combate Químico e Explosivos

2ª Versão (policial):

Blindagem balística nível III+PA4, conforme NBR 1500 e NIJ 0108.01, composta de uma chapa de aço Domex Protect 500 de 6,5 mm, para:

Controle de Distúrbio Civil (canhões de água);

Operações Especiais (metralhadores de 7,62mm).

A segunda versão é a que está pronta e a que foi exposta na Feira, esta versão será submetida aos testes operacionais ainda no primeiro semestre deste ano, pois, conforme informações dos funcionários da Imbrafiltro, indústria produtora do veículo, estão querendo participar das futuras licitações das polícias estaduais, especialmente a fluminense, que deverão ocorrer até o final deste ano e início do próximo, bem como dos reforços policiais que os governos estaduais e federal, prometem para a realização da Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas do Rio de Janeiro em 2016.

Stand da Kongsberg
Stand da KongsbergStand da Kongsberg
Stand da Equipaer
Stand da EquipaerStand da Equipaer
Stand da Norinco chinesa
Stand da Norinco chinesaStand da Norinco chinesa
Stand nacional da Polônia
Stand nacional da PolôniaStand nacional da Polônia
Stand da Meggit
Stand da MeggitStand da Meggit

'Caveirão' do CTEx

O segundo protótipo da Viatura Especial de Patrulhamento – VEsPa-02 fez o seu debute na LAAD 2011, desenvolvido sob solicitação da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro. Ele foi basicamente desenvolvido para aplicações de segurança pública, utilizando componentes eminentemente nacionais, o projeto foi empreendido pelos engenheiros do Centro Tecnológico do Exercito Brasileiro – CTEx, levando em consideração os resultados do primeiro protótipo, o VEsPa-01.

Ele é basicamente uma viatura desenvolvida sobre o chassis de caminhão Volkswagen, com tração 4x2 e 4x4, pesando 7,5 toneladas, possui um motor Diesel com 150 cv, desenvolvendo até 100 km/h de velocidade máxima; equipado com condicionador de ar e blindagem nível III PA – 2, dando segurança e conforto para até 08 ocupantes. É mais um forte candidato a equipar as policiais especializadas brasileiras e também estrangeiras.

Marruá

O 'Boi Fujão' não podia ficar de fora do evento, ainda mais com a família ampliada, a Agrale mais uma vez esteve presente apresentando sua linha de caminhonetes e jipes militares e para-públicos. Esses veículos já integram as fileiras das forças armadas brasileiras nos três ramos, além de fazer parte do inventário de outros exércitos e marinhas, como por exemplo, na Argentina e Equador, entre outros, além de serem empregados em missões humanitárias da ONU no Haiti, por exemplo.

Stand da Transmissões Allison
Stand da Transmissões AllisonStand da Transmissões Allison
Belezas naturais do Brasil
Belezas naturais do BrasilBelezas naturais do Brasil

Veículos militares por excelência, como diz a propaganda da empresa, "é um veículo 4x4 com DNA militar" e não é pra menos, o primeiro veículo da família nasceu obedecendo aos requisitos operacionais do EB. Toda linha Marruá possuem base unificada, reduzindo assim os custos de produção e desenvolvimento, bem como universaliza boa parte da manutenção, são produzidas 06 versões da viatura, divididas cada uma em duas subversões que variam apenas por conta das suas motorizações e, como conseqüência, seus desempenhos, são elas:

O Marruá está se tornando um verdadeiro 'pão quente', a AGRALE não está tendo o que reclamar, este veículo veio em boa hora, com clientes sempre comparecendo para novas compras. E pensando nesse sucesso, a empresa acabou de lançar no mercado a nova variante dessa família, o Marruá VTNE 1 ½ tonelada, uma caminhonete, melhor dizendo, um 'caminhãozinho' bem mais capaz.

Com um motor CUMMINS ISF 2.8 EIII, com 150 cv de potencia e torque de 360, caixa de transferência de dupla velocidade e rodado traseiro duplo, este pequeno caminhão consegue transportar até 1.500 kg de carga, o dobro de seu 'irmão' menor. O veículo é oferecido também para as missões para-públicas, principalmente para aquelas que necessitam de equipamentos off-road, algo que o 'boi fujão' tira de letra, como na versão apresentada na Feira, que apresenta linhas imponentes de um verdadeiro touro.

Gaúcho

Todos já conhecem esta viatura, mas não custa nada relatar sua presença, é um veículo que chama a atenção e que, segundo os engenheiros do CTEx, cumpre a missão para que foi projetado. Ele é leve, versátil e enfrenta todo terreno, possui tração 4x4 integral, chegando a uma velocidade máxima de 120 km/h. Tem capacidade de carga para até 500 kg, para até 04 ocupantes e pode ser armado com um reparo com giro de 360°, para metralhadoras MAG 7,62, com todos esses atributos, resta saber apenas quando este veículo ingressará de vez nas fileiras das forças especiais das forças armadas brasileiras.

Avibrás

Como maior empresa especializada de equipamentos militares terrestres do Brasil, a Avibrás não podia ficar de fora, entretanto, especificamente com relação a veículos blindados, a empresa não mostrou muitas novidades, além dos já afamados Astros II e AV-VBL, apenas apresentado uma variante desse segundo, como Veículo de Comando e Controle – VCC, no entanto esperava-se mais informações sobre os trabalhos de aceitação do AV-VBL Guará, que se encontra nas mãos do EB em missão no Haiti, até lá ficamos no aguardo.

Conclusão

O porte e a variedade das soluções expostas nesta última edição da LAAD indicam que os fornecedores internacionais acreditam nos planos do Ministério da Defesa para praticamente "refundar" as nossas forças armadas com equipamento moderno de ponta. Mostra, também que eles compreendem as diretrizes básicas da Estratégia Nacional de Defesa no que tange transferência de tecnologia e apresentam uma verdadeira disposição de se associarem as empresas nacionais na área de Defesa. Neste ano, o grande stand da Odebrecht saltava aos olhos dos visitantes como uma prova de que, em breve, as grandes construtoras brasileiras se juntarão à Embraer como os pilares da nova indústria brasileira. Embora Camargo Correia, Queirós Galvão, OAS e outras ainda não tenham declarado publicamente suas estratégias para este mercado, a Odebrecht já se associou à francesa DCNS na construção do novo estaleiro e base de submarinos que se encontram em construção em Itaguaí, no Estado do Rio. Para atender às necessidades do Exército, a Odebrecht montou uma joint-venture com a européia Cassidian (EADS) e, na seara da FAB, no início deste ano anunciou a aquisição da fabricante de mísseis nacional Mectron. Por sua vez a Embraer não está parada aguardando a chegada dos seus novos concorrentes. Numa movimentação de viés claramente defensivo, a empresa de São José dos Campos anunciou a compra da software house e integradora ATECH e também da "radarhouse" Orbisat, para em seguida se associar com a Aeroeletrônica e com a Santos Lab na área de UAVs médios e portáteis.

Confirmando-se as previsões de que os emblemáticos programas F-X2 da FAB e ProSuper da Marinha sejam retomados ao fim deste ano, as apostas de todos estes grupos se mostrará ter sido muito correta. Ultrapassado estes dois programas, inúmeros outros que se encontram prontos para ser publicados seguiriam imediatamente. Neste caso, podemos já garantir que a LAAD 2013 teria tudo para ser ainda mais imponente do que a edição que ocorreu este ano e que as forças armadas brasileiras de fato teriam entrado em outro patamar de dissuasão militar e de modernidade

 

Last Updated on Thursday, 25 August 2011 10:49
 

Translate

Browse this website in:

Busca Rápida
Serial
(FAB, MB ou EB)


Copyright © 2018 Base Militar Web Magazine. All Rights Reserved. Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.